sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Salve a minha loucura de qualquer sanidade aparente

A fábula da garota que podia salvar todas as noites do fim.

Garota, por favor, salve essa noite. Salve o marasmo dos dias que se arrastam como as correntes de um fantasma antigo, preso em seu castelo de pedras negras. Apenas cale a boca das verdades e me acompanhe livre de conceitos, nas melhores mentiras que pudermos criar hoje. Façamos um brinde, sim, um brinde a tudo aquilo que nos ferra a virtude, para no final arremessar as garrafas vazias de nossos sofismas em pessoas virtuosas.

Cante! Cante em meus ouvidos (propositalmente surdos) uma música tão infeliz que nos faça rir! Vamos encher o tanque do carro velho e guiar por estradas desertas até estourar os pneus, e se nós não tivermos a quem recorrer, melhor. Iremos a pé, até gastar a puta sola dos sapatos.
Seja louca, por favor, seja normal na tua loucura! É tão melhor assim!  Não tire a sensatez para dançar hoje, por favor, esqueça a razão dos livros amenos e vamos aos trópicos de câncer e de capricórnio, e depois aos bares, e aos jardins perdidos depois daquela trincheira. Sentiu o cheiro de pólvora?  O que eu quero é que você arremesse o meu relógio contra a parede, e que me dê por doses de loucura a morfina que eu tanto preciso. Salve esta maldita noite, salve o que resta dela, você pode! Jogue em mim falsas expectativas, e eu te darei falsas esperanças! Jogue-me no chão para que eu possa me levantar, e me abrace para que eu possa lembrar algo distante do abraço! Mate o meu orgulho aos poucos, pois assim quem sabe eu crio um novo, como uma serpente maior e mais venenosa. Coloque fogo na velha casa, pois quem sabe assim eu construa uma melhor, mais forte. Beije-me enquanto assisto ao incêndio, depois comeremos pipoca.

Entenda de uma vez por todas que o tempo é um velocista nato, ele não para, não bebe água, ele nunca perdeu uma corrida! Eu olho sua boca vermelho sangue, você me pergunta se existe remédio para a queda de cabelos; eu penso em filhos e quem sabe um ou dois gatos, você pensa em gatos, e em direitos iguais para as baleias e os esquimós. E eu penso em gatos e animais mortos, e no direito humano de morrer em paz.  Eu vejo você, talvez você não me veja mais.

Eu vejo você hoje. Você me vê?
Salve essa noite. Toda a loucura será sanidade, será benção. Apenas faça. 
Você me vê?


Conheça um pouco mais do trabalho do nosso colunista Allan Pitz no livro 'Estação Jugular'. Clique no banner abaixo da nossa loja virtual e confira!

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

6: Uma Comédia Romântica (Wellington S.O.)

Depois de conquistar o meu primeiro leitor digital, tudo que eu precisava era do meu primeiro eBook para iniciar os meus primeiros passos rumo ao futuro da literatura. O que parece ser bem simples para quem já nasceu introduzido nesta geração, pode sair bem complicado para quem ainda está atado a velhos hábitos, como eu. Não por acaso, o livro digital escolhido para marcar este ponto evolutivo da minha vida, me surpreendeu ao tratar de forma capciosa justamente um vértice desta relação entre o físico e o virtual, só que abordando uma esfera bem mais complicada da nossa existência,... O romance.
Com a atual possibilidade de se auto publicar e disponibilizar sua obra para venda em um grande site como a Amazon, dezenas de excelentes livros tentam encontrar um espaço para respirar em meio ao inchado mercado editorial. E conseguir selecionar algum que se destaque por brilho próprio, e sem o marketing financeiro de uma grande editora, é uma tarefa equivalente a acertar na loteria. Ou seja, uma matemática tão inexata quanto a apresentada na história do livro 6: Uma Comédia Romântica (Andradas, 183 páginas), obra de estreia do autor Wellington S.O..

Aqui temos uma espécie de conto de fadas moderno, onde a princesa é uma professora assalariada no auge dos seus vinte anos, que precisa aprender a lidar com a intromissão da tecnologia das redes sociais em nossas vidas, e todos os ‘malefícios’ que isso pode acarretar para uma mulher desimpedida e cheia de dúvidas como Wanessa.
Com tanta facilidade na comunicação moderna, em apenas alguns clicks Wanessa muda seu status de ‘solteira’ para ‘em relacionamento aberto’ com seis homens diferentes, que acaba conhecendo entre o mundo físico e o virtual. Para conseguir se situar e tentar colocar um pouco de ordem em sua vida amorosa, Wanessa criou um conjunto de regras, fórmulas e teorias malucas, na esperança de alcançar alguma lógica em um problema que parece não ter solução.
Paralelo aos seus casos complicados, a protagonista ainda tem que lidar com o surgimento de uma doença silenciosa e um provável tratamento pesado.

O enredo demora um pouco para ser desenvolvido, em parte pela contingencia de personagens, e por falta de atenção talvez até ocorra do leitor se perder em meio à meia dúzia de ‘amantes’ da Wanessa. Mas antes que algo saia errado com o roteiro, o autor consegue conduzir nosso interesse sabiamente na medida em que os pontos vão se colidindo em direção a reta final do livro.
Uma leitura de peito aberto que trata o leitor como gente grande, ao mesmo tempo em que exige dele critério na leitura. Uma protagonista com seis pretendentes pode parecer bem estranho para uma literatura retrógrada que ainda endeusa o formato ‘Romeu e Julieta’ das relações,... Mas pensando bem, a história de Wanessa bem que poderia ser a biografia de qualquer um de nós.

Para conhecer mais detalhes desta história inspiradora, clique agora no banner abaixo da Amazon e compre o seu eBook. Depois volte aqui e conte a sua própria experiência com o livro em nossos comentários.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

10 Filmes biográficos sobre grandes escritores

O cinema nunca cansa de sugar o tutano da literatura para alimentar a base de suas produções. Enquanto houver livros sendo publicados, sempre haverá uma história a ser adaptada para as telonas por Hollywood. Infelizmente, na maioria das vezes o resultado desta fusão não é lá muito satisfatório. O que nos leva ao eterno dilema de que o livro é sempre superior ao filme que fazem dele.
Em um outro ponto, e por um outro ângulo, já abordamos aqui alguns raros filmes que, segundo os próprios autores, melhoraram o livro em que foram baseados. Mas o que esses autores diriam de um filme que foi inspirado, não em uma de suas obras, mas sim em suas próprias vidas?
Parece que mesmo quando todas as obras de um escritor já foram exploradas, contadas e até refilmadas no cinema, os estúdios ainda encontram uma forma nada sutil de ganhar dinheiro filmando a biografia desses autores. Já dentro deste gênero, a margem de acerto parece ser bem maior por parte da indústria cinematográfica, e nos últimos anos alguns grandes escritores tiveram suas vidas brilhantemente levadas para o cinema.
Abaixo tivemos o cuidado de selecionar alguns desses filmes biográficos sobre a vida de grandes escritores, sinta-se a vontade para sugerir outros em nosso espaço de 'comentários'.

✔ Capote,... sobre Truman Capote
Em novembro de 1959, Truman Capote lê um artigo no jornal New York Times sobre o assassinato de quatro integrantes de uma conhecida família de fazendeiros em Holcomb, no Kansas. O assunto chama a atenção de Capote, que estava em ascensão nos Estados Unidos. Capote acredita ser esta a oportunidade perfeita de provar sua teoria de que, nas mãos do escritor certo, histórias de não-ficção podem ser tão emocionantes quanto as de ficção.
Usando como argumento o impacto que o assassinato teve na pequena cidade, Capote convence a revista The New Yorker a lhe dar uma matéria sobre o assunto e, com isso, parte para o Kansas. Acompanhado por Harper Lee, sua amiga de infância, Capote surpreende a sociedade local com sua voz infantil, seus maneirismos femininos e roupas não--convencionais. Logo ele ganha a confiança de Alvin Dewey, o agente que lidera a investigação pelo assassinato. Pouco depois os assassinos, Perry Smith e Dick Hickock, são capturados em Las Vegas e devolvidos ao Kansas, onde são julgados e condenados à morte. Capote os visita na prisão e logo nota que o artigo de revista que havia imaginado rendia material suficiente para um livro, que poderia revolucionar a literatura moderna.

✔ Eclipse de uma Paixão,... sobre Arthur Rimbaud e Paul Verlaine
O filme conta a história de um relacionamento homossexual proibido entre os poetas franceses Arthur Rimbaud (Leonardo DiCaprio) e Paul Verlaine (David Thewlis). 
Impressionado pelo talento e espontaneidade do jovem Rimbaud, o veterano Verlaine se aproxima do rapaz. Em noites regadas a absinto, os dois estreitam a amizade, descobrem o amor entre eles e escrevem alguns de seus poemas mais famosos. Porém, as amarras da sociedade e a própria intensidade da paixão entre eles começam a minar esse relacionamento.

✔ Wilde: O Primeiro homem moderno,... sobre Oscar Wilde.
A história de Oscar Wilde, poeta e dramaturgo irlandês, gênio da literatura. Não por acaso, o filme tem uma espécie de subtítulo, "o primeiro homem moderno". Na virada do século 20, Wilde (Stephen Fry) escandalizou a sociedade com a maneira que viveu sua homossexualidade. Casado e com filhos, viveu um caso turbulento com o jovem Lord Alfred Douglas, que deixou os ingleses de cabelo em pé. Por causa de seu comportamento sexual, foi obrigado a prestar dois anos de trabalhos forçados na cadeia.

✔ Medo e delírio em Las Vegas,... sobre Hunter S. Thompson
Medo e Delírio pode ser interpretado como um mergulho inconsequente pelo universo das drogas. Baseado em obra do jornalista Hunter S. Thompson, o filme recusa-se a avaliar os prós e contras do uso das drogas. Limita-se a enfocar os seus efeitos – desde a atraente sensação de incoerência até as conseqüências de uma "bad trip’’. O estilo visual acompanha o tom alucinógeno, enchendo a tela com imagens atordoantes como um suposto ataque de morcegos e uma seqüência em que os motivos de decoração do carpete começam a subir pelas pernas do protagonista.
O filme só faz sentido quando o espectador lembra que a ação se passa em 1971, quando as drogas deixavam de ter a conotação de paz, amor e a inocência dos anos 60. O alter ego de Thompson, Raoul Duke (Johnny Depp), tenta justamente resgatar os velhos e bons tempos. O título pode ser interpretado como a sua "última viagem’’. Sempre na companhia de seu advogado tresloucado, dr. Gonzo.
As aventuras da dupla têm início na estrada, a caminho de Las Vegas, onde eles deveriam cobrir um evento esportivo. Na bagagem, uma máquina de escrever, roupas com estampas floridas ou espalhafatosas e muita, muita droga.

✔ Contos Proibidos do Marquês de Sade,... sobre Marquês de Sade
A história do Marquês de Sade, que viveu na tumultuada França do século 18. Sade, além de perigoso dissidente em meio a sangrenta Revolução Francesa, foi escritor, escandalizou a todos com seus poemas eróticos, foi preso, tornou-se revolucionário e escapou da sentença de morte duas vezes.
O filme aborda a censura e a liberdade de expressão a partir de um personagem que continua a chocar no século 21 com suas obras sobre perversidades e prazeres sexuais ligados à violência.

✔ O Círculo do Vício,... sobre Dorothy Parker
Em 1937, vivendo em Hollywood, Dorothy Parker (Jennifer Jason Leigh) relembra os tempos em que pertencia ao grupo Algonquin Round Table, formado por amigos escritores na Nova York dos anos 20. Entre festas, romances e amizades com os escritores, Dorothy passa por alcoolismo, comportamento auto-destrutivo e tentativa de suicídio. Destaque para a atuação elogiada de Jennifer Jason Leigh e para os diversos atores famosos que aparecem em pontas, incluindo Harpo Marx. 
A escritora e língua afiada profissional Dorothy Parker pode não ter ganhado a cinebiografia mais divertida do mundo dada a natureza trágica de sua vida, mas teve uma interprete à altura

✔ O Carteiro e o Poeta,... sobre Pablo Neruda
Filme poético sobre a extremidade da poesia. Mario (Massimo Troisi) é um carteiro que, ao fazer amizade com o grande poeta Pablo Neruda (então exilado político), vira seu carteiro particular e acredita que ele pode se tornar seu cúmplice para conquistar o coração de uma donzela. Descobre, assim, a poesia que sempre existiu em si, assemelhando-se às descobertas de verdade pelos meios dialéticos de Sócrates-Platão. 
O filme se passa em uma ilha na costa italiana. Massimo Troisi, que morreu aos 41 anos horas após o término das filmagens, não pôde ver o enorme reconhecimento mundial que o filme teve, com as 5 indicações para o Oscar, incluindo Melhor Filme, Diretor e Ator, em 1995.

✔ Henry e June,... sobre Henry Miller e Anais Nin
Este excelente filme de Philip Kaufman introduz-nos na vida erótica de duas grandes figuras da literatura do século XX.
Ao conhecer o escritor americano Henry Miller (Fred Ward) em Paris, em 1931, uma jovem escritora chamada Anais Nin (Maria de Medeiros) embarca numa viagem de descoberta interior, anotando fielmente num diário todas as suas experiências.
Na sua busca de novos territórios, Anais e Henry vêem-se seduzidos pela inquietante sensualidade da esposa de Henry, June (Uma Thurman).
Henry & June é uma inesquecível viagem através do território desconhecido das relações humanas, baseada nas passagens suprimidas dos diários de Anais Nin.

✔ Em Busca da Terra do Nunca,... sobre James M. Barrie
J.M. Barrie (Johnny Depp) é um bem-sucedido autor de peças teatrais, que apesar da fama que possui está enfrentando problemas com seu trabalho mais recente, que não foi bem recebido pelo público. Em busca de inspiração para uma nova peça, Barrie a encontra ao fazer sua caminhada diária pelos jardins Kensington, em Londres. É lá que ele conhece a família Davies, formada por Sylvia (Kate Winslet), que enviuvou recentemente, e seus quatro filhos. Barrie logo se torna amigo da família, ensinando às crianças alguns truques e criando histórias fantásticas para eles, envolvendo castelos, reis, piratas, vaqueiros e naufrágios. Inspirado por esta convivência, Barrie cria seu trabalho de maior sucesso: Peter Pan.

✔ Anos Loucos,... sobre William S. Burroughs
O início desta história dá-se em 1944 em Nova Iorque, onde a estudante de Jornalismo, Joan Vollmer (Courtney Love) leva uma vida boêmia repleta de barbitúricos e sempre rodeada por amigos, na sua maioria, homossexuais, todos futuros "beatniks", entre os quais, o jovem poeta Allen Ginsberg (Ron Livingston), Jack Kerouac (Daniel Martinez) e William S. Burroughs (Kiefer Sutherland), o mais velho da turma e Lucien Carr (Norman Reedus) por quem todos estão apaixonados, especialmente Dave Kammerer (Kyle Secor) que termina assassinado por Lucien devido a assédios. 
Sete anos mais tarde, Burroughs, apesar de preferência sexual se casa com Joan. Tudo corre bem até que os dois são obrigados a fugir para o México depois de uma confusão devido às drogas. Lucien e Ginsberg, agora correspondentes para a UPI, decidem ir ao México visitar o casal e descobrem que Burroughs está na Guatemala traindo a esposa com um jovem.
Este acontecimento faz parte da história literária deste grupo de amigos chamados de "beats" (um movimento literário) que virou uma lenda.

Veja Também:
-Sequências de filmes já escritas, mas que jamais veremos no cinema

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Ainda em posição de alerta

O tiro foi na cabeça, uma imagem horrível. Quando o delegado chegou, encontrou o Padre estirado no chão, bem ao lado do confessionário. “Quem está por trás dos disparos?”, esta era a pergunta que rondava a cabeça do homem da lei.
Em 30 dias corridos era o trigésimo corpo encontrado nos arredores da igreja, localizada na pequena cidade de Darmstadt[1], no sudoeste da Alemanha, um ano após o fim da segunda guerra mundial.
Contudo, este disparo tinha uma diferença crucial em relação aos demais. “O tiro ocorreu aqui dentro, a bala não veio de fora”, pensou o delegado que, rapidamente pediu reforços e solicitou o isolamento do local. “Se ele estiver aqui, vamos pegá-lo”, pensou de novo.

Em minutos o santuário fora cercado e uma equipe especial da polícia estava prestes a agir em seu interior. Após uma breve conferência com seus homens, o delegado foi para a sacristia enquanto esperava pelo resultado das buscas no interior da igreja.
Rapidamente os disparos começaram. Foi uma sequência aterradora. E logo depois, um silêncio tomou conta do ambiente. Sem saber qual era o resultado de tais disparos, o delegado tentou contato pelo rádio com vários dos seus homens sem qualquer sucesso. Intrigado, ele acionou a equipe externa e nenhum dos vinte homens respondeu.
O delegado sacou a sua arma, e quando abriu a porta olhou cuidadosamente para todas as direções. O que ele viu fora seus homens mortos, caídos pelos cantos. “Quem está aí?”, gritou, e não ouviu nada, além do eco da sua própria voz.
Cuidadosamente, ele saiu da sala, e tão logo o fez foi surpreendido pelo cano gelado em sua nuca, e obedecendo ao comando recebido, deitou-se e abandonou a arma no chão. Em instantes recebeu um chute violento em sua costela. A dor fora profunda e ao contorcer-se virou seu peito para o alto e viu o cano do fuzil a não mais que um palmo de distância das suas fuças.
O jovem soldado não aparentava mais de 20 anos em sua face, carregava a marca de um tiro em seu peito e vestia um uniforme Russo: “Nazista, qual é a sua patente?”, perguntou.
“Eu sou delegado, não sou um soldado”, respondeu.
“Está preso por atentar contra a vida de um soldado Russo e será julgado como devido”, falou o soldado.
Neste instante, o delegado sentiu que um frio monstruoso percorreu todo o seu corpo e então respondeu: “Filho, a guerra acabou”.
Foi a última coisa que disse na vida, pois recebera um tiro fatal entre os seus olhos. E lá se vão décadas, pois o espírito do atirador russo ainda se encontra em posição de tiro no alto da torre da igreja. Qualquer um que se aproxime a um raio de 800 metros corridos do local é abatido com extrema precisão, do jeito que só um sniper russo é capaz de fazer.

[1] Cidade alemã que durante a Segunda Guerra Mundial sofreu um dos maiores ataques aliados da história entre os dias 11 e 12 de setembro de 1942, e que deixou mais de 12.000 mortos pelo caminho devido ao grande número de bombas lançadas pelos aliados.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

7 Livros que desconstroem a imagem dos autores que os escreveram

É muito fácil para um ator se prender a um único gênero e construir toda a sua carreira em produzir apenas mais do mesmo e variações de um mesmo tema sem nunca sair do tom. Depois que descobrem uma certa fórmula de escrever, poucos escritores se aventuram em outras áreas.
Mesmo alguns grandes nomes da literatura, como Tom Clancy por exemplo, escreveram sobre um mesmo assunto durante toda a vida. Mas nem sempre esse é o caso. Mesmo com o legado de Harry Potter sobre suas costas, nada impediu JK Rowling de explorar dramas políticos e romances policiais. Por um outro lado, alguns caminham tão longe de suas origens que fica até difícil reconhecer que certas obras foram constituídas por um mesmo autor, chegando a criar paradigmas incríveis como o Livro sobre a Vida das Fadas escrito por Sir Arthur Conan Doyle (o criador de Sherlock Holmes), o Manual Prático do Vampirismo de Paulo Coelho, o Ensaio sobre Peidos por Benjamin Franklin e outras curiosidades que já listamos na postagem sobre 7 Livros que destroem a imagem das personalidades que os escreveram.

O caso é que muitos autores consagrados também já se desvirtuaram de seus estilos e cometeram algumas discrepâncias surpreendentes, ocultas em suas biografias,.... Até agora. Confira abaixo a lista de livros que desconstroem a imagem dos autores que os escreveram.

✔ H.G. Wells criou os jogos de miniaturas
Como o autor de A Guerra dos Mundos e A Máquina do Tempo, HG Wells é conhecido hoje em dia como o pai da ficção científica. No entanto, enquanto vivo, Wells era um homem de interesses bem amplos. Além de sci-fi, sua biografia comporta várias obras sobre história, política, e... Até jogos de tabuleiro.
Mas ele também escreveu...
... 'Little Wars', um dos primeiros livros de regras para jogos de guerra em miniatura.
Um dos passatempos favoritos de Wells eram os jogos de guerra que consistiam em reproduzir conflitos militares com miniaturas de soldados (quase como o 'War' que temos atualmente), a tal ponto que ele criou a base da jogabilidade desta atividade. 
Em comparação com os modernos tomos de jogos similares, até que o manual escrito por Wells era bem simples, e ajudou muito a impulsionar o hobby pelo mundo ao estabelecer uma coerência básica nos jogos de miniaturas. Na verdade, Wells é agora considerado o pai, tanto da ficção científica, quanto dos jogos de guerra em miniatura.
Ironicamente, Wells era um pacifista.

✔ Dan Brown escreveu um guia para mulheres frustradas
Dan Brown ganhou notoriedade em meados de 2003, com O Código Da Vinci . O segundo livro de uma série protagonizada pelo professor universitário Robert Langdon, que explora teorias conspiratórias que giram em torno da sexualidade de Cristo. Em pouco tempo, Brown tornou-se um dos escritores mais bem sucedidos de todos os tempos, apesar de só ter publicado seis livros em toda a sua carreira.
Mas ele também escreveu...
... Dois livros bem esquisitos em co-parceria com sua esposa. 
Um deles é o 'The Bald Book', escrito sob o pseudônimo de Blythe Brown, que é um apunhado de imagens de famosas obras de artes com legendas bem humoradas.
O outro é '187 Men to Avoid' (187 homens para evitar), escrito sob o pseudônimo de Danielle Brown e com um subtítulo que diz: Um guia de sobrevivência para mulheres romanticamente frustradas. Publicado pela primeira vez em 1995, parece que nem o sucesso de 'O Código Da Vinci' conseguiu alavancar as vendas desse fiasco.

✔ Ayn Rand escreveu cartas de amor
Praticamente toda a obra de Rand defende o individualismo ou a sua filosofia pessoal do objetivismo, o que faz dela uma das minhas escritoras favoritas. Essa autora espetacular já escreveu clássicos como 'A Revolta de Atlas', que gira em torno de um casal que nada contra maré em um futuro distópico, e 'A Nascente', uma história sobre um arquiteto fracassado que se recusa a comprometer a estética de seu trabalho.
Mas ela também escreveu...
... O roteiro de 'Love Letters', um filme dramático que passa durante o período da II Guerra Mundial.
Roger, um soldado americano servindo na Itália durante a Segunda Guerra, não é bom em escrever cartas para a sua namorada Victoria, então seu amigo Allen faz isso por ele. Previsivelmente, Victoria acaba se apaixonando por Allen em vez de Roger. Ainda mais previsível é descobrir ao longa da história que Roger na verdade era um grande canalha. 'Love Letters' foi o primeiro roteiro escrito por Rand, embora um de seus primeiros trabalhos tenha sido uma peça de teatro. Ela também escreveu o roteiro de um outro romance de guerra chamado 'You Came Along'.

✔ Stephen King escreveu como um grande fã de esporte
São raríssimas as histórias de Stephen King que não se utilizam de elementos sobrenaturais em seu enredo. Dentro do estilo que o consagrou, podemos dizer que 'Um Sonho de Liberdade' chega a ser uma curiosa exceção em sua lista de obras. E imaginar King escrevendo sobre qualquer outra coisa fora desse gênero, chega a ser uma baita utopia literária.
Mas ele também escreveu...
... Um livro de não-ficção que foi co-escrito com Stewart O'Nan. E não, não é sobre religião, é sobre a campanha de 2004 do Boston Red Sox.
Isso não é algo que se espera de alguém que é considerado um ídolo entre os nerds, mas Stephen King é, aparentemente, um grande fã de beisebol. A notável temporada de 2004 foi quando os Red Sox finalmente venceram a World Series. Durante 86 anos o time amargou uma seca de títulos que alguns torcedores apelidaram o período de "a Maldição do Bambino", que começou depois que os Red Sox venderam Babe Ruth (alcunha "o Bambino") para o New York Yankees.

✔ JRR Tolkien escreveu um conturbado livro infantil
Tolkien passou a maior parte da sua vida escrevendo sobre linguagem e mitologia. Na verdade, sua mais recente publicação póstuma é uma tradução em prosa da lenda de Beowulf. Por conclusão, as incursões de Tolkien na construção do seu próprio mundo da Terra Média, foi uma tentativa de proporcionar ao povo britânico uma mitologia pré-histórica, algo que ele sentia falta na cultura inglesa.
Mas ele também escreveu...
... Contos e histórias infantis como 'Roverandom', 'Smith of Wotton Major', e 'Leaf by Niggle'. Todos incluíam objetos mágicos ou elementos medievais. No entanto, também temos 'Mr. Bliss', que possui uma dinâmica bem diferente. Nele, Tolkien apresenta um homem com um chapéu absurdamente alto, conduzindo o seu carro novo e vivendo de um trabalho horrível.
O livro foi escrito originalmente como uma história de ninar para crianças, mas a súbita popularidade de 'O Hobbit' tinha os editores pedindo por mais sobre a Terra Média. Ele terminou a primeira versão de 'Mr. Bliss' em 1930, mas o livro caiu em sua lista de prioridades e só foi publicado postumamente em 1982.

✔ Roald Dahl escreveu um pervertido livro adulto
Você provavelmente já conhece alguma história dos livros de Roald Dahl de quando era criança. Ele foi um bem sucedido autor infantil inglês. Algumas de suas obras mais famosas incluem 'A Fantástica Fábrica de Chocolate' e 'Matilda', ambas adaptadas para filmes populares. Geralmente, os livros infantis de Dahl são considerados de um humor negro e estranhamente sobrenatural.
Mas ele também escreveu...
... 'My Uncle Oswald', um romance adulto de corpo inteiro que você jamais imaginaria ter saído da mente de um autor de livros infantis.
O livro é sobre uma mulher chamada Yasmin Howcomely que seduz homens famosos e talentosos para coletar seus sêmens. Seu parceiro no crime, o travesso tio Oswald, em seguida, vende o sêmen roubado para as mulheres que querem engravidar dos tais homens.

✔ C.S. Lewis começou escrevendo Ficção Cientifica
CS Lewis é conhecido por muitos como o homem por trás das Crônicas de Nárnia . Alguns cristãos também reconhecem Lewis como um dos teólogos mais influentes do século 20, com obras de não-ficção cristã que ainda são amplamente divulgadas até hoje.
Mas ele também escreveu...
... Uma série de ficção científica intitulada 'The Space Trilogy', escrita entre 1938 e 1945.
A trilogia narra principalmente as aventuras de Elwin Ransom, um filólogo e professor de Cambridge. Como em Narnia , a série é altamente religiosa em sua natureza. De forma nada sutil, ela lança o cristianismo bíblico contra o humanismo secular em alguns pontos óbvios, incluindo a intervenção divina direta.

Veja Também:
7 Livros que destroem a imagem das personalidades que os escreveram