domingo, 16 de novembro de 2014

Livros sobre a Máfia que todo homem deveria ler

Depois de listarmos aqui, em duas partes, alguns livros sobre guerra que julgamos essenciais para a formação de um caráter masculino, agora resolvemos adentrar o território obscuro da Máfia e, tentando evitar alguns clássicos óbvios como O Poderoso Chefão, preparamos uma nova lista com algumas 'obras mafiosas' que todo homem deveria ler.
Já de antemão explico que isso não é uma apologia ao crime, nem nada do tipo. Entendendo que todos os nossos leitores sejam adultos e conscientes o suficiente para extrair apenas os pontos positivos dessa temática, eu quero com isso exaltar traços importantes, e até lições de vida, que podem ser aprendidos com a estrutura 'Familiar' dessa organização criminosa. Pontos importantes que fazem das produções sobre a Máfia um grande sucesso entre os homens.

É claro que também é inegável a influência do tema aqui mesmo no DpM, onde já tocamos no assunto em postagens sobre filmes, resenhas, jogos, e até um conto autoral sobre mafiosos. Basta dizer que o conjunto de escritores que gera conteúdo para esse blog é auto denominado como 'Máfia Maldita'.
Bem, sem mais delongas, confira abaixo os livros que irão te ajudar a manter os amigos perto, e os inimigos mais perto ainda.

 Mais Escuro Que a Meia-Noite, de Salvo Sottile
A trama de Mais Escuro que a Meia-Noite é tão real que em alguns momentos dá pra duvidar sobre a ficção da história. Para escrever esse romance, Sottile estudou a máfia e seu modo de agir, entendendo completamente o que leva seus integrantes a agir de maneira fria, calculista, porém imprevisível.
Mais Escuro que a Meia-Noite é um romance de sangue, amor e morte, ao qual a pena prudente e afiada do autor imprime um ritmo cinematográfico, com sequências emocionantes que se sucedem num imprevisível suspense. Uma história de máfia que não cede à retórica nem aos estereótipos do gênero e compõe um quadro vibrante, de rara potência dramática.
Me arrisco a dizer que essa é a primeira história de mafiosos que me deparo, que possui um certo apelo feminino, com mulheres desempenhando papéis importantes dentro da trama, fugindo totalmente do tradicional papel de coadjuvantes que estamos acostumados a ver.

✔ A Família Corleone, de Ed Falco
Baseado no roteiro do autor de O Poderoso Chefão.
Nova York, 1933. Enquanto os Estados Unidos afundam na Grande Depressão, as associações criminosas prosperam com a venda de álcool e outros negócios escusos. Porém, percebendo a proximidade do fim da Lei Seca, uma guerra entre as famílias ligadas à máfia é inevitável, iniciada pela poderosa família de Guiseppe Mariposa, o que irá determinar qual organização ascenderá e qual será eliminada. 
Nesse cenário, Vito Corleone busca o melhor para sua família, distanciando-a de suas atividades, mas seu filho mais velho Sonny não está inclinado a se afastar e seu filho adotivo Tom Hagen parece estar cada vez mais envolvido. Então resta ao justo e implacável Don garantir que o legado dos Corleones seja mantido.

✔ O Chefão dos Chefões, de Vito Bruschini
Abrangendo um período que vai de 1919 a 1943, este livro se inscreve na melhor tradição dos romances de máfia. Não só: ao ficcionalizar os vários elementos que contribuíram para a formação da Cosa Nostra, Vito Bruschini traça um painel da história e das tensões sociais que prepararam o surgimento dessa organização. 
À medida que o enredo se desenvolve, o leitor também assiste ao surgimento de grupos fascistas que alteram as estruturas tradicionais de poder, forçam a fuga de antigos potentados para os Estados Unidos e desencadeiam uma reordenação de forças que terá consequências duradouras.

✔ Operação Segredos De Família, de Frank Calabrese Jr.
Na década de 1990, o FBI conduziu uma operação que desmontou um dos braços mais importantes do crime organizado nos Estados Unidos: a centenária máfia de Chicago, conhecida como "a Organização", da qual fez parte Al Capone. Frank Calabrese Jr. foi a chave para o sucesso da ação, colaborando com a investigação e entregando o próprio pai, numa atitude que pode ser considerada não apenas como violação das leis de ética do crime organizado, mas dos princípios da própria família. 
Este livro narra essa história real, a partir da rotina da família de Calabrese, dominada por um patriarca violento, que alicia um irmão e dois de seus filhos para a máfia. Frank Jr. escreve - com o apoio dos escritores irmãos Keith & Kent Zimmerman e de Paul Pompian - sobre a cerimônia de iniciação, a conduta dos membros da Organização e toda a rotina de jogo, extorsão, chantagem, tortura e homicídios. 
Em 1997, Frank e seu pai são condenados por extorsão e chantagem e mandados para a mesma penitenciária. Lá, ele decidiu mudar de vida e, largar o mundo do crime. Durante seis meses, usou um equipamento de escuta, com o qual gravou os momentos em que seu pai relatou os crimes mais violentos. Dez anos depois, o pai de Frank e outros tantos mafiosos foram finalmente condenados. Uma história real contada por quem está marcado para morrer.

✔ Educação Siberiana, de Nicolai Lilin
Publicado originalmente na Itália, onde alcançou sucesso de crítica e de vendas, Educação Siberiana é um relato chocante do submundo de uma comunidade de criminosos russos. Nicolai Lilin, o autor, cresceu em uma terra de ninguém na ex-União Soviética e desde cedo conviveu com um mundo violento, ditado por seus próprios códigos de conduta. 
Sua narrativa, baseada em fatos reais, constrói um retrato impactante sobre a vida dos chamados urcas siberianos, com suas famílias unidas por um forte senso de lealdade, em constante guerra contra policiais, soldados e facções criminosas rivais. Conforme ele cresce em meio a essa realidade hostil, o leitor acompanha sua educação criminal e mergulha na dura realidade dos urcas, resumida no provérbio que abre esse impressionante relato: "Há quem goze a vida, há quem a sofra; para nós, a vida é combate." 
Nicolai Lilin narra sua infância na Transnístria - uma terra de ninguém, para onde uma grande parte da comunidade dos criminosos siberianos foi deportada no início do século XX. Ao longo dessas páginas vívidas e chocantes, acompanhamos sua "educação": os complexos códigos que regulam a vida dos urcas siberianos e que são transmitidos pelos mais velhos com paciência e rigor.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Antologia em tributo a Charles Bukowski dá um novo fôlego para as coletâneas!

As coletâneas, livros que reúnem textos de diferentes autores escrevendo sob uma mesma temática, tiveram seu ápice há cerca de cinco anos. Havia dezenas, talvez centenas de projetos de coletâneas circulando pela internet, dos mais variados selos, dos mais diferentes temas. Uma chance expressiva para que novos escritores, muitos nunca publicados, divulgassem seus textos em um livro.

No entanto, com o passar dos anos, a qualidade destas publicações caiu consideravelmente. Coletâneas se transformaram em verdadeiros balaios de escritores, e algumas saíam com setenta, com cem autores em uma mesma edição. Passou-se a desprezar a qualidade dos textos; a excelência na elaboração da capa; os cuidados com revisão gramatical, edição, produção, divulgação, e outros detalhes que fazem toda a diferença no final. 
Resultado: os autores passaram a ver as coletâneas com desconfiança, e até com desprezo. Com razão. Muitos viveram na pele a experiência de ter seu texto publicado em um livro sem qualquer aprimoramento, sem qualquer cuidado, comprometimento e profissionalismo. E, atualmente, pouco se ouve falar em coletâneas. A má qualidade e o descomprometimento de editores e editoras colaboraram efetivamente para enterrar as coletâneas no hall das publicações com forte potencial para o fracasso.
Contudo, recentemente a Editora Os Dez Melhores decidiu fazer o caminho oposto da maioria das editoras, e apostar novamente em coletâneas, oferecendo para elas a mesma qualidade, dedicação e exclusividade destinadas aos seus autores solos, e aos lançamentos de seu selo social, o Nascedouro.
Jana Lauxen e Alexandre Durigon, editores da Editora Os Dez Melhores, sabem o desafio que tem pela frente:
– O desleixo e a falta de profissionalismo que assinalaram a publicação de coletâneas nos últimos anos marcaram negativamente este gênero literário, e precisamos agora romper as barreiras e as desconfianças que assombram este tipo de publicação. Mas estamos dispostos a fazer acontecer – garante Alexandre, que escreve sob o pseudônimo Afobório.
E é Afobório, aliás, o nome por trás da organização do primeiro coletivo da Editora Os Dez Melhores. Trata-se do livro Big Buka – Para Charles Bukowski, que buscará homenagear o escritor Charles Bukowski através de contos que versem sobre as temáticas que sempre permearam sua obra: bebedeiras, mulheres, literatura, cotidiano, melancolia.
Serão selecionados somente dez textos, de dez autores. A ideia é justamente publicar poucos escritores, a fim de oferecer a cada um a atenção e os serviços que merecem.
E assim como ocorre com todos os lançamentos realizados pela Editora Os Dez Melhores, o coletivo Big Buka – Para Charles Bukowski contará com uma ilustração inédita e exclusiva em sua capa, elaborada pelo ilustrador gaúcho Emerson Wiskow. Também desfrutará de todo aparato de divulgação oferecido pela editora, que através de sua assessoria de comunicação elaborará releases, resenhas, entrevistas com os autores e reportagens sobre a obra, contatando mais de 300 veículos de comunicação, entre impressos e digitais – incluindo os das cidades dos escritores selecionados.
Todo o investimento deste lançamento, bem como a divulgação e distribuição da obra, ficará sob inteira responsabilidade da editora. Ou seja: os autores selecionados não precisarão pagar qualquer taxa, e nem se comprometer com a aquisição de um número X de exemplares. Muito pelo contrário: cada autor receberá, gratuitamente, um exemplar do livro.

A tiragem da publicação será comercializada e distribuída pela própria editora através de atividades literárias envolvendo escolas e instituições de ensino.
A seletiva, que selecionará dez contos para o coletivo Big Buka – Para Charles Bukowski, está aberta até o dia 10 de dezembro de 2014.
Clique Aqui para conferir o regulamento, e participe! 
É a chance de ser você e mais nove.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

A Maldição do Cinema - Subconscious Cruelty

Subconsciou Cruelty
Diretor: Karim Hussain
Roteiro: Karim Hussain
Ano: 2000
País: Canadá
Atores: Brea Asher, Ivaylo Founev, Eric Pettigrew

Quando o assisti, logo após o término, permaneci um tempo sentado no chão, pensando na péssima viagem por ele proporcionada e esperando passar o gosto ruim que permaneceu na boca. Que filme é esse? O que escrever sobre? Por que alguém o filmou? Resumindo numa só pergunta: Como é possível que alguém tenha conseguido realiza-lo? Trata-se de um daqueles trabalhos que, se você não assiste, jamais acreditará que existe. Mas é impossível sair ileso dele, portanto, pessoas sensíveis, gestantes e muitos outros, mantenham-se distantes dessa obra.
Subconsciou Cruelty é bizarro, grotesco, perturbador, chocante e sinceramente, não vejo por quê em sua existência. Diferente de Begotten (Que logo será apresentado), Subconscious não traz nada além de aflição e mal estar.
Minha leitura é de que este filme, dividido em três partes, apresenta uma grande viagem pelas profundezas da mente de um assassino, de uma pessoa perturbada capaz de matar alguém. Sonhos, pensamentos e pesadelos de uma pessoa desajustada e perigosa. Uma sucessão de acontecimentos e imagens bizarras que causam repugnância.
Considerado por muitos como um dos filmes mais grotescos já realizados, foi censurado e banido em quase todos os países onde foi exibido. Realmente é necessário ter estômago forte para assisti-lo. Alguns dizem que existe uma aura de misticismo ao seu redor. Para mim, se você tem apreço por esse tipo de trabalho, aconselho a procurar ajuda psicológica.

Mas fica a pergunta, qual o objetivo de um filme como este? Como ninguém é obrigado a assisti-lo, que o diretor e os demais sejam livres pra produzir o que bem entenderem.
Particularmente não é o tipo de filme que procuro, o guardo como parte da minha coleção, jamais o reassistiria. Assista por sua conta e risco.
Na íntegra e legendado para você. Boa sorte.

Promoção Cultural - "SOMBRA E OSSOS"

O blog Dito pelo Maldito, em parceria com a Editora Gutenberg, preparou uma promoção cultural que vai sortear um exemplar do livro 'Sombra e Ossos' de Leigh Bardugo, e te dar a chance de levar pra casa um exemplar dessa aventura fantástica!
Sinopse: "Alina Starkov nunca esperou muito da vida. Órfã de guerra, ela tem uma única certeza: o apoio de seu melhor amigo, Maly, e sua inconveniente paixão por ele. Cartógrafa de seu regimento militar, em uma das expedições que precisa fazer à Dobra das Sombras – uma faixa anômala de escuridão repleta dos temíveis predadores volcras –, Alina vê Maly ser atacado pelos monstros e ficar brutalmente ferido. Seu instinto a leva a protegê-lo, quando inesperadamente ela vê revelado um poder latente que nunca suspeitou ter.
A partir disso, é arrancada de seu mundo conhecido e levada da corte real para ser treinada como um dos Grishas, a elite mágica liderada pelo misterioso Darkling. Com o extraordinário poder de Alina em seu arsenal, ele acredita que poderá finalmente destruir a Dobra das Sombras.
Agora, ela terá de dominar e aprimorar seu dom especial e de algum modo adaptar-se
à sua nova vida sem Maly. Mas nesse extravagante mundo nada é o que parece. As sombrias ameaças ao reino crescem cada vez mais, assim como a atração de Alina pelo Darkling, e ela acabará descobrindo um segredo que poderá dividir seu coração – e seu mundo – em dois. E isso pode determinar sua ruína ou seu triunfo."

Para participar do sorteio, basta seguir os simples passos descritos abaixo no regulamento da promoção, e torcer para ser o sorteado...
✔ Para início de conversa, os participantes precisam CLICAR AQUI e 'curtir' a página da EDITORA GUTENBERG no Facebook.

✔ O sorteio ocorrerá pelo sistema sorteie.me no Facebook. Então, é primordial que em seguida você faça como esses outros 'malditos' abaixo e dê o seu 'curtir' em nossa fã page do blog também...

✔ Por fim, basta CLICAR AQUI para acessar e compartilhar (em caráter público) a postagem da promoção em seu perfil do Facebook, e confirmar a sua participação no sorteio pelo aplicativo sorteie me.

E PRONTO! Você já está participando do sorteio que vai rolar dia 16 de Novembro de 2014. O ganhador será avisado por mensagem privada em seu perfil do Facebook ou por e-mail, e terá 48 horas para responder ao aviso e informar um endereço dentro do nosso território nacional para o envio do exemplar.
Participe!!!

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Ela era mesmo diferente de todas as outras

Bonita demais. E quente demais também. Eu a conheci em um barzinho mequetrefe. Eu havia bebido um bocado. E fazendo um resumo, ela se sentou ao meu lado e olhou no fundo dos meus olhos e me pediu um pouco de cerveja.
Lembro de que fui muito generoso e logo de cara entreguei meu coração e muitas cervejas a ela. A gente se deu bem. Então eu a levei pra minha casa e disse que poderia ficar pelo tempo que quisesse. Eu sei que parece loucura, mas o amor é como a gripe, a gente pega sem querer.
Depois de trepar ela gostava de fumar e de falar sem parar. Dizia que estava morta há vinte anos. Então eu respondia que nem dava pra perceber. Eu achava que tudo não passava de entusiasmo e bebedeira.
Só que em dezembro de 1978 ela me deixou com a cara no chão. Porque quando me disse que iria embora eu fiquei frio, mas quando ela atravessou a parede eu liguei pro meu psiquiatra e pedi socorro.
Então a minha vida virou um inferno. Ele queria que eu parasse com a bebida e que tomasse medicação controlada. O doutor era gente boa, mas eu não ia entrar na dele. Porque dava pra ver que ele entendia da cabeça, mas não sacava nada do coração da gente.
Eu sei que parece mesmo duro de acreditar, mas cara, ela era diferente de todas as outras. Porque de todas as mulheres com quem dormi um tempo, só ela não saiu batendo a porta. E isso arruinou a minha cabeça e o meu coração.
Você me entende?