sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Ironicamente Maldito (CrossOver surpresa)

Esse é um Crossover, mega atrasado, com Zek do blog Ironicamente Perdedor. Eu estava devendo essa  faz tempo para o Zek, mas pelo menos ele saiu ainda esse ano, rsrsr. Fica aí a fusão de dois blogs, criando o...

Ironicamente Maldito
Somos os mesmos e vivemos como nossos pais.......

ZEK
Iniciamos a vida sendo ensinados por nossos pais, aprendemos a maneira como nos relacionamos com a vida, objetos, valores e princípios que acabam norteando nossa vida, ainda que mudamos muito do que aprendemos, a essência continua em nós.
Na passagem da adolescência para a juventude nos vemos diferente dos nossos pais, em alguns casos os vemos até mesmo como inimigos, como se houvesse uma necessidade de defender as novas informações que na maioria das vezes não encontra respaldo em nossos país, é o rompimentos com as idéias de uma geração que se foi e ao mesmo tempo uma celebração as novas idéias juntamente com nossa independência.
E um dia percebemos o quanto temos de nossos pais, mais do que esperamos ou até mesmo desejamos, olhamos no espelho e vemos que somos muito deles, nossa forma de ver, nossos "pontos de vistas", qualidades e principalmente os defeitos, somos feitos a imagem e semelhança.

Dias atrás fiz uma viagem curta para o litoral de SP, com a família da minha noiva, como todo paulista estávamos atrasados e como todo homem consciente de que a culpa era de sua "senhora", e após momentos de stress me vi fazendo exatamente o que minha mãe faria, a mania de falar tudo que vem a cabeça no pico do stress e depois se arrepender, mas já sendo tarde pois uma vez falado nunca mais se esquece.
Já no litoral em outra ocasião estávamos do lado de fora de uma balada ouvindo o som e namorando próximo a praia altas horas da madruga me recusando a voltar para casa, me vi com o defeito ou qualidade do meu pai em convencer as pessoas a fazer o que ele quer, fato esses entre outros que me fizeram pensar , porque brigamos tanto com nossos pais, e porque nos tornamos tão parecidos inconscientemente... vejo amigos meus extremamente igual a seus pais e o tempo todo brigando com eles.

Mudam-se os tempos, os padrões de certo e errado da sociedade a regra dos bons e mal rapazes mas o fato é que trazemos na bagagem "nossos pais", através do óculos com os quais vemos o mundo, os ditados... estão todos aqui inclusive aquilo que não gostamos neles.
Há uma musica que diz "O novo já nasce velho", respostas a este fenômeno eu não tenho, genética ou criação, hipóteses ... o fato é que hoje temos mais liberdade mas "apesar de termos feito tudo que fizemos, ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais".

Maldito

Eu fui criado longe do meu pai, tivemos muito pouco contato durante toda a minha vida, apenas telefonemas em datas festivas. Há quase dois anos que estou morando perto dele, e nosso relacionamento tem sido ótimo.
Mas o que quero dizer, é sobre os comentários da minha (agora conhecida) família paterna, e dos amigos do meu pai. Sempre tenho que ouvir sobre como eu me pareço com meu pai fisicamente e porque não, no comportamento diário também. É impressionante como mesmo não tendo sido criado perto dele, o sangue falou mais alto e eu herdei vários traços do meu pai, incluindo o mau humor ácido. Dizem que se eu tivesse sido criado por ele, talvez não fosse tão parecido com o coroa.

Um caso interessante.
Eu estava a exatos dez anos sem ver meu pai quando, em fim, em 2008 nos encontramos novamente.Ao descer do avião , eu o vi ao longe me aguardando no salão de desembarque, reconheci meu progenitor na hora em que pus os olhos sobre ele, e foi como se eu estivesse olhando para eu mesmo.
Mais tarde, no mesmo dia, eu tomava uma cerveja com meu pai quando ele contava histórias sobre o meu nascimento, e eis que solta a seguinte frase, “Quando te peguei no colo pela primeira vez e olhei pra você, foi como se eu estivesse olhando pra eu mesmo!”,. .gelou aí do outro lado? Explica isso...
Ah, tem também a minha mãe,. .mas meio post é muito pouco pra falar dela.


CLICA AQUI, e conheça
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
7 Comentários

7 comentários :

  1. Olha queridos, a herança é inegável, mas acredito muito que nós somos uma mistura do meio e do acaso, mesmo que o normal seja repetir determinados comportamentos dos nossos pais uma hora damos um boom e mostramos um pouco a noss aprópria matéria. bjus e bjus

    ResponderExcluir
  2. Eu não pareço com ninguém da minha família. Muito menos no jeito de pensar! Caí do bico da cegonha quando ela ia me entregar em outra casa... rs

    Beijocas

    ResponderExcluir
  3. Gostei do cross, valeu a espera e aconteceu de ser depois de uma pausa no meu blog, depois dessa tenho mais é que voltar, depois de um tempo de preguiça ( traços do meu pai) hora de fazer diversas coisas ao mesmo tempo ( traços da minha mãe).

    Abs.

    ResponderExcluir
  4. Bom, eu talvez tive a oportunidade de crescer sem meu pai e vejo isso como oportunidade porque com certeza se tivesse crescido com ele ao meu laod talvez não teria o mesmo caráter que tenho hoje.
    muitos ainda dizem que sou muito parecida com ele no jeito e na hora de tomar certas decisões mas a partir do momento em que começamos a criar uma própria vida nossa, tudo muda mas a herança paternal ainda fica.
    fico feliz que ainda sim depois de tanto tempo tenha se envolvido com seu pai,
    gostarua muito de algum dia me sentar com ele pra tomar uma cerveja e ele tentar me explicar se o meu nascimento realmente foi importante pra ele!

    desejo sorte ao relacionamento de vocês.

    ResponderExcluir
  5. Olá!

    Bela história e não há nada melhor do que sabermos que somos idênticos aqueles que amamos.
    Pena que isso aconteça somente após a fase 'boba' da rebeldia.
    Adoro perceber minhas semelhanças com meus pais,mesmo no defeitos.É uma ligação inexplicável.
    Adorei seu texto e que foi também uma declaração de amor aos seus entes queridos.
    Vou ler sua coluna de hoje.
    Abs!

    Carol Sakurá
    http://lepoeteenfleur.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Filho de peixe tubarão é, aceitar as raizes é fortalecer os laços eu meu orgulho dos meus pais com todas as nossas supostas diferenças, e enquanto o tempo passa elas diminuem e eu me pareço cada vez mais com eles até mesmo nos micos.

    Beijosss

    ResponderExcluir
  7. Hehehe, eu gelei aqui, sim.

    Algumas coisas paternas ficam, outras podemos mudar. Mas não é simples.Só q, muitas vezes, necessário para nossa liberdade.

    ResponderExcluir