quarta-feira, 3 de março de 2010

Colecionada

Ela precisou de alguns segundos antes que pudesse recobrar por completo sua visão. Eu sempre adoro esse breve momento de adaptação, quando elas abrem os olhos e tentam de maneira desorientada, absorver o máximo de informações possíveis pelo seu limitado campo de visão, . . não se pode ver muita coisa quando se está amarrada a uma maca hospitalar de ponta cabeça.
- Que bom que acordou, ... eu estava ficando impaciente. Mas não a culpo,. . talvez eu tenha exagerado na dose de anestesia.
-Isso não pode estar acontecendo.
A primeira fase da dor da morte,. . a negação. Eu preferia pular essa parte, é sempre a mesma conversa, elas nunca conseguem ser originais nessa hora. Para facilitar minha vida, eu costumo preencher o pequeno campo de visão delas com seus troféus, qualquer tipo de souvenir que possa responder rapidamente à tradicional pergunta . .
-O que eu estou fazendo aqui?
-Será que todos esses recortes de jornais na parede não te dão uma pista óbvia ? - mesmo com as respostas diante delas, sempre insistem em perguntar. – Estamos aqui pelos seus troféus,... suas vítimas querida, todos parte de sua coleção agora. A Colecionadora, é assim que os jornais te chamam. . belo nome para uma serial killer.

Notícias Populares
"A polícia segue sem pistas para o “Caso K” nome código usado para identificar a série de assassinatos que tem feito vítimas entre os homens na faixa de vinte anos de idade. O assassinato em série tem sido praticado por uma mulher conhecida apenas como a Colecionadora, de acordo com os legistas a serial killer extrai de suas vítimas ainda vivas um pedaço de seu corpo para sua suposta “coleção . As partes são escolhidas de acordo com o melhor talento de suas vítimas, como os dedos de um pianista, a panturrilha de um maratonista, e o pênis de um ator pornô (nomes preservados), a lista de bizarrices da Colecionadora segue, mas não se repete, o que faz a gente se questionar o que ela fará ao completar sua colação de pedaços humanos masculinos."

-Seu idiota! Você não sabe quem eu sou,...não deveria se meter comigo. Eu vou acabar com você.
- Sim,...você é parecida comigo. A diferença é que, além de mais anos de prática,... eu sou de verdade.
Segunda fase,...a raiva, dessa eu gosto. Dentes rangendo, palavras ásperas, turbinado pela pressão que o sangue exerce sobre o cérebro quando se está de cabeça pra baixo. Sempre aproveito esse momento para pegar meus instrumentos,...a abertura do meu estojo de facas é um momento sublime, que fatalmente cessa seus xingamentos e devolve o silêncio ao ambiente.
E então entramos na terceira fase,...a barganha.
-Escuta,..podemos conversar? Se você me tirar daqui, eu posso ser uma menina boazinha,. . quem sabe a gente não possa se divertir um pouco gatinho?
-Mesmo achando que usar o corpo para qualquer tipo de negociação seja um hábito detestável. Tentarei compreender sua posição. Não se tem muito o que negociar quando se está nua e amarrada. Agradeço sua oferta,..mas eu não sou colecinável.

Quarto estágio?
-Por favor,...não me mate,...por favor....não faça isso.- convulsões e choro acompanham o kit
Aí está ,... a depressão, ela aparece quando se toma a consciência de sua situação, quando já não consegue negar sua condição, quando a morte é claramente sentida. Apesar de tudo, eu considero uma atitude evolutiva, já que negar não adiantou, agredir e se revoltar também não, fazer barganhas não resolveu. Surge então um sentimento de grande perda. É o sofrimento e a dor psíquica de quem percebe a realidade nua e crua, como ela é realmente, é a consciência plena de que nascemos e morremos sozinhos.
-Bom,...acho que já podemos encerrar esse caso, colecionadora,... pronta para ser colecionada? – aproximo a faca escolhida do pescoço dela, e com o pé empurro e posiciono o balde que irá amparar o sangue que escorrer quando eu talhar seu pescoço.

-Por favor,.. não estrague meu rosto.
Quinta e última fase,. .a aceitação. Agora ela já não experimenta o desespero e nem nega sua realidade. Esse é um momento de repouso e serenidade antes da longa viagem, mas ainda assim tem o instinto de tentar preservar , a arma que usou para atrair suas vítimas, surpreendente.
-Farei o possível para que seja um belo cadáver, querida. Mas apesar da prática, minha mão costuma tremer nesses momentos .Espero que entenda.
A faca com serras foi propositalmente escolhida, costuma prolongar o sofrimento, meus movimentos lentos acrescentam “requinte de crueldade” ao ato.
Espero ter sido mal o suficiente,...com todo o amor que eu nunca tive.
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
23 Comentários

23 comentários :

  1. que texto cruel até o talo. Mas, eu gostei.

    ResponderExcluir
  2. Até mesmo o conto do Maldito é malvado...rs.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. é... aprecie com moderação! Muito bom!

    ResponderExcluir
  4. Caramba.. no começo eu tava achando que era a Colecionadora que tinha pegado outra vítima, depois q vi q agora ELA era a vítima.

    Adooorei!

    Rumm, tomara q ela faça parte de uma bela coleção...

    ResponderExcluir
  5. Obrigado Letícia,..por ter pêgo na integra, o espírito da coisa.

    ResponderExcluir
  6. Poxa Maldito tu anda cruel ultimamente!

    Mas o texto ta otimo

    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Eu tb entendi a mesma coisa que a Letícia! Muito legal o desfecho da história!
    Obrigada pelos elogios la no meu blog, viu?!
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. oww acordo e levo um susto com esse texto ótimo, do meu segundo melhor escritor do dia?
    Palmas de pé. Mal para maiores. se moderação, um degust!
    =]
    bjss

    ResponderExcluir
  9. Amei o texto.
    Essas linhas despertaram tanto o meu lado maligno... rsrs
    Bjoos! ;)

    ResponderExcluir
  10. bem dexter hein? mas adorei a forma que você escreve.
    to seguindo.

    xx
    *.*

    ResponderExcluir
  11. Vou confessar que fiquei com medo do blog inteiro, rs.
    Cruel o texto. PROFUNDO!
    Mas curti.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. A Colecionadora de Serial Killer passou a ser vítima. Uau. Li em um fôlego só.

    ResponderExcluir
  13. ui, super interessante.
    adoros mistérios, ainda mais relacionados a morte !

    bj

    ResponderExcluir
  14. Muito, muiito bom. Imaginei como cena de filme. Merecia.

    ResponderExcluir
  15. Deu medo...rs

    Mas gostei bastante.
    :*

    ResponderExcluir
  16. E no fim, quem é a vitima da historia? rs

    beijos

    ResponderExcluir
  17. hahaha morte boa tem que se dolorosa, adorei a faca com serras no final kkk

    ResponderExcluir
  18. POOOOOOOOXA, cara, muito bom meeesmo!
    caraca, o jeito que você usa as palavras faz com que quem tá lendo mergulhe de cabeça no texto!
    gostei muito!
    beijo!

    ResponderExcluir
  19. Caraca Maldito, nunca li algo assim nos blogs. Muuito legal, a gente fica imaginando todo o crime, muito bom mesmo,Parebéns.
    beeijos, voltarei sempre aqui.

    ResponderExcluir
  20. adoorei esse texto :D
    me lembra Dexter, uma serie que eu assito ;D

    beijos :*

    ResponderExcluir
  21. Dejame vê, dejame vê...

    Porque será que eu acho que a minha opinião aqui é de extrema relevância...

    Acredito que isso seja mera ficção, pois creio que a Colecionadora não coleciona partes do corpo... E sim "parte". Uma única coisa. Será mesmo? Estudar seriais é bem complicado.

    Acredito que essa serial possui uma compulsão por colecionar, como um vicio, é como água, não há como evitar a sede...

    Sendo assim, os crimes continuarão acontecendo, pois a serial ainda permanece viva...

    Nos meus estudos sobre a colecionadora, ela tenho como tese que ela não coleciona coisas roubadas...

    Na minha tese sobre a Colecionadora:
    Ela não mata as vitimas, e sim as confunde. A colecionadora é o maior mistério de todos os tempos. Para que ela faz isso? Porque? É a pergunta que não se cala.

    Doença? Prazer? Compulsão? Vá saber...

    ResponderExcluir
  22. sinceramente, eu não tenho msm mentee pra escreveer assim. bastante crueel vooc. ée. dáa medo! Parabéns Pelo Blog. Show. GOSTEEI. =] . by: Nane Vidal.

    ResponderExcluir