segunda-feira, 19 de julho de 2010

Já não se escreve cartas de amor

Não são apenas os objetos que se tornam obsoletos com o avanço da nostalgia da modernidade, os ciclos de “upgrades” cada vez mais curtos, estão extinguindo alguns velhos hábitos da humanidade também, nem sempre por culpa da tecnologia, mas em parte pela malícia adquirida pela raça humana ao longo dos seus séculos de ignorância.
Sim, de certa forma ainda somos os mesmos e vivemos como os nossos pais, mas atualmente estamos vacinados contra as armadilhas do percalço da vida, e se a própria lei atual , nos protege dizendo que nenhum cidadão é obrigado a forjar uma prova contra si, quem seria estúpido o suficiente hoje em dia para escrever uma carta de amor?

E eu não estou me referindo a mails, scraps, depoimentos, tuitadas ou qualquer outro aparato de internet que você, péssimo romântico moderno, possa ter usado para expressar todo o seu “amor” por alguém. Pergunte aos seus pais, provavelmente eles devem possuir uma antiga carta de amor guardada em algum lugar, esse tipo de coisa não dá pra se deletar ou excluir assim tão fácil.
Cartas de amor levam tempo, e já começam a ser escritas antes mesmo da caneta tocar no papel, é algo mais puro, por ser de próprio punho. São eternas, se não no papel, são na memória de quem as recebe. Possuem a essência e a personalidade de quem às escreve. Muitas vezes são recheadas e complementadas com desenhos, fotos, poemas, músicas e acredite, até cheiros. A internet não conseguiria reproduzir algo tão pessoal assim, nem que conseguisse transmitir odores pela rede.
Deixar uma prova tão substancial como essa na mão de outros é um entrega que a sociedade atual não está mais disposta a fazer. Cartas de amor são válidas em juízo e logo logo, podem ser usadas contra você em algum tribual da vida.
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
16 Comentários

16 comentários :

  1. Eu postei algo parecido no meu blog, até coloquei um papel com minha letra para não esquecer como se escreve de verdade ... "papel e caneta".
    O mundo evolui mas tem coisas que nunca mudam.
    Cartas de amor tem que ser escritas com letras delicadamente tremidas de amor e medo da rejeição.
    Bjs doces pra ti!

    ResponderExcluir
  2. `E bem isso mesmo. O que não gosto dessa tal "muderninade' é o afastamento das coisas.

    Ja disse e repido. Adoro esses teus posts assim...

    beijo, Vampirão.

    ResponderExcluir
  3. Melhor post desse ano após os audios, claro. Eu escrevo cartas de amor, faço provas contra mim rsrs. Mudou de estilo, mas não perdeu o tato, ficou excelente!Ou como vc mesmo diria '' muito excelente''. bj

    ResponderExcluir
  4. Adorei, realmente o verdadeiro sentido. não só do amor e suas cartas, tem se perdido em meios tão fúteis usados pra expressar coisas tão sublimes.

    ResponderExcluir
  5. uau, adoreii!! vc qndo para p escrever arrasaa.

    bjosss...

    ResponderExcluir
  6. Quando você escreve uma carta de amor você esta muito mais do que escrevendo sobre um sentimento...
    Você o esta provando...
    Talvez por isso atualmene tantas pessoas tenham deixado de fazer isso...




    ;*

    ResponderExcluir
  7. Concordo em gênero, número e grau. Quando eu era muleque, escrevi algumas dessas. Mas hoje, em sã consciência, não vendo minha alma por tão pouco mais não hahaha

    ResponderExcluir
  8. Cartas de amor...
    Cartas que sejam!

    Artefatos insubstituíveis na minha vida. Por falar nisso, passa o endereço ae! =))

    Beijooos

    ResponderExcluir
  9. Se "nenhum cidadão é obrigado a forjar uma prova contra si, quem seria estúpido o suficiente hoje em dia para escrever uma carta de amor?" ;)

    Eu.

    Vivo dizendo que cada post pseudo-romântico meu é uma prova que forjo contra mim mesma ;P Mas, mesmo assim, continuo forjando.
    Sem contar que ainda escrevo cartas à moda antiga, exatamente como tu descreveu. O Maldito também lê mentes? Pq eu super me identifiquei com o texto! ;P Gostei muito.

    ;D

    ResponderExcluir
  10. Os sentimentos das coisas nas coisas, mudaram e acompanharam a "evolução", por isso a virtualidade das emoções que nos remete a uma desnecessidade do simples fato de escrever pra alguém, uma vez que existe celular, e-mail, orkut e por ai vai...
    Sinto as pessoas cada vez mais superficiais e vazias ao extremo que mal conseguem enfrentar uma decepção sem fazer disso um trauma pra vida inteira (quanto dramalhão)
    que dirá escrever cartas e de amor!

    PS: Ainda se vende caneta???

    ResponderExcluir
  11. "Não existe amor?! Apenas provas de amor..."
    Uma carta é um documento, mas também é um alento. Tenho várias e todas, mesmo não sendo de amor, o são. Escrever é uma artesania sempre, mesmo no teclado (embora a grafia sempre entregue mais que a escolha da fonte). Um namorado me escreveu uma carta de amor à máquina - Olivett Lettera - e acabei o romance. O que esperar de alguém assim?!
    Uma carta de amor pode ser um recadinho no verso de um adesivo, um recado na parede da escada, uma crônica publicada, uma garrafa lançada ao mar...
    Quer o meu endereço?

    ResponderExcluir
  12. Falou, e disse!
    Qual seu endereço mesmo para eu mandar uma? Não de amor, claro, de amizade mesmo!

    Bjos ú&e =***

    ResponderExcluir
  13. Ainda troco cartas com alguns amigos que ficaram nas cidades por onde passei, mas infelizmente isso se torna mesmo cada vez mais raro. =/


    As pessoas não tem mais tempo nem pra esse tipo de demonstração, preferem mandar gifs prontos pelo orkut. >.<

    Mesmo muito triste. Meus pais tem um monte de cartas guardadas que mandavam um pro outro e eu sempre que viajo tento mandar uma cartinha pro meu namorado de longe... *-*

    Ai ai. .. l'amour!

    ResponderExcluir
  14. Oi Maldito! Faz tempo que não venho por aqui, não é mesmo?! Enfim. Ocupações de uma quase desempregada.
    Cartas, cartas. Não possuem a mesma magia que as cartas, mas os postais, pelo menos para mim, adquiriram um significado único de carinho e bem querer... Tenho alguns, mando muitos, e assim mantenho vivo algo que não seja tão frio, virtual e imediatista. Enfim.

    Beijo.
    Lembra ainda de mim, né?!

    ResponderExcluir
  15. Há pouco tempo, pensei justamente em quanto sentia falta de conhecer a letra de alguém, sentir a textura do papel, esperar com ansiedade o correio... então, comecei a me corresponder com alguns amigos através da 'velha' cartinha e estou adorando! É bem mais pessoal e, sim, dá para sentir até o cheiro!
    Beijo

    MeninaMisteriosa

    ResponderExcluir
  16. Enquanto eu lia esse texto eu cantarolava a musica aquela musica do Leoni..

    "Guardo pra te dar, as cartas que eu não mando. Conto por contar, e deixo em algum canto"

    E tudo que eu já tive até hoje, foi um bilhete escrito a lápis que já nem mais consigo ler, de tanto ficar na carteira que o atrito e o tempo apagou.

    ResponderExcluir