quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Diga não a rodinha de violão!

Então vamos lá! Evoluímos tanto em questão de entretenimento que hoje em dia se pode trazer para sua festa no fundo do quintal, praticamente qualquer tipo de artífice usado, até a alguns anos atrás, apenas por boates e shows de grande porte. A grande favorecida com tudo isso, é a música, em minha opinião, essencial em qualquer evento que reúna mais de duas pessoas, pode parecer piada agora, mas até o começo dos anos 90, o som de uma festa era até então o elemento mais dificultoso para ser arranjado. Alem do sacrifício para transportar os gigantescos toca discos, não era fácil encontrar alguém com um acervo de vinis bom o suficiente para ser usado nas festas, ou que concordasse em ceder de bom coração sua aparelhagem.

Mas graças aos deuses do rock, hoje em dia podemos conectar um notebook a algumas caixas de som e ver a mágica acontecer, ótimas músicas (dependendo do seu gosto musical), no último volume e com excelente qualidade sonora, a coisa pode ser ainda mais completa se você incluir um data show com um DVD rolando, que tal? Caso você tenha esquecido aquele seu CD pré preparado para a festa com trocentas músicas em MP3, não há problema, com uma boa conexão, em questão de minutos se pode fazer o download de tudo que for necessário.

Infelizmente, ainda existe pessoas retrógradas que insistem em cuspir em todo o ciclo evolutivo da humanidade, seres desprezíveis que chegam em festas com um violão nas costas e no auge da animação da nação festeira, soltam a seguinte frase... “Aí! Desliga o som, pra rolar um violão pra galera!”, ah ta,...ok, deixa eu ver se eu entendi, você quer que eu me desvencilhe de toda a praticidade que a tecnologia me oferece, podendo ouvir a música e o artista de minha preferência com um som limpo, completo e original, em apenas um clique, para me limitar a ouvir você tocar o seu restrito repertório, que fatalmente deve se resumir a Legião Urbana, Engenheiros do Hawaii e algumas músicas insuportáveis de barzinho? É isso?? Para regredir a tal ponto, porque não desligamos as luzes e acendemos algumas velas nessa porra então???

Quando um idiota destrói a festa abrindo uma condenável rodinha de violão, é como se todos no local se transmutassem nos ratos hipnotizados da fábula do Flautista Mágico, o violeiro parece mesmo se sentir como um mestre dos zumbis e chega a te olhar de cara feia, caso você não esteja tendo o senso comum de cantar junto com o grupo. Se você tentar puxar assunto com alguém daqui, o babaca tocará mais alto de lá, se tentar cantar uma mulher na miúda, o imbecil berrará que a próxima música é praquela garota, o cara com o violão exige de todos, toda a atenção. Você se vê preso em um infernal pocket show de péssima qualidade, que não estava nos seus planos de noite.

Eu digo, que chegar com um violão em uma festa que conte com a minha presença e pedir pra desligar o som, é declarar o fim de uma festa, e o começo de uma guerra comigo.
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
19 Comentários

19 comentários :

  1. Rodinha de violão não recomendo nem para o meu melhor inimigo. Música boa deve ser respeitada e não se restingir a tres acordes mal tocados e desafinado.

    ResponderExcluir
  2. Cara que revolta [rsrs]
    Concordo que não há muito motivo para alguém chegar com um violão e parar tudo para ter atenção total ¬¬'





    ;*

    ResponderExcluir
  3. Você tirou aspalavras da minhaboca quando disse que os caras acreditam que alguém possapreferir ouvir suas vozes mediocres, com repertórios repetitivos e que todo mundo canta junto que nemuns topeiras otários, eu sempre odiei rodinha de violão, acho um absurdo alguém acreditar que pode fazer vc suportar sua falta de talento, eles obrigam as pessoas, vc fica sem escolha. Eu digo não as rodinhas de violão, odeio,abomino, acho de um retardo mental, de uma chatisse, de um egocentrismo e egoismo sem tamanho. mas nada disso é pior que a falta de bom gosto e senso do cidadão.
    abs maldito,

    ResponderExcluir
  4. é como eu disse no Twitter: eu gosto de 'rodinha de violão', mas acho que tem hora. As vezes a gente só quer dançar ou ouvir uma música que tenha uma batida mais rápida que as do coração ou que soe mais alto que os pensamentos...

    Mas 'dizem' que a turma que odeia as tais rodinhas, quase sempre é porque canta mal PKCT, ou seja, 'rodinha de violão' é quase sempre uma possibilidade de ficar isolado ou de pagar mico...rs

    Ah, eu já briguei por causa da tal 'rodinha de violão' na faculdade. Tinha um rapaz na minha sala que sempre levava o dele. E ficava tocando o tempo todo quando a professora saía e a gente ficava fazendo trabalho. Experimente pensar com a cantoria do povo que não gosta de estudar...
    Confesso que sonhei quebrando o tal violão na cabeça dele e fazendo ele os limpar os dentes com as cordas do violão (tipo fio dental)
    Pra vc vê como me irritava...rsrs

    ResponderExcluir
  5. Como sei que aqui existe democracia, vou dizer minha opinião! Eu amo e prefiro rodinhas de violão, na minha casa, em TODA festa sempre tem rodinhas de violão... e TODO MUNDO se diverte muito cantando junto... E meu amigo q é o violeiro toca de tudo... não tem um repertorio nem de perto monotono! Eu gosto de rock e de musica baixada na net e de tudo isso, mas quando o assunto é festa de fundo de quintal, acho o violão uma exelente escolha pra que todos possam interagir... cantar, extravasar,fazer seus pedidos ao violeiro e se divertir... ;)

    ResponderExcluir
  6. Concordo com o post acima. Até pq meu irmão é músico e por várias vezes fizemos isto aqui em casa. Porém, o violonista tem que ter bom senso e saber exatamente a hora em que sua cantoria acústica é bem vinda e apreciada!Tô add seu blog! Muito interessante e original...

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Bem, eu gosto de violão, e rodinhas de violão. Mas é como disse alguém ai em cima, tem hora.
    Eu acho que violão + festa não combinam, mas isso também é relativo porque depende do estilo da festa, das pessoas que estarão lá, e as vezes o "cara do violão" é muito bom e consegue juntar todo mundo muito melhor do que a barulheira das caixas de som.

    Adorei seu blog.

    Beeijos :*

    ResponderExcluir
  8. Gostei do blog!
    Seguindo aqui!
    Adorei a "mafia maldita"

    bjos
    Obrigada pelo comentário...

    ResponderExcluir
  9. Olá...

    Achei demais esse ponto de vista,muito...
    Adoro a tecnologia musical,rock e afins...Mas,honestamente,ainda sou a favor de uma boa improvisação acústica.Boa,claro,e não mesmo os tais três acordes e uma voz abaixo de medócre.]
    Acho divertido 'se transferir' um pouco de toda essa 'miscigenação' oferecida atualmente e cutir o lado cru das coisas...


    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. eu poderia defamar muito aqui..
    mas só para não ir fundo, eu digo apenas...
    não please..
    não cante faroeste caboclo!

    ResponderExcluir
  11. heey, quanto tempo! fazia um tempão que eu nao vinha aqui. saudade dos seus posts já! :P

    sim, eu AMO rodinha de violão. seja como for, ouvindo, tocando, cantando! até pq eu amo esse instrumento!
    agora também depende MUITO de quem tá tocando, das musicas e da hora que chega. é lógico que eu não chegaria com um violão nas costas em uma festa do tipo...
    hahaha

    e enfim, cada um com seu ponto de vista, ê \o
    beijos!

    ResponderExcluir
  12. "Música boa deve ser respeitada e não se restingir a tres acordes mal tocados e desafinado."

    discordo PLENAMENTE.

    ResponderExcluir
  13. olass malditos

    eu ODEIO rodinha de violão. Sinto vergonha alheia, vergonha de mim por estar lá e ter amigos que gostam desse tipo de lixo, sinto vontade de desaparecer e, via de regra, levanto e vou embora.
    Por isso tenho pouquíssimos amigos, e quase todos, odeiam axé, pagode, funk, samba, sertanojo e rodinhas de violão.

    besos

    ResponderExcluir
  14. Tudo tem o seu tempo e a sua hora. Acho pior aquele que não sabe conviver com as coisas do que a "rodinha" de violão propriamente dita.

    É mais ou menos como os que condenam os jogos de carta em churrascos e afins porque dizem que forma grupinhos e desunem o resto do pessoal.

    ResponderExcluir
  15. Se é um luau, com rodinhas de violão aí a gente já se prepara e sabe que pode ser a noite toda daquela roda...mas realmente parar o som pro violão engtrar não dá, só de fosse a Adriana Calcanhotto no meu jardim hahaha.
    Sou mais aquelas festinhas lá de casa que tal? hahaha
    Com sonzera quebrando tudo no último até de manhã, isso sim. :)
    Ei te amo, e voto NÃO A RODINHA DE VIOLÃO.

    ResponderExcluir
  16. Sou obrigada a discordar, eu gosto muito das rodinhas de violão, claro que não é em qualquer festa que cabe isso, mas sempre que possível, acho juto ter.

    ResponderExcluir
  17. concordo!rs rodinha de violao tocando legião urbana é tortura pra jogos mortais nenhum botar defeito! obrigada pela visita!

    ResponderExcluir
  18. Adorei o post, concordo com tudo. Realmente, esses artistas de mentira metidos a bestas são pseudo intelectuais e destroem a festa quando começam a tocar seu maldito violão. O povo fica sem escolha diante da baixa auto estima do cidadão que tem uma necessidade de reconhecimento enorme e quer ser o centro das atenções. Então, as pessoas sem escolha, já que estão numa festa fingem que estão gostando e tentam interagir cantando. Mas esse papo de que é necessário um violão para o interagir é pura mentira. Pois as festas na minha vida que mais aproveitei foi dançando muito ao som de Djs e bandas com todos os instrumentos presentes deixando a música completa. Não dá nem pra dançar quando alguém inventa de tocar violão. O que mais dá é sono. Geralmente é a galera só baseado que curte essa porra de tocar violão. Gente retrógrada e chata!

    ResponderExcluir
  19. Tecnologia é ótima...principalmente para pesquisar a cifra e fazer a rodinha de violão! Claro que para isso existem circunstâncias adequadas, e habilidade é essencial, violonista que só arranha prejudica a imagem dos músicos de verdade. Retrogrado é ver o instrumento como um instrumento marginalizado da década de vinte, seus recursos atuais e possibilidades o colocam no mesmo patamar que qualquer instrumento de concerto, é claro que isso é outra história e nem espero que alguém compreenda. Sou a favor da interação entre as pessoas ao invés dessa geração dos poucos cliques, do tudo pronto e etc. Mas prezo pela habilidade e técnica. Se não, é melhor ficar em casa mesmo.

    ResponderExcluir