sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Pô, jovem é outro papo...

sexta-feira, 3 de setembro de 2010
Eu que já ostentei três brincos na orelha esquerda e um cabelo que batia no meio das costas durante a adolescência, me flagrei por esses dias ridicularizando mentalmente "a nova geração" ao cruzar na rua com um rapaz que exibia um par chamativo de brincos em suas orelhas. Ao perceber esse meu ato, me justifiquei sozinho comigo mesmo pensando em seguida:  “ Fala sério! Na minha época pelo menos os brincos eram mais discretos, no máximo algumas argolas, já isso aí é quase como aqueles identificadores usados em gado!”.
Mais alguns passos a frente, minha mente inquieta continuou ponderando sobre o fato, gerando novos pensamentos: “Putz! Será que estou ficando mesmo velho, e dos mais rabugentos? Quantas vezes já não devem ter imaginado o mesmo sobre mim? Há uns 15 anos atrás?”.Por Crom! Logo eu, que sempre achei legal ser tão errado, um porraloca assumido, o cúmulo de tudo reunido, estaria sendo abatido pelas areias do tempo? Talvez, esgotado o efeito do pó de pirlimpimpim que nos mantém jovens?

Esses questionamentos me rodearam por todo meu trajeto até o meu retorno para casa. Me senti afetado pela idade, lento, pesado, ultrapassado,... com uma certa urgência em ainda me sentir na ativa, vivo. Corri para o armário e me armei com meu empoeirado nunchaku, e arrisquei algumas manobras enferrujadas pelos anos sem prática, minha velocidade já não era a mesma, e os músculos dos braços chiaram pelo esforço repentino sem um aquecimento prévio, mas o know how da coisa ainda estava em meu corpo e em minha memória, ainda me sentia capaz de derrubar, três, quatro, até cinco malfeitores , manejando aquela simples arma, continuava bom naquilo.

Mais algumas horas na frente me dei conta que o problema podia não estar em ficar velho, afinal , esse é um processo inevitável que só nos permite escolher em passar bem por ele, ou não.
Eu poderia estar sendo contaminado por algo bem pior, a caretice.
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
4 Comentários

4 comentários :

  1. "logo eu... que sempre achei tão legal ser tão errado. Eu que nem sempre calmo, mas nunca preocupado..."

    Você tem tudo pra ser um rabugento, se já não for... rsrs

    Talvez o segredo da 'juventude' seja não ficar atrás dela como se tivesse que resgatar tudo do passado, mas de se sentir bem no lugar que está, com os anos que tem.. e com as experiências, que ninguém rouba de ti...

    Até mais, Mal! ;)

    ResponderExcluir
  2. O único segredo possível para a juventude é não ficar careta, porque se quando você era o 'porraloka' da vez[rsrs'] não gostava quando alguém dizia ser aquilo ridículo o mesmo vai acontecer com o 'porraloka' de hoje...




    ;*

    ResponderExcluir
  3. Nunca me sinto assim, mas pelo óbvio, tenho contato demais com a molecada, trocamos muitas visões, mas claro todo mundo se pega numa dessas um dia. Caretice com certeza não é, vc tem uma mente aberta, é um cara bem resolvido, e soube majestosamente retratar isso no texto.

    ResponderExcluir
  4. Cara, esse é o meu maior medo: o amargo da sociedade me leve a ficar careta também, e perder a essência da irreverência e da loucura que eu tanto prezo na minha juventude interior.

    Mas não sei, mano. Acho que talvez esse seja o mais correto. Ou talvez eu que perdi o tato pra encontrar a beleza dentro do caos que nós somos.

    Não sei, é complicado pensar nisso sem nostalgia e necessidade de mudanças ao mesmo tempo... A boa e velha dualidade da minha mente.

    ResponderExcluir