terça-feira, 5 de outubro de 2010

Preconceito Social

Já estive na Europa em uma época onde havia calçadas para negros e calçadas para brancos, por conta disso eu nunca aceitei muito bem a existência do preconceito racial no Brasil, perto da situação que acabei de narrar (e outras que vivenciei) piadas racistas me parecem ‘fichinha’. Nasci e fui criado em uma comunidade pobre carioca onde os brancos eram a minoria, mas essa diferença nunca foi atenuada ou se quer reparada por mim ou meus colegas, talvez por sermos crianças, ou talvez entendêssemos que ser branco pobre não é tão diferente de ser negro.
No Brasil é mais forte um outro tipo de discriminação, o preconceito social, que é exercido de maneira tão sorrateira que passa facilmente despercebido pelos seus ouvidos. Aposto que o seu radar apurado entenderia rapidamente a frase “Isso é coisa de negro!” como um comentário infeliz, racista e de péssimo gosto, mas provavelmente riria e até concordaria com a frase “Isso é coisa de pobre!”,...hum, você acha mesmo que as duas frases são tão diferentes assim para causarem reações tão adversas? Pra mim isso é coisa de pobre...de espírito.
Dizer que isso ou aquilo é coisa de pobre em um país subdesenvolvido, de terceiro mundo, ou seja lá como queira classificar essa pocilga, com milhões de pessoas em situação de miséria absoluta me parece um pouco com o principio de dar um tiro no próprio pé. O que você está querendo dizer quando gaba-se que sua roupa, celular ou lugares que freqüenta são superiores ao da maioria? Que você é um excelente alvo para um seqüestro relâmpago? Já deu uma olhada na pirâmide social do seu país?? Consegue identificar quem é a maioria aqui???   Freqüentar as melhores baladas, festas e casas de show é só uma questão de dinheiro, mas para entrar em alguns outros lugares é necessário um certo conceito,... e mais ainda se pretender sair deles, esse tipo de coisa não se encontra a venda por aí.
Isso tudo ocorre quando a pessoa é possuída pelas coisas que possui e se não consegue ter o seu objeto de desejo passa a desejar que ninguém mais o tenha, ela precisa disso para se sentir bem consigo, é quase como uma doença. Esse tipo de coisa vem acontecendo cada vez mais cedo, quando você vê por exemplo uma menina esbravejar e chorar freneticamente com os pais porque o celular que ela acabara de ganhar (e a mãe ainda tem seis prestações para pagar) não tem tocador de MP3 e câmera de 10 mega pixel como o da amiga Juliana.
Imagino que agora você esteja justificando isso tudo colocando a culpa na mídia capitalista que estimula o consumismo desenfreado,..certo? Errado! A culpa por Adão e Eva terem comido o fruto proibido é de Deus por ter colocado a bendita árvore no Éden ao alcance deles?
Antes de julgar que algo seja de baixa qualidade para a vossa senhoria (ou coisa de pobre), lembre-se que nessa montanha russa da vida de um sobe e desce constante, se sairá melhor o mais adaptável, e nesse quesito sabemos que a classe baixa renda é insuperável, ... já você eu não sei se ainda consegue correr rápido o suficiente de um arrastão depois que comprou seu carro.
‘Lugar de ser feliz não é supermercado’ – Zeca Baleiro
XXX
Adendando: Eu fui convidado para participar do IRPGcast sobre 'Call of Cthulhu' , um prato cheio pra quem gosta de RPG. Ouve eu amaldiçoando o cast
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
8 Comentários

8 comentários :

  1. Rico pra mim é aquele que ganha dinheiro sem precisar trabalhar, ou seja, a única possibilidade de eu ser rica um dia vai ser se eu ganahr na loteria, o probls... Eu nunca joguei isso...

    Talvez seja uma desculpa minha que justifique minha falta de grana, mas eu acho que dinheiro em demasia estraga tudo... E ainda, a capacidade de adaptação que temos fica falha... Enfim...

    =)

    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Se a felicidade e os verdadeiros amigos pudessem ser comprados, eles seriam vendidos em latas no mercado

    ResponderExcluir
  3. O problema é que as pessoas não se veem mais pelo seu valor como pessoas e sim pelo monetário.

    Tive que rir quando você disse que existem alguns lugares em que você só entra e sai se tiver certo conceito, até porque essa é uma senhora verdade!

    Nunca encarrei qualquer tipo de preconceito como algo válido. Se você quer falar de alguém tem que ter completa segurança que você nunca fez nem chegou perto de nada do que vai dizer e como todo ser humano é falho sempre achei sem sentido falar dos outros ou julgá-los por alguma coisa da qual não se tem controle.





    ;*

    ResponderExcluir
  4. uau, até doeu de tão verdadeiro. bjos

    ResponderExcluir
  5. È Fábio, essa é uma questão bem delicada. E por incrível que pareça o tema “Preconceito“ andou rodeando meus dias. Sou filha de pais negros, tenho uma avó índia e um avô caboclo e, aos 12 anos consegui identificar que o buraco era bem mais embaixo.

    A imundice do nosso país explode na minha cara quando vejo gente defendendo cotas para negros e outras balelas mais. Mas, para um país que faz vencedor de reality show um cara que espanca mulheres (Dado Falabela) e elege‘Titica’...op´s Tiririca como liderança política, espero qualquer coisa. E nem me causa espanto.


    Tenho presenciado outras manifestações de preconceitos que por ora, me dão nojo. Essa semana, indo á Brasília, me perguntaram: Tâm, que escritores clássicos você costuma ler?. Eu ri. Eu ri porque me cansei dos clássicos. Daí, respondi: “Fulano, eu abraço o mundo. Leio tudo. E isso vai de panfleto á bilhete esquecido em caixa de sapato. Leio 2 ou 3 livros ao mesmo tempo pq preciso alimentar minha inquietação. E ando numa fase de ler blogs e novos escritores.” Ele dando muita risada me chamou de louca por abandonar os clássicos.

    E foi aí que percebi uma coisa: Novos escritores precisam ler novos escritores sim. Tem gente que esquece que tem uma literatura novinha em folha pintando por ai. Tem gente que não gosta de dizer que lê escritor recém chegado porque não tem resplendor ou respeito. Esse tipo de PRECONCEITO é terrível e me machuca tanto quanto qq outro. Me senti machucada. É por isso que digo: Quem gosta de ler, ler tudo. E quem gosta de escrever, lê em dobro.

    Acho que na verdade, a gente vai envelhecendo quando vai identificando esses preconceitos. As vezes, eu os tenho. Afinal, sou humana. Daí, quando acontece, paro. Penso. E me faço melhor. Sem colocar a culpa em ninguém, claro. E enquanto isso Adão e Eva continuam levando o peso das desgraças no mundo. É uma pena! Se Deus fosse um cara um pouco mais inteligente e bonzinho tinha mandado cercar a macieira com arame farpado. Mas, não. Cego demais, Deus só se preocupou com a nudez de ambos e na invencionices dos pecados.

    1 beijo meu. Só um... Ando em dias de usura.... rs

    ResponderExcluir
  6. Saudações !!
    Daí que ontem, a Tâmara me ligou de madrugada e disse: “ Leo, leia o Fábio! Tchau“. Depois desligou. Ela me instigou, Claro!... Não deu outra e aqui estou. A internet é bacana por isso, por nos levar exatamente onde precisamos ir.
    As caixinhas de comentários, acabam sendo o supra sumo dos blog. E acredito que seja assim para outras pessoas também. E sobre PRECONCEITO, acho que a Dona Intimidade abordou o contexto com conhecimento de causa. Acredito que Preconceitos existirão por todo sempre o que nos torna melhores ou não é a forma com que trabalhamos isso a ponto de nos modificar. Quando identifico um preconceito, tenho a sensação de envelhecer uns 5 anos. Chego a ver rugas no meu rosto. A medida que vou observando e compreendendo...rio feliz e rejuvenesço reencarnações.

    Parabéns pelo blog e pelo conteúdo gentilmente rasgado em forma de escrita. É isso que vale.

    Abraços

    Leo Viana

    ResponderExcluir
  7. "a pessoa é possuída pelas coisas que possui"

    preciso dizer mais nada!

    ResponderExcluir
  8. Retribuindo a visita, me deparei lendo esse texto.. muito bom! Abraço

    ResponderExcluir