quinta-feira, 17 de março de 2011

Reencontrando Ex-namoradas

Antes que eu pudesse debandar de vez daquele bizarro lugar do passado, eu sentia que  o destino ainda me premiaria com alguma surpresa desagradável. É por isso que eu caminhava pelas  ruas em constante alerta, sempre checando os rostos dos que cruzavam meu caminho temendo reconhecer algum entre eles. Eram como fantasmas, me assombravam,... prejudicavam a minha indispensável habilidade de esquecer.
Me defrontar com o rosto errado poderia dar início à um caldeirão de memórias que eu não estava disposto a remexer. Queria apenas resolver meus problemas e dar o fora daquela cidade o quanto antes. Mas não seria assim, eu sei que não, havia sido fácil demais até ali, mudando de calçadas, escondendo em lojas, me esquivando em vielas, desviando de bares, nada disso evitou que eles me encontrassem. E perto da minha partida definitiva, eu ainda teria que encarar uma das minhas piores lembranças.
Alguém gritou meu nome, e todo o campo de força que me fazia invisível caiu por terra.
Eu fui pego de surpresa,...a porra do destino me preparou uma armadilha.
Parei de andar mas não procurei a origem do grito, preferi acreditar em uma desistência ou uma infeliz coincidência. Então decidi parar e esperar mais alguns segundos. 
Meu ombro foi tocado, e só então me virei.
-Oi!
-E aí?!
-Está de volta a cidade.
-Não. Só de passagem. Na verdade estou caindo fora nesse final de semana.
-Ah,...entendo. E como você está?
-Do jeito que você está vendo.
-Não parece ter mudado muito. Exceto que engordou um pouco.
-Bem,... –Minha expressão denunciava minha resposta, que preferi censurar para evitar um prolongamento daquele desconfortável encontro.
-É. Eu sei. Eu engordei um pouco também,... era isso que ia falar, não é?
-Bem,... – A desgraçada me conhecia com precisão.
-Mas no meu caso foi porque fui mãe. E você? Qual a sua desculpa? –Bela maneira de colocar o assunto em pauta.
-Bem,.. cerveja.
-Hehehe,... quando namorávamos você também bebia e era magro.
-É que agora eu bebo por motivos alegres.
Jogo empatado sua bruxa.

Trocamos mais alguns educados sorrisos amarelos e nos despedimos,... mais uma vez.
Espero que pela última vez

*Interligado com os contos 'Reencontrando velhos amigos' 1, 2 e 3.
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
8 Comentários

8 comentários :

  1. Só gosto de encontrar ex namorado quando já estou namorando novamente e...magra. Ponto.

    ResponderExcluir
  2. Encontro com ex, normalmente isso não é uma otima coisa, apesar que uma de minhas ex adora Flash back e tbm curto com ela esse free lances. No geral rever ex sempre tras akelas lembranças tipicas ( como eu passei tempo com ela, oq tinha na cabeça, nossa ta com coxas melhores, etc.),Outra vez vc tinha postado que após o fim de um relacionamento deve-se eliminar toda forma de contato, hoje concordo mais ainda com essa teoria, Afinal se terminou pra que relembrar alguma coisa ou se expor aos mesmo comentarios infelizes.

    ResponderExcluir
  3. PQP Maldito, me raxei aqui lendo esse teu conto rs.

    É exatamente assim que, se não os dois, pelo menos um dos dois se sente ao se deparar com tal situação. Estranhopra caralho!

    Mandou bemzasso!abraço!

    Solteiro
    (http://solteirices.wordpress.com/)

    ResponderExcluir
  4. HEHEHEHE *-* LEGAL, GOSTEI.. QUERIA ESCREVER ASSIM TAMBÉM, TIPO, COM CRIATIVIDADE.. HSUAHSUAHSHAU *-*

    ResponderExcluir
  5. Adoro o jeito que você escreve, o ritmo do seu texto é ótimo! Me identifiquei com o tema, hahaha, ainda bem que tenho o dom de esquecer rápido e também a sorte de não me encontrar com algumas das minhas ex namoradas, hahaha. Até quando eu não sei, mas enfim, vou aproveitar cada segundo dessa graça. Hahaha. Abração e parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Melhor de tudo isso é quando ela está melhor e voce, mentalmente, não quer acreditar nisso.

    Pior, quando nem bem acabou e a outra tá com o papinho de ter superado tudo, que deveriam sair como amigos.... dói na alma.

    ResponderExcluir