quarta-feira, 29 de junho de 2011

Desconstruindo o clichê do humor nacional.

As vezes acho que o público tem exigido demais do humor nacional, sempre cobrando mais criatividade e inovação e esquecem que em alguns países as pessoas nem possuem direito de sorrir, em parte pela falta de dentes na boca, mas também pela total ausência de qualquer tipo de humor em suas rotinas. Bem,...talvez um pouco de humor negro.
Imagina só como deve ser as rodinhas de piada da Etiópia por exemplo. Não creio que sejam apetitosas.
Mas também não da pra negar que as ‘crias’ nacionais não cansam de abusar das receitas batidas do já solado bolo da comédia. A coisa toda é tão mecânica que até se pode notar alguns padrões na matrix do humor nacional, podendo até mesmo dividi-los por regiões.
Cito alguns:

-O Humor Carioca:
Característica - Bordões
Exemplo - Zorra Total
Descrição: São aqueles programas onde você assiste o quadro inteiro apenas para esperar o personagem dizer seu bordão, que seria o ápice da cena. As situações são irrelevantes e podem variar de infinitas formas, desde que tudo termine em um ‘To Pagaaaaaandoooo!!’, o que não é muito diferente de quando se conversa com um carioca só pra ouvir aquelas palavras chaves com o sotaque da ‘malandragem’.
Fraqueza: Prazo de validade curto.


-O Humor Paulista:
Característica – Trocadilhos
Exemplo- A Praça é Nossa
Descrição: É sempre um ‘trocadalho do cadilho’, os personagens podem ser caipiras, surdos, burros, retardados, gagos, vigarista, todo tipo de desculpa possível para justificar a deturpação da fala do escada da cena.
Fraqueza: Possibilidades limitadas de texto

-O Humor Nordestino:
Característica – Auto Flagelação
Exemplo – Show do Tom
Descrição: Geralmente a graça se concentra na vida dura do protagonista, geralmente os personagens são sempre caricatos no intuito de ampliar todo seu fardo de sempre ser inferior ao público, por ser feio, pobre, peão, ladrão ou simplesmente ser quem é. A minha teoria é que a fórmula do ‘rir da desgraça alheia’ garante o maior sucesso desse tipo de humor.
Fraqueza: Mercado super lotado de artistas do gênero
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
4 Comentários

4 comentários :

  1. Não vejo graça em nenhum dos programas citados, pois, ou são batidos ou apelativos, uma reforma humoristica cairia muito bem!

    ResponderExcluir
  2. Humor Gaucho! Aqui alguns exemplos como Guri de Uruguaiana e Primeiro as Damas. http://dirtemporium.webs.com/apps/videos/

    ResponderExcluir
  3. Eu confesso que acho chato é o humor que não na verdade não tem graça, mas que faz rir porque se aproveita do que é 'natural' do ser humano. Hoje o que a gente mais vê é gente fazendo sucesso com um 'humor' que só faz debochar e humilhar. E faz sucesso justamente porque o ser humano ADOOORA rir do outro. Seja quando fulano cai, seja quando falam das características dele (gordo, alto, baixo, magro, 'pobrinho' 'riquinho', 'branquinho, pretinho...').

    Sei lá...Parece que quando se ri dos outros se tem um momento onde ninguém está rindo da gente.

    Vai entender. Fato é que tem feito muita gente conhecida, 'poderosa' e com a conta bancaria bem mais gorda.

    E sim, todos esses programas estão chaaatos. Onde sobra o tal 'humor' tá faltando graça. E faz tempo.

    ResponderExcluir
  4. É de cair o cu da bunda. Prefiro South Park, humor inteligente e engajado na causa de defesa dos nematelmintos livres e o galho seco que nasce no lomba dos babuínos da Nova Guiné durante a piracema.

    ResponderExcluir