quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Paranoia Bancária

Por mais que se passe um mês inteiro evitando entrar em bancos, cedo ou tarde esse tipo de situação se torna inevitável. E lá vamos nós enfrentar desafios similares a uma fase de um jogo de vídeo game para alcançarmos nossos objetivos monetários,... Passa pela porta giratória da morte para poder pegar (o quanto antes) a senha sagrada e enfrentar a fila zumbi torcendo para não ter que encarar o chefão da fase, o Gerente Bestial que devora dinheiro com suas taxas e juros diabólicos.
Infelizmente trago más notícias. Todos os ‘desafios’ citados acima já são considerados de fácil superação  para qualquer brasileiro padrão. É mole pra nós! Na minha última visita ‘forçada’ a uma agencia bancária para pagar ‘contas’ (e o que mais seria?) acabei descobrindo um ‘upgrade’ nos desafios dessa maratona. Uma espécie de versão 2.0 desse jogo civil.
Foi assim:

Separei o dinheiro em pequenas pilhas referentes a cada conta que seria paga. Contei e recontei cada quantia umas três vezes, afinal, com dinheiro não se brinca. 
Todo o meu trabalho foi desfeito quando a senhora somou os valores das contas e juntou todas as pilhas de dinheiro formando um só maço de notas. E pôs-se a contá-lo,... ou melhor, recontá-lo.
-Senhor, está faltando cem reais.
-Putz! Tem certeza?
A mulher soltou uma bufada e recontou o dinheiro novamente, dessa vez recitando os valores em voz alta. Ao terminar suspendeu todas as folhas soltas espalhadas em sua bancada para ressaltar que eu era o ‘burro’ da história, e que apesar da cara de sonsa ela não era tão distraída quanto eu insinuara.
-Viu? Faltando cem reais.

Saquei mais duas notas de cinqüenta e postei no balcão. Ela as colocou junto com as outras e começou uma nova contagem, dessa vez inspecionando cada cédula minuciosamente, conferindo os detalhes das imagens, a textura, o tamanho e até colocou algumas contra a luz para certificar-se de que eu não estava agindo de má fé. Até que, por algum motivo, pareceu que uma das notas de cinqüenta não passou na avaliação da ‘especialista’.
-Senhor,... Assim, a ordem que nós temos é de mandar para a análise toda nota que vier com qualquer tipo de mancha rosada, por menor que ela seja. O que pode demorar de uma a duas semanas. Tá vendo aqui? Essa aqui tá com uma manchinha no canto. 
Com o dedo indicador ela apontou uma mancha minúscula que maculava um dos cantos da cédula.
Pensei em eliminar aquele vestígio rasgando o pequeno pedaço manchado. Tenho certeza que ninguém deixaria de pegar uma nota de cinqüenta por conta de um rasgo imperceptível no canto. Mas achei que já estava suficientemente em atitude suspeita com a nota ‘defeituosa’ para danificar patrimônio público em solo corrupto.
Pacientemente pedi a nota de volta e substitui por outra. A última da minha carteira.

Do outro lado da rua comprei dois maços de cigarro e uma cerveja com a nota de cinquenta rejeitada pelo banco. Conferi o troco verificando cada cédula a procura de algum demérito.
Estando tudo certo, agradeci e segui meu caminho.
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
2 Comentários

2 comentários :

  1. Ainda teve a sorte por ela ter devolvido a nota... no caso da minha mãe, ela ficou sem o dinheiro.

    ResponderExcluir
  2. Está virando um verdadeiro inferno isso, daquí a pouco será muito melhor andar só com moedas, como assim era nos tempos medievais !

    ResponderExcluir