quinta-feira, 1 de março de 2012

Ontem gordinha bacana, Hoje magrela esnobe

Sabe aquela sua amiga gordinha? Do tipo presente em todo grupo saudável de amigos que muitas vezes aceitam a condição da gorda até melhor do que ela mesma. Ela tem seus grilos e todos sabem disso, claro que isso não impede a galera de soltar uma brincadeira aqui e outra ali sobre seu peso, mas tudo dentro do limite que a amizade permite, porque se algum mané de fora achar que tem a mesma liberdade, todo mundo cai de pau em cima do otário pra proteger a ‘amiga gordinha bacana’ de seu grupo. 
Munida do fato de não despertar ciúmes nas namoradas dos amigos, ela transita livremente entre ambos mesmo quando estão brigados, podendo ajudar consideravelmente na reconciliação do casal. Ela é aquela que escuta os problemas de todos com a paciência de poucos, amiga pra qualquer situação, pessoa obrigatória em qualquer festa, que resolve nossas imparcialidades e mantém a galera unida. 
Mal dá pra acreditar que exista uma pessoa tão sensacional, se ela não fosse assim gordinha você até casava com ela... não casava?

Acontece que com a medicina moderna ela não precisa mais ser uma pessoa gorda. 
O que é ótimo pra sua amiga.
Após uma redução de estômago ela ficará esbelta e também não precisará mais ser uma pessoa ‘bacana’.
Infelizmente pra você, agora nesse novo ‘ela’ também não caberá mais ser uma pessoa 'sua amiga’.
As vezes a cirurgia é um sucesso para o corpo, mas faz um tremendo estrago na mente da pessoa. A ponto dela ficar irreconhecível.
...
Durante minha adolescência, Rafaela era a gordinha bacana do meu grupo de amigos. Alguém com todas as qualidades citadas acima, um exemplo de pessoa e a maior inspiração deste texto. O peso de Rafaela era algo que só incomodava a própria, nunca impediu que ela tivesse uma intensa vida amorosa por exemplo. Já vi Rafaela deixar muito homem de coração partido. Diziam que sua boa fama se estendia até a cama, que extrapolava os limites da amizade sempre que um amigo precisava de um ‘apoio’ a mais. 
Tínhamos um baita orgulho da nossa amiga gordinha bacana.
Quando o SUS liberou a cirurgia de redução, Rafaela foi uma das primeiras da fila. Por conta dos exames, consultas e internações, nossa amiga teve que se ausentar do grupo por algumas semanas e só nos restou esperar ansiosos e felizes pelo seu retorno.
A primeira vez que vimos a nova Rafaela foi quando ela passou em frente ao bar que tantas vezes confraternizamos juntos. Quando nos viu, fez uma cara de quem comeu e não gostou, desviou de nossa mesa e mudou de calçada sem pronunciar uma palavra sequer.
Já naquele momento percebemos que perdemos nossa amiga. 
Ficou claro que no hospital tiraram mais do que alguns quilos de Rafaela. Nos entregaram de volta uma amiga quebrada, sem alma. Era como se junto com o pacote de bolsa emagrecimento do governo viesse de brinde uma lobotomia e uma reconstrução de cabaço. Rafaela, depois de magrela, mudou seu circulo de amizade e passou a desfilar pela cidade como se alem de magra, também tivesse voltado a ser virgem.
Nunca mais a vi, mais há alguns anos atrás me contaram que a magrela vira e mexe está de volta a fila do SUS, só que agora para se tratar de depressão, tendencia suicida, baixo autoestima e outros problemas menos visíveis.
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
28 Comentários

28 comentários :

  1. Gastroplastia... tá aí uma coisa com a qual convivo de perto há 10 anos...
    Primeiro foi meu pai, cujo a cirurgia foi praticamente obrigatória, após episódios repetidos de convulsões causadas pela quantidade de remédios para pressão + diabetes + colesterol.
    Sim. Ele ficou insuportavel nos primeiros meses, no qual regulava as quantidades de comida de todos nós, não operados na casa. Depois virou um assanhado.
    Depois de 6 anos, foi o marido da minha irmã. Mesmo caso do meu pai. Só não passou pelo episódio de chatice com as quantidades de comida dos outros cristãos. Mal passou do 1º mês de dieta líquida e voltou, aos pouquinhos, ao assanhamento glutão!
    Ano passado, para a surpresa de muitos, fui eu que tive de 'entrar na faca'. Um outro tipo de cirurgia, que é considerada hoje uma das técnicas de gastroplastia, após descobrir um problema no fígado e perder grande parte do tecido do estômago para úlceras repetidas.
    Enfim... Como algumas pessoas que acompanham meu twitter, facebook e instagram sabem. Não só trabalho no mercado gastronômico, como sou uma apaixonada por tudo o que pode ser cozido, frito, temperado e finalmente cozido.
    E não... não foi porque perdi 32 kg, não foi porque ganhei um novo manequim bacana, que deixei de trabalhar com o que amo, de frequentar os lugares que amo, com meus amigos que, como eu, só sabem falar de comida.
    O negócio é o seguinte: se você tem qualquer tipo de frustração na vida, ou é um(a) mal comido(a) em relação a tudo e todos, SIM, você vai se tornar uma pessoa frustrada pelo fato de não conseguir compensar suas frustrações na comida, porque simplesmente não vai caber.
    Então, meu amigo ou amiga, que convive com um(a) operado(a), ou pretende passar pela gastroplastia, prepare-se psicologicamente pra ela. Deve ser uma exigência do seu cirurgião um parecer médico-psicológico, não só antes, como depois da cirurgia.
    A cirurgia deve só trazer melhoras pra vida do operado e não é a quantidade menor de comida que vai diminuir o prazer proporcionado por ela.
    Pense nisso.

    ResponderExcluir
  2. Não conheço ninguém que tenha feito essa cirurgia. Mas as pessoas devem mudar mesmo. Conheço alguns caras que, depois que passaram a frequentar academias de musculação, ficarem bombados e grandes, começaram a esnobar quem não tem o mesmo hábito.

    ResponderExcluir
  3. Com esse texto entende-se que as gorduras são mais que quilinhos a mais, tambem contem a magia da boa pessoa, a cirurgia por conta de saude é sempre otima opção, mas apenas pela estetica de nada vai ajudar pq a pessoa nunca vai tá feliz com elas mesmas... com isso aproveitemos nossos amigos(as) gordinhos/obesos mas acima de tudo excelente companhia. vamos valorizar o q temos!
    Joab de Paula

    ResponderExcluir
  4. Nunca presenciei esse caso, mas não duvido nada de que acontece. Infelizmente as pessoas são mto superficiais.

    ResponderExcluir
  5. eu sou a prova viva disso.passei a minha adolescencia como a ''amiga ''de todos, era a mais gordinha da turma, eu sempres estava em todas,por mais que as pessoas gostassem da minha companhia, nao é bem assim pra uma menina de 15 anos se sentir bem entre varias gostosinhas.era amiga de todos os meninos, eles vinham pedir pra min fazer o lado deles com minhas amigas, na época tudo bem , mas agora penso, como eu era boco, sepre fazendo as coisas pelos outros, mas ninguem nunca az um ladinho pra min.e ainda ter q escutar se algun menino nao quizesse ficar comigo, que ele nao sabia oq estava perdendo.a um ano fiz a reduçao e perdi 70kg,como vcs qerem q uma pessoa que passou a vida inteira sendo um alvo, tanto na escola, como em festas, como ponto de referncia, nao mude depois de perder 70kg.agora eu me sinto gente.agora eu posso ser notada.agora eu me sinto segura comigo mesma.agora posso ser desjada, tentem se colocar no lugar de cada amiga ou amigo ''gordinho''.
    coloquem a mao na conciencia!!!

    ResponderExcluir
  6. A respeito do comentário dessa tal Joicinara,...eu imagino que com um nome destes, ser gorda era o menor de seus problemas!!!

    ResponderExcluir
  7. so para constar, para o Sr Augusto Bruno,vc tem q esforçar um pouco mais para tentar chamar a atençao d todos;falar do meu nome, vc devia ter feito uma piada sobre ele.
    da proxima vez, tente falar sobre o assunto, nao chame a atençao disviando o foco do assunto.se empenhe um pouco mais

    ResponderExcluir
  8. Como uma ex-gordinha, aconteceu o inverso comigo. Depois mde emagrecer eu comecei a ser "elegível" aos homens e minhas amigas começaram a se sentir ameaçadas, não por que eu seja linda, maravilhosa, mas percebi uma coisa que nunca havia notado: eu era a amiga-comparação, aquela que faz vc parecer mais bonita aos olhos dos homens... Daí, minhas amigas foram debandando, afastando seus respectivos namorados de mim e tudo o que tinha direito. Lembro de, no meio de uma crise de depressão de uma amiga alta, bonita, magra e peituda, na época que eu ainda era gordinha, se expantar ao ver um cara que passou na rua e olhou p/ mim e não para ela. Fui obrigada a ouvir o seguinte comentário: "Nossa, vou me jogar no meio da rua, olham pra vc e não olham para mim." Tenho problemas de auto-estima até hoje, mas isso não tem nada a ver com o fato de eu ter emagrecido, mas sim, com uma vida inteira de piadas, abusos, humilhações. Acredite, mesmo vindo dos amigos, piadas sobre seu peso só são engraçadas por fora.

    ResponderExcluir
  9. O pior é que acontece com a maioria!

    ResponderExcluir
  10. Concordo com o comentário acima. Quando eu era gordinha, eu sabia de comentários das pessoas ao redor sobre o meu peso e tal. Tinha amigas que adoravam andar comigo e sempre ficavam reparando em como eu estava. Quando eu emagreci, uma suposta amiga minha depois de muito tempo, me viu, reparou em mim dos pés à cabeça sem disfarçar e do nada nada parou de falar comigo frequentemente. Realmente, não é todo mundo, mas a maior parte apenas gostam de ter uma amiga gordinha porque sabem que ela não fede nem cheira. Para as mulheres ter uma amiga gordinha é como o comentário acima falou, ser a amiga comparação. Você anda junto pra outra se sentir a gostosa. Eu era a legalzinha, que ninguém dava bola e só olhavam para a minha "amiga" que era super magrela e nem beleza tinha. Para homens, nós somos apenas seres assexuados que estamos ali para dar conselhos sobre outras mulheres. É só a gente emagrecer ou mudar nossa vida para ver quem realmente quer a gente bem de verdade ou não. Sempre fui motivo de deboche até os 15 anos por meninos e meninas. Com 17 anos emagreci, e já vi gente que debochava de mim quebrando o pescoço pra olhar pra mim. Não estou querendo me achar nem nada, mas eu me tornei esnobe com pessoas que mereciam, que só gostavam de mim enquanto eu fazia algo em troca.

    ResponderExcluir
  11. No geral, as pessoas confundem o significado da "auto-estima".
    Auto-estima não é fazer de tudo para se encaixar num padrão de beleza aprovado pela mídia, mesmo que para alguns seja impossível de se alcançar. Auto-estima é ter um nível suficiente de aceitação - e aceitar-se como é (gordo ou magro tanto faz); e ter, assim, firmeza suficiente para dizer "não" às amizades abusivas.

    TODOS nós merecemos ser amados e não apenas "úteis".
    Sendo assim, duvido muito de amizades do tipo descrita no post; "amar" alguém apenas porque ela fazia gracinhas enquanto gorda, me desculpem, mas não é amar coisa nenhuma.
    Não é à toa que ela, ao emagrecer, esnobou vocês, para fugir dessa situação de subserviência; e, agora, magra, não sabe que ainda em que papel atuar, perdeu-se de si.
    Muito provavelmente, uma das razões da depressão.

    Quais e quantos desses amigos dela, estão lá para retribuir a amizade, para, solidários, ouvir seu choro, segurar sua mão?

    ResponderExcluir
  12. Fui casado com uma pessoa que fez a cirurgia, dei apoio, encorajei, fiquei lado a lado na difícil recuperação. E adivinha o que aconteceu um ano após a recuperação e com vários quilos a menos. ela mudou totalmente, se achava a pessoa mais bonita do universo e me traiu sem o menor pudor. Hoje estamos separados e concordo com o texto vivenciei e posso garantir ser a mais pura verdade

    ResponderExcluir
  13. eu só tenho a comentar que eu fico admirado como as mulures tratam umas as outras , é um universo de facildade e egocentrismo que estrapola tudo o que eu possa comentar sobre o assunto.

    ResponderExcluir
  14. Caramba... Estou prestes a passar pela cirurgia bariátrica e penso sobre esses aspectos.

    Me identifico com a "amiga gordinha bacana", mas acho que essa Rafaela não deve ter tido o acompanhamento adequando com o psicologo; seja no pré e pós operatório.

    ResponderExcluir
  15. As pessoas não mudam o pensamento com uma mudança de visual, elas simplesmente se tornam o que sempre queriam se tornar, isso tem nome: LIBERDADE. Eu não vou entrar no cunho moral do caso, pq isso vai gerar mais polêmica ainda, mas vamos comparar a situação de uma "ex-gordinha" com alguém ganhando na mega-sena. Ora, há muita gente por aí que para fazer as coisas quando tem dinheiro e o ganho na mega-sena é a oportunidade que faltava pra realizar todas as fantasias. O ponto que eu quero chegar é que todos esses pensamentos, vontades, atitudes que alguém que fez essa cirurgia tem simplesmente aflora quando a auto-estima te impulsiona a fazer essas coisas. O problema é que essa liberdade tem o seu preço, e alguém que tem essa mudança brusca na aparência não está acostumada a pagar, e geralmente a coisa desanda. É como na famosa frase: Com grandes poderes vem grandes responsabilidades

    ResponderExcluir
  16. Concordo com o comentario acima!! A gordinha legal só é legal porque é gorda! Bastou emagrecer para mostrar "na verdade" quem ela é.
    Se fosse esnobe quando gorda tava f#dida.

    ResponderExcluir
  17. eu não sei o que se passou com essa "sua" amiga. já pensou que ela tenha ficado magoada com, por exemplo a falta de apoio da vossa parte? só uma hipótese.
    posso apenas falar por mim: sempre fui gorda, e sempre fui a tal gordinha do grupo. namorei bastante, parti corações partiram o meu... o normal como outra pessoa de peso aceite.
    à uns anos para cá mudei um pouco o meu jeito de ser. ( e não emagreci) o problema foi que eu cresci. amadureci, e olhando para trás vi que esses tais amigos bacanas que sempre me rodaram estavam ao meu lado sempre por interesse. ou quando queriam um ombro, quando eu precisava andavam sempre ocupados. quando por exemplo a mae de um amigo morreu eu fui prestar a minha ajuda meu ombro amigo, a 50 km da minha casa... depois de um dia estoirante de trabalho... quase sem dinheiro para a gasolina... com os nervos e a emoção desses 2 dias acabei por perder o meu bébé... mas tudo bem... foi apenas um conjunto de infelicidades... pior é que quando o meu pai morreu... esse meu "amigo" que mora a 5 min da igreja.. n apareceu... apenas me telefonou a pedir desculpa por n ir pk tinha tido um dia com muito trabalho... que sentia muito.... acham mesmo que a gordinha simpática acha que vale a pena ser assim tão simpática?
    é triste sabermos que nós tiramos a roupa do corpo para um amigo e quando precisamos eles nem ao nosso lado estão...

    ResponderExcluir
  18. Acredito que isto se aplique a quem não tem dinheiro e depois passa a ter... ( pelo menos em pessoas vazias )

    ResponderExcluir
  19. Eu na obesidade, sofri os mais variados abusos. As epssoas acham que vc nao tem direito de namorar, de ser feliz, de ser admirada. Sempre sofri preconceito e era muito afastada das pessoas pq nao aceito ser depreciada e ficar de boa, ser amiga, rir junto. Mas depois de emagrecer, todos aqueles que riem de vc, e dizem q nunca ficariam com vc, pq vc é feia, enorme, repulsiva, querem ser seus amigos, correm atras..e pasme.. até os familiares se reaproximaram.. É triste ver como a essencia do ser humano é tao desvalorizada, infelizmente uma boa aparencia é o que mais importa no mundo em que vivemos. Eu nao diria que é TUDO que importa, mas é como se fosse um pré requisito. Para fugir disso vc tem q ter um super talento, tipo a Adele.

    ResponderExcluir
  20. Sou gorda, mas não tenho tamanho para cirurgia bariátrica. Tenho conhecidas, 5 exatamente, amigas de amiga ou alguém perto do trabalho. Que se acham o máximo agora e vivem dando dicas para eu emagrecer. Esquecem q só estão magras devido as cirurgias. Eram muito maiores que eu, não eram saudáveis como eu, e agora tenho q ouvir das bonitas que eu não tenho força de vontade. Sim, as 5 estão magras super-hiper esnobes

    ResponderExcluir
  21. Ainda sou gordinha mas após um quadro de depressão onde tomei varios ancioliticos, os quais inibiram meu apetite emagreci consideravelmente (20 kg).
    Sim, sempre fui a amiga comparação, sofri muito com piadas até mesmo dentro de casa onde meu pai,mãe e irmao sao gordos. Nunca fui de chamar atençao dos garotos, e os que eu ficava depois me ignoravam, ou me zuavam com os amigos.aguentava comentários do tipo '' seu rosto é bonito se vc emagrecesse...'' , ''ei deixa pra mim tbm'' , ''vc n presisa comer esse bombom vc tá muito gorda dá ele pra mim'' , '' sai de perto que vai quebrar olha ela subindo'', etc.
    Meu pai que sempre fugiu de dieta sempre encontrou uma forma 'mais fácil' de emagrecer. e fez a cirurgia bariatria. meu pai mudou completamente.traiu minha mae, ficou arrogante,etc.
    mas para quem o pessoal ao redor e ela mesma acha que vai suportar uma mudnaça tão drastica sem mudar o psicologico vale a pena.vale a pena no lado da saúde, pois meu pai hj n presisa mais tomar vários remédios para pressao, diabetes.
    enfim, a sociedade é uma puta de uma falsa pois temos hj uma renca de gordos enquanto outros morrem de anorexia, bulimia. pra que ficar essa coisa de que gordo é preguiçoso, gordo é feio. tá certo que ser muito gordo não é bom para a saúde, e que sim, temos que emagrecer SÓ PELA SAÚDE o que para alguns gordinhos não é tão dificil. mas plis não entre na faca atoa...sei que é dificil, sei que varios medicos e leigos vao flar que vale a pena mas pensem muito bem antes de tomar essa decisao se vc pode emagrecer de outra forma.

    ResponderExcluir
  22. Ana Cláudia Marques20 de março de 2012 16:40

    Que triste ver que amigas de ex-gordinhas terminaram a amizade porque ao vê-las esbeltas passaram também a vê-las como competidoras nas atenções masculinas. Isto é, no tempo em que elas tinham quilinhos a mais, tudo bem, né? Eram as bacanas, legais, amigas e confidente. Mas agora acabou-se o parâmetro de comparação as belezocas sentiram-se logradas. Delas, sim, eu sinto pena, não das ex-gordinhas. Estas estão de parabéns, claro que por terem feito por vontade própria, não porque os outros ficaram falando. Porque há gordinhas também quesão felizes sem querer fazer regime. Palmas pra elas.

    ResponderExcluir
  23. Posso estar errada, mas pelo que foi contado eu entendi que as "amigas" dela não deram o apoio necessário qdo ela passou pela cirurgia e nem no pós-operatório. No seu relato não fala de uma visita no hospital ou algo assim. E se uma pessoa é amiga de verdade, não vai ser na primeira virada de cara ou "piti" da outra, que vai largá-la. Se é amiga de verdade, vai correr atrás, querer saber o que está acontecendo e ajudar, mesmo que a pessoa diga que não precisa, mesmo que doa. Porque às vezes nós não enxergamos que estamos fazendo algo errado, mas os amigos sim, e são eles que nos livram de fazer muita besteira.

    ResponderExcluir
  24. milena a unica que conseguiu dizer alguma coisa inteligivel
    realmente, a mudança no corpo cria uma nova personalidade, mas eu acho assim se a pessoa quiser falar comigo faz um favor, se nao quiser falar faz dois.. principalmente se for uma pessoa complexada que quer resolver seus problemas na tóra

    ResponderExcluir
  25. a milena foi a única que falou alguma coisa sensata aqui nesse post..
    a gordinha ficou gostosa entre aspas, manda tirar a calça colada e o vestido pra ve o tanto de pelanca que num tá..
    ela nunca vai deixar de ser a gordinha pq ela eh complexada
    agora ela so quer se vingar enquanto pode dos homens e das amigas até voltar a ser uma gorda baleia de novo

    ResponderExcluir
  26. Conheço algumas pessoas que já passaram pela gastroplastia, e por incrível que pareça nenhum deles se tornou um ex-gordo chato. Claro, nos primeiros meses o controle é mais rígido, mas é preciso compreender que a pessoa ainda esta se adaptando a uma vida bem diferente e mais regrada que a que tinha. Mas no geral meus amigos que passaram por isso se tornaram pessoas mais felizes. Porém, na contramão tenho uma amiga, ou ex amiga(tá mais prá ex mesmo)que resolveu emagrecer e ficar saudável através de dietas e exercícios. sim, ela deixou de ser sedentária e perdeu seus mais de 40kg. excedentes em 1 ano. Ficou gata, malhada, toda durinha e linda. Mas uma chata de galocha, aquela que conta calorias do prato dela e do seu, que diz que seu torresmo vai te causar um infarto e que vc precisa ir com ela à academia. Ceveja com ela, nunca mais, além de calórica ela nunca tem tempo, afinal precisa correr 8km. e malhar 3 horas diárias 7 dias por semana e dormir cedo prá retardar o envelhecimento. Ficou insuportável, convencida e apesar da tal melhora visual, mais infeliz. E olha que gordinha, ela era tão mais sexy

    ResponderExcluir
  27. Fiz a bariátrica e acho que pode haver problemas dos dois lados: aquela amiga que se utilizava da outra apenas para ter alguém mais gorda ao lado (aconteceu comigo) - e a mudança de personalidade. Tudo bem. Mas se o grupo era realmente de AMIGOS - e ela fez uma operação grande CLARO que ela "nossa amiga teve que se ausentar do grupo por algumas semanas" Qual dos amigos a visitou ou ligou para ela? Demonstrou algum tipo de preocupação? Se você tivesse "amigos" que soubessem que vc fez a operação e nem se dignassem a te procurar você iria confraternizar, ou viraria a cara como ela fez com razão?

    ResponderExcluir
  28. Adorei esse post, acho que sou uma gordinha bacana, mas quero ser uma magrinha bacana,, não magra exatamente... Pois sou uma pessoa alta e magreza nunca combinaria comigo, só uns ajustes aqui um outro ali e está bom, agora deixar minha personalidade de lado por causa do meu corpo nunca. Não tenho problemas agora e não quero ter problemas depois. Beijos

    http://livroseuquerolersempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir