sábado, 10 de março de 2012

Zé Carioca fez o Brasil virar moda

Quem viaja com frequência pra fora, sabe bem. O Brasil tá na moda.
São as últimas notícias vindas diretamente da gringa: Parece que o mundo inteiro foi contaminado pela febre verde e amarela. Aos olhos das outras nações, nós brasileiros, viramos uma espécie de embaixadores da ‘boa vizinhança’, conhecidos e admirados pela típica mania de levar tudo na boa.
E sabemos que isso não é a toa.
Mas não é de hoje que o Brasil inspira e deixa os gringos boquiabertos.
A animação abaixo mostra a criação e primeira aparição do que seria o maior simbolo 'tipo exportação' do nosso país, o personagem Zé Carioca. O vídeo faz parte do filme Saludos Amigos de Walt Disney, e teve sua premier de lançamento feita no Rio de Janeiro em 1942. Sendo lançado no USA apenas no ano seguinte. Uma tremenda moral pra época.
.
No trecho do vídeo, Zé Carioca arrasta o Pato Donald para conhecer o Brasil, a cidade maravilhosa e seus subprodutos como o samba,... e a cachaça. Pois é, os tempos eram outros.
Na época Walt Disney estava interessado em expandir sua relação com os países da América do Sul, e com o filme quis fazer uma grande homenagem aos latino americanos, em particular ao Brasil que acabou ganhando um mascote exclusivo.


Zé Carioca teria sido criado pelo próprio Walt Disney dentro do Copacabana Palace Hotel. O desenhista disse que amou tanto o Rio de Janeiro, que tinha que deixar um presente para os cariocas. Hoje o Zé Carioca é mais do que um personagem ou simbolo, é um elo entre a Walt Disney World e o Brasil. 
O nome "Zé Carioca" surgiu da concepção de que Joe (José) é um nome comum entre países sul-americanos, e "Carioca" como conseqüência de sua vinda ao Rio de Janeiro. No Brasil, tornou-se apenas "Zé Carioca"; nos Estados Unidos e França o personagem se chama "Joe Carioca", na Espanha ele se chama "Pepe Carioca" e, apenas na Itália é que seu nome é "José Carioca".
Em uma era em que alguns países eram lembrados apenas pelas suas guerras, ser mundialmente associado a um personagem de Walt Disney devia ser um luxo sem tamanho.

Esse pode ter sido o gatilho que lançou a brasilidade pro mundo. 
Lá se foram setenta anos e nunca mais conseguiram produzir algo que traduzisse o Brasil tão bem. 
Ah, recentemente teve aquela animação Rio, mas não acho que role a mesma identificação. Não tem cachaça pô!

E você já foi na Bahia? Por que Walt Disney e seus personagens também passaram por lá. Afinal não é só do Rio de Janeiro que se faz o Brasil.
Cinco anos após o sucesso de Saludos Amigos, Zé Carioca retorna na animação The Three Caballeros para levar Donald pra descobrir o que que a baiana tem.
Eu não encontrei uma versão dublada do longa. Mas isso acabou sendo uma coisa boa, assim vocês podem reparar no cuidado que tiveram em escolher um brasileiro para dublar o Zé Carioca e ao misturar as línguas e sotaques. Um toque genial.
Até a pouco tempo atrás, quando pintava um brasileiro em um filme americano era provável que ele falasse espanhol.


O brasileiro tá sempre procurando um ponto de identificação internacional. Já sentimos uma tremenda alegria quando encontramos um gringo com a camisa da seleção ou pagando uma nota preta por um par de chinelos havaiana. Soa quase como uma homenagem.
Mas as vezes, melhor do que buscar uma nova identificação, é resgatar as antigas. E eu acho que o Zé Carioca é um bom exemplo disto.
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
3 Comentários

3 comentários :

  1. Mtos brasileiros hj tem q aprender a ter orgulho de seu país pq há mtos motivos pra isso, e tb, é claro, fazer novas coisas com q se orgulhar =) Ótimo texto.

    ResponderExcluir
  2. Ótimo texto, mas devemos olhar os outros lados: A impressão que se tem dos brasileiros é que somos "malandros" por natureza, que agimos sempre para ganhar e estamos sempre bebendo alguma coisa. Acho ótimo o mundo ter esse conhecimento do Brasil, saber que o mesmo existe. No entanto, essa imagem de "boa-vida" é algo que temos que lutar contra. Pelo menos vejo assim...

    ResponderExcluir