segunda-feira, 23 de abril de 2012

Mulheres na vida do crime

Quem ainda ousa afirmar que a mulher é o sexo frágil, certamente ficou brecado no século passado. Elas lutaram por igualdade, foram atendidas, e agora os homens que se cuidem, porque o futuro do mundo pertence às mulheres. 
Já foi o tempo em que se criava uma filha para ser ‘prendada’ e conseguir um bom partido, agora orientamos as meninas para que cresçam fortes, autossuficientes e para que jamais dependam de um homem, nem que para isso elas terminem namorando outras garotas.
Já que hoje em dia é praticamente impossível sustentar uma família com apenas uma fonte de renda, acho isso tudo mais do que justo.

O que não se esperava é que as mulheres fossem tão longe dentro dessa igualdade, e que assumissem com tanta competência certas funções anteriormente dominadas pelos machos. Um bom exemplo disto está na ‘vida do crime’. Vejam bem, para alguém com anos de prática na administração do lar, na criação de adolescentes e na manipulação de instrumentos de cozinha, deve ser fácil gerenciar uma organização criminosa.
E em um país capitalista pobre como o Brasil não demorou muito para que esse lado feminino bandido aflorasse em nosso solo. Enquanto em alguns lugares as mulheres ainda lutam por um reconhecimento dentro de uma sociedade machista, aqui nós temos várias gangues articuladas inteiramente por fêmeas.
Vamos a elas...
.
Gangue das Loiras
Grupo composto por seis mulheres, cinco loiras e uma morena, acusado de ter levado a cabo mais de 50 sequestros violentos pela zona sul de São Paulo. Após a prisão da primeira suspeita, a polícia montou uma grande operação para capturar o restante dos elementos do grupo.
A gangue começou a praticar roubos em condomínios e, desde 2008, fazia também sequestros relâmpago. As mulheres da gangue preferiam vítimas loiras para poderem usar suas identidades em compras com os cartões de crédito.
Especialidade: Fraude, Sequestro e Estelionato.
Motivação do crime: Os altos preços das tinturas de cabelo.

Gangue das Gordas
Grupo de sete mulheres que causaram grandes prejuízos aos lojistas de Minas Gerais. As obesas possuem um número bem ensaiado onde ignoram completamente as câmeras de vigilância. Cheias de sacolas, elas entram aos poucos na loja da vítima e quando todas estão a postos, uma delas se aproveita do volume do corpo e tampa a visão do funcionário da loja que mal pode ver enquanto as outras integrantes da gangue limpam as prateleiras.
Especialidade: Furto e roubo
Motivação do Crime: Exercício alternativo para emagrecimento.

Gangue das Idosas
Um trio de senhoras que ataca em padarias e restaurantes onde surrupiam o conteúdo das bolsas das clientes. Em uma ação, antes de sair do estabelecimento já com o produto do furto, as três idosas ainda levaram três ovos de páscoa e garrafas de bebida do local.
Especialidade: Furto, Roubo e Fraude.
Motivação do Crime: Compra de remédios e fraldas geriátricas.

Gangue das Garotas:
Um grupo com cerca de 15 crianças e adolescentes, na maioria meninas, promovem um arrastão de roubos e furtos nas lojas da capital paulista. Elas invadem o local em bando e em questão de segundos levam tudo que conseguem carregar. Devido à idade das infratoras, a policia da região possui muita dificuldade na dissolução do caso.
Especialidade: Roubo
Motivação do Crime: Viciadas em balas e doces.
.
Sempre ouvi dizer que as caixas de supermercados eram sempre mulheres porque inspiravam maior honestidade que os homens. Isso tudo só veio provar que isso é mais um pensamento machista que fere as conquistas da igualdade feminina. Já está na hora de nos atermos que uma mulher pode ser capacitadamente tão pilantra quanto qualquer homem.
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
1 Comentários

Um comentário :

  1. 'uma delas se aproveita do volume do corpo e tampa a visão do funcionário da loja...' Não devia, mas eu ri.

    Mulherada, TODOS os tipos delas, não andam fácil...

    Já reparou em quanto briga em escola a gente tem visto relacionadas a meninas? E não é mais só o tal de 'puxa cabelo', elas andam violentas, algumas vezes mais que os meninos. Costumas ser mais cruéis... Tá dando mesmo.

    ResponderExcluir