segunda-feira, 11 de junho de 2012

Valendo o quanto pesa

Eu sempre achei que a arte de ‘dar um presente’ para outro alguém, é um dom reservado a poucos. Dom este do qual admito não possuir um mínimo de afinidade sequer. A chance de se receber um presente meu é a mesma da espera de um milagre. Você deve estar me julgando um escroto agora, mas em minha defesa eu gostaria de declarar que também não faço questão de ser presenteado. 
Enfim, com um calendário cristão repleto de datas ‘comemorativas’, onde a troca de presente torna-se quase que uma obrigação social, fica difícil colocar em prática a minha revolucionária filosofia de ‘não presentear’. E certamente o Dia dos Namorados é o evento mais ardiloso de todos.
Amante, noiva, esposa, ficante, e até ‘lanchinhos da madrugada’, nessa dia vira todo mundo namorada. Se você está comendo alguém, é bem provável que, neste dia especial, este alguém espere receber uma espécie de bônus por essa relação.

Bom, voltando para o meu caso, que não se encaixa em nenhum dos exemplos que citei acima,... Homem comprometido que sou, resolvi aproveitar o Dia dos Namorados para testar uma dais maiores litanias dos relacionamentos. A relação, mulher versus joia.
Foi com esse pensamento que saí de casa rumo a uma joalheria para comprar uma primeira peça de real valor, para aquela que seria a minha última mulher. Antes disto, a coisa mais valiosa que eu havia dado para uma namorada, foi um vestido caríssimo de uma marca famosa. Inclusive, minha mãe ficou furiosa comigo quando deu pela falta do vestido em seu armário.
Estava empolgado pela nova experiência. Nunca havia entrado em uma joalheira... bom, teve aquela vez que fui vender uma pulseira de ouro, mas não conta. Nunca havia comprado uma joia. E confesso que nunca achei que faria algo assim para alguém um dia. Nunca!
Para economizar na passagem, resolvi fazer o trajeto na caminhada. Para facilitar a caminhada resolvi ir de camiseta e bermuda. O que se mostrou uma sabia decisão tendo em vista o sol a pino que o dia ostentava. Os chinelos foram só pra completar o visual.

Cheguei na joalheria muito suado e cansado, e a princípio o único funcionário que parecia disponível para me atender naquele momento, era o segurança da loja. Após uma breve explicação onde eu tive que convencê-lo que eu realmente iria comprar algo no lugar, logo uma atendente perdeu em um Jô-ken-po entre os funcionários e com um grande pesar no rosto, veio me atender.
-Posso ajuda-lo?
-Espero que sim, estou procurando um anel para a minha namorada.
-Tem algo em especial em mente?
-Sim. Algo que eu possa pagar.
-Entendo...
-Eu vou precisar do seu auxílio, porque eu nunca comprei uma joia para uma mulher antes.
-Nunca?
-Não, nunca precisei... eu sempre me garanti na cama.
Instalaram-se alguns segundos de silencio que logo resolvi quebrar para não deixar margem para interpretações errôneas.
-Não que eu não me garanta mais. É que agora eu tenho alguém que vale tal investimento.

A mulher me olhou de cima em baixo, e me conduziu para o final do enorme balcão onde puxou um mostruário de dentro.
-Essas são as minhas peças mais baratas. Qualquer uma destas custam $$.
-Mas essas são todas iguais. Você não teria algo mais,..exclusivo?
Ela guardou o mostruário de forma desanimada e suspendeu dois novos com peças bem mais vistosas, e valiosas. 
-Tem esses aqui, mas são mais caros e com valores variados.
-Gostei. Mas achei muito parecido com alianças, não quero passar uma ideia errada pra ela. Tem outros?
Durante um tempo eu abusei de sua paciência, exclarecendo minhas dúvidas e perguntando os preços que eram calculados na hora levando em conta o peso de cada peça e a cotação do ouro no dia. Ou algo assim.
Foram longos minutos até que eu encontrasse um que me agradava. Um anel simples de ouro com um grande detalhe na versão branca do metal.
-Vou levar este. Você me dá um desconto pagando a vista?
-Dou sim. Quer dizer, pagando a vista como? Cheque?
-Bom, a senhora pode escolher. Ou eu saco o dinheiro no banco e te dou, ou passo o cartão de débito.
-Ah, sendo assim, tudo bem!
Exibiu-me um largo sorriso e me parabenizou pela compra.
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
5 Comentários

5 comentários :

  1. Huhuahuahau queria ter sido uma mosquinha p/ presenciar tal cena.. e tenho certeza de que a Denise AMOU o presente... =))

    ResponderExcluir
  2. Hahaha, muito bom! Chegar na joalheria de bermuda e chinelo me fez imaginar a cara da vendedora olhando pra você! :D

    ResponderExcluir
  3. Cadê a foto do anel pra ver se realmente é tudo isso que pareceu ser? rs

    Eu não tenho namorado pra me dar joia... E como não uso muito, não comprei uma pra me dar (sim, eu me dou presentes de dia dos namorados/niver/natal/ deu vontade...

    Este ano eu comprei o presente 'de mim para mim mesmas' uns dias antes com medo que só chegasse bem depois. Optei por uma TV de LED de 47 polegadas 3D com blu ray 3D player.

    Mas um 'anel simples de ouro com um grande detalhe na versão branca do metal' também é legal...

    Só zoando :) Aproveitem a data juntos. Porque mesmo com presente legal, se presentear é meio dããã rs

    ResponderExcluir
  4. Garota de MUITA sorte essa sua namorada :)

    ResponderExcluir