sexta-feira, 27 de julho de 2012

A Coluna Invisível


Bem vindo ao que você não deveria conhecer
Detesto as obrigações de internet, facebook e tudo mais (reconhecendo de pronto que o problema é comigo)...  Mas, é parte do trabalho de um escritor ferrado em início de longa via-crúcis fazer tudo que uma grande equipe editorial faria. Pode imaginar a cagada? Alguns dias eu não sinto preguiça (só alguns)... Mas enfim, abro meu e-mail e lá está um convite para ser colunista maldito. 
Depois o cara me telefonou.
- Colunista... De quê? – Eu quis saber.   
- Ah, porra, crie aí alguma coisa. Siga na sintonia do blog.
- Pode ser no esquema do livro Invisível?
- Sim... Pode ficar legal!
- Beleza... Vou tentar “canetar” esta mixórdia então. Mas, me conta aí: quer dizer que você curtiu mesmo aquele livro de maluco?

O papo foi longo... Camarada gente boa, fulano vivido, malandro nas artimanhas da vida (calejado)... Desses que coloca o narrador como ouvinte em dois tempos de respiração. O mais legal é que você não tem coragem de cortar e seguir com outro papo. O camarada é mais artista que o artista, se formos parafrasear aquele lance de “viver é uma arte” (e deve ser mesmo). Um bendito artista maldito, um sujeito capaz de convencer o mais preguiçoso dos escritores a assumir uma coluna semanal. 
- Perfeito, meu camarada. Depois a gente se fala. Fique com Deus.

Porra... Acho que mandei outro ateu ficar com Deus... Eu tenho que parar com isso (mania canalha de vovó). Uma vez eu dei a mesma mancada com um professor de física e ele respondeu: 
– Fica você com Deus, já estou farto de cobradores hostis à minha porta. 
Não fiz por mal, Senhor Evaristo, palavra de honra. Não chego nem perto de um Morris West, por exemplo; eu não sirvo para calçar as benditas sandálias do pescador, apesar de crer no céu e na "justiça divina". Ainda prefiro acreditar que a humanidade tem jeito, que nem tudo na vida é só borrão, e que alguém (alguma força especial, coisa inexplicável) criou o tal Big Bang entre uma sacanagem e outra por planetas desconhecidos de dimensões ocultas (sacou?). Dei a ele o nome Deus, mas poderia ser Genésio e Gervásio também... Foda-se.
- É pra escrever com liberdade total mesmo, Mourão?
- Desce a lenha, Pitz!...
(Bem vindos à Selva, caros leitores. Não prometo nada; mas espero cumprir.)
*Dito pelo Allan Pitz

Para conhecer um pouco mais do trabalho desse nosso novo colunista, clique no banner abaixo para ler a resenha de seu último livro A Arte da Invisibilidade, e comprar o seu exemplar.
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
6 Comentários

6 comentários :

  1. Estando no Dito pelo Maldito, tenho certeza que essa nova coluna não vai decepcionar!
    Boa sorte!

    ResponderExcluir
  2. O trabalho desse cara tá realizando sonhos. Nesses últimos anos, qual o escritor que foi tão corajoso e claro pra dizer tanta coisa desse mundo contraditório? Li e reli a obra desse cara. Um convite a reflexão - e libertação. É uma pena não ter uma mesa redonda nas escolas pra debater com essa nova geração ideias tão boas de harmonizar o crânio.
    Parabéns Mourão.
    Bem vindo Allan.

    Ass. Xamâ.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom, gostei muito, parabéns pela coluna ! Você merece !

    abs

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Allan por todo o seu trabalho e Parabéns ao Dito pelo Maldito de criar espaço para nova coluna tão apimentada. SUCESSO!!!

    ResponderExcluir