sábado, 17 de novembro de 2012

Abaixo das Nuvens

Não tenho medo de parecer um maluco quando digo que já tenho bem definido em mente a minha ideia de mundo ‘pós-apocalítico’. E se você for uma pessoa sagaz, provavelmente também deve ter sua definição sobre este nosso provável futuro obscuro, seja ele baseado nos preceitos do cristianismo, no calendário Maia, na praga de zumbis do Romero, no aquecimento global ou até mesmo na milenar sabedoria popular que já há muito tempo anda a se perguntar: ‘Onde esse mundo vai parar?! .
São dezenas de projeções sobre o ‘fato’ que até hoje geram um vasto material para filmes, series, quadrinhos e principalmente para literatura. Um tema bem interessante que já foi recontado tantas vezes e de tantas formas diferentes que fica até difícil encontrar algo realmente original sobre a questão.

E foi com essa autoconfiança de quem ‘acha que já viu e leu de tudo sobre o assunto’, que iniciei a leitura do livro Abaixo das Nuvens do escritor Lucas M. Carvalho, publicado pela editora Dracaena.
Com uma leitura rápida na sinopse, mergulhei nas páginas do livro certo de que não seria surpreendido, mas bem disposto a vivenciar uma grande aventura.
Já nos primeiros capítulos fui apresentado a um deslumbrante mundo tecnológico que me deixou um pouco desconfortável. Sempre achei complicado para um escritor descrever elementos ‘inventivos’. E o mesmo vale para o entendimento do leitor. 
Mas felizmente o autor soube conduzir muito bem essa parte do drama, que não dura muito, pois logo a história passa por uma reviravolta e somos subitamente arremessados juntos com o protagonista em um terreno ríspido, empoeirado e corrosivo, esse sim o tipo de 'fim dos tempos' que particularmente eu gosto de ver e acho que a humanidade merece. Daí por diante a leitura transcorreu em um fôlego só.

Sim, isso significa que quebrei a minha cara e fui surpreendido com algo totalmente novo no cenário descrito em Abaixo das Nuvens, que como o próprio título sugere, apresenta a nossa injusta piramide social em sua forma mais perfeita, geograficamente na vertical. 
Um dia você até pode estar elevado no topo desta piramide, mas cuidado ao acostumar-se demais com a altitude. Quanto maior a distancia entre as classes sociais, maior será a queda e mais drástica será uma adaptação a essa nova situação. Os seus valores podem inverter-se de uma forma inacreditável.

Mesmo considerando a sobrevivência do protagonista cada vez menos provável dentro daquela trama, eu me envolvi de tal forma com sua sina e torci tanto pelo seu êxito que cheguei a temer que aquela excelente história culminasse tristemente em um desfecho fantasioso, desses cheios de 'soluções mágicas',... Mas não, o final desta obra teve a dignidade que a história mereceu por todo o seu desenrolar. E na minha opinião, isso marcou uma sólida maturidade literária do autor.
Como podem ver, eu gastaria mais tempo e palavras para ressaltar as coisas que me agradaram nesta obra do que o tempo e as palavras que consumi para ler o livro. Difícil é fazer isso sem correr o risco de acidentalmente revelar algum ponto importante da trama e acabar estragando as passagens que me surpreenderam para os futuros leitores.
Para finalizar, eu só gostaria de acrescentar que o enredo de Abaixo das Nuvens é tão inspirador, que eu estou muito feliz de ter tido a oportunidade de apreciar este livro antes de sair o filme. 
Porque com certeza vão fazer um filme deste livro, não vão? Vão? Vão?! Diz que sim, vai!!!

Se você acha que consegue sobreviver em um mundo abaixo das nuvens, clique agora no banner abaixo da Saraiva e compre o seu exemplar por um preço acessível para qualquer classe da nossa piramide social.

Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
0 Comentários

0 . :

Postar um comentário