terça-feira, 4 de dezembro de 2012

O torcedor e sua paixão cheia de razão

Acordei de cabeça inchada hoje. Não, não foi gaia dessa vez. Contudo foi uma coisa igualmente emotiva, o futebol. A merda do meu time, o Sport, foi rebaixado mais uma vez. Isso é algo que profundamente me irrita e entristece. É simplesmente uma merda. Mas assim como um corno apaixonado que volta para a sua infiel amante, sei que em alguns dias estarei mais uma vez fazendo juras de amor ao Leão da Ilha do Retiro. Coisas de torcedor. Coisas da vida. 
Algumas pessoas não entendem tanta paixão, algumas outras chegam a se irritar com isso. Não as culpo, não as ataco, mas me sinto no dever de tentar explica-las o que é isso que acelera milhões de corações, arranca rios de lágrimas e regula o humor de boa parte da nação.
Futebol não é só um jogo, não é apenas um esporte, nem é simplesmente um negócio. Ele é mais. Ele é bem mais complexo do que os não amantes podem imaginar. Futebol é vida. Futebol é guerra. Um clube não é uma bandeira, um estádio, um grupo de jogadores ou um punhado de cartolas. Um clube é bem mais. Alguns clubes podem até ser empresas, mas boa parte deles são bastiões de identidade cultural. Torcer para um time é muito mais que uma desculpa para tirar sarro do colegas de trabalho. Torcer para um time é fazer parte de uma família, heterogênea às vezes, mas ainda assim um família. É declarar amor ao seu povo, a sua terra.

Vi algumas pessoas argumentarem que tudo não passa de uma imensa piada. Que cartolas e jogadores estão festejando com o nosso dinheiro enquanto choramos. Bobagem. Uma coisa têm que ficar bem clara quando se fala de jogadores de futebol, eles são trabalhadores, essa é a profissão deles. E por mais legal que seja o seu ambiente de trabalho, e por mais que você goste dos seu colegas, você irá trocar de emprego caso uma outra empresa lhe ofereça um salário substancialmente maior. É simplesmente um absurdo falar que os jogadores não se importam com o time que defendem. 
Se em algum momento da sua vida você já fez alguma coisa em alguma pelada que lhe rendeu uns aplausos você sabe do que eu estou falando. É inconcebível que qualquer ser humano se sinta indiferente diante de uma torcida de milhares de vozes gritando o seu nome.
Vi gente falar que nós somos iguais, e torcer pelo time A ou pelo time B não significava nada. Isso é um absurdo. Assim como eu afirmo “se você gosta de mulheres, você não escolhe a mulher que ama”, eu afirmo “se você ama o futebol, você não escolheu o seu time para o qual você torce”
A escolha de um time trás consigo tantos fatores que é quase impossível lista-los. Sua cor, sua classe, seu povo, sua religião, sua orientação sexual, sua família... Torcer para um clube é afirmar a sua identidade. Exagero? Existe maior símbolo do catolicismo no reino unido que Celtic F.C.? Você acredita que futebol é apenas distração pro povo? Me explica como uma luta entre as torcidas do Dinamo de Zagreb da Croácia e do Estrela Vermelha de Belgrado da Sérvia foi o estopim para a guerra dos Balcãs? Futebol não é só um jogo.
Futebol é a mais completa representação que temos do mundo. Ele pode ser amor. Pode ser guerra. Pode trazer lágrimas, sorrisos, abraços. Pode servir de fuga para uma vida de merda. Pode ser uma boa desculpa para tomar uma cervejas com os amigos. Pode servir de inspiração como os desnutridos e subumanos heróis do FC Start (±Dinamo de Kiev) deram suas vidas ao humilhar dentro das quatro linhas os perfeitos arianos da Luftwaffe alemã (Flakelf). Um clube é bem mais que uma bandeira, um estádio, jogadores ou duas ou três cores. Um clube é, antes de mais nada, os seus torcedores.

A derrota e o rebaixamento, doem. Nos arrancam o brilho dos olhos. Mas estamos acostumados a reerguer a cabeça e partir para luta. Porque futebol é vida e, já disse o Rocky Balboa, viver não se trata de saber bater, se trata de continuar em frente mesmo levando porrada.
Pelo Sport Tudo.
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
0 Comentários

0 . :

Postar um comentário