quarta-feira, 26 de junho de 2013

'Cujo', adaptação da obra de Stephen King

Cujo (Cujo)
País de Origem: Itália
Ano de Lançamento: 1983
Diretor: Giuliano Carnimeo
Roteiro: David Parker Jr. (A partir da história de Stephen King)
Atores: Dee Wallace, Ed Lauter.

Cujo é um daqueles filmes que não envelhece. Mais uma adaptação de uma obra de Stephen King que conta a história de um dócil São Bernardo que, após enfiar a cabeça num buraco repleto por morcegos infectados, é mordido por um deles e contrai raiva. Mas enquanto a doença não se manifesta, somos apresentados àqueles que têm, ou terão, algum contato com o cão. De um lado uma família começando a se desestruturar: A mãe com seu amante, o pai com seus problemas profissionais e os típicos medos infantis do único filho do casal. Do outro, uma mãe oprimida pelo marido mecânico e seu filho bonzinho. Personagens que apresentam muito mais do que um monte de carne para um cão raivoso estraçalhar.
.
O espectador já tem ideia do que vai acontecer, mas o filme segue em outro ritmo, aprofundando cada vez mais nas vidas de seus personagens até o momento em que, no início da manhã, o filho do mecânico, preocupado com o sumiço de Cujo, que é o nome do cão, sai para procurá-lo, certo de que está próximo a casa. E realmente o encontra, mas num canto repleto por lama e neblina. O cão, antes sempre limpo e bem-tratado, encontra-se agora raivoso, sujo de lama, rosnando enquanto uma baba viscosa escorre de sua boca e olhos injetados, mantenedores de uma secreção amarela-esverdeada.
Diferente dos incontáveis animais assassinos, Cujo não ataca a cidade onde vive, não explode portas resistentes, não duplica de tamanho, não tem conhecimentos sobre eletricidade e nem segue rumo a Nova York. Permanece em sua casa, pronto para matar aqueles que se aproximarem. Por todo o tempo vemos seus olhos, nos deparando com um real sensação de fúria, aliada a um não-exagero que engrandece a obra. A trilha sonora quase não aparece, sendo apenas um complemento, e não um gerador de tensão ou um excesso. Seus poucos momentos caem muito bem.
Enquanto isso, mãe e filho seguem rumo à casa do mecânico, pois o carro está com problemas. Mal chegam e são atacados pelo cão. Tentam, mas o carro não arranca. Sem opção, são obrigados a permanecer dentro do veículo.
A relação que se estabelece, daí em diante entre cão e mãe é hipnotizante. Ele, movido pela doença; ela, focada em salvar o filho. Instintos se afloram e se apossam da estranha dupla, numa luta crua e violenta para sobreviver.
Uma ideia simples, mas trabalhada de forma diferente das inúmeras baranguices com as quais nos deparamos. Quando se trata de animais que matam, é a base para um filme sensacional e assustador.
.
Nas filmagens foram utilizados cinco cães São Bernardo e, numa determinada cena, uma cabeça de cão falsa e um ator vestido como tal. Para manter o cão atraído pelo carro, colocaram seus brinquedos preferidos no interior do veículo.
Cujo foi lançado em DVD no mercado brasileiro em 2004, através da revista DVD Collection, Ano 02, N° 15, da Editora Van Blad. Mas infelizmente, nada de extras. Apenas o filme em fullscreen e, obviamente, suas legendas.
Vale lembrar que a atriz Dee Wallace Stone tem uma trajetória bastante significativa dentro do gênero, participando também dos filmes, Quadrilha de Sádicos (1977), grito de Horror (1981), E.T O Extraterrestre (1982), Criaturas (1986), Popcorn (1991) e Os Espíritos (1996).
E qual o pensamento que tirei sobre? Um cão raivoso é realmente perturbador.

O filme encontra-se disponível na integra no youtube, mas sem legendas. 
O trailer, você confere no vídeo abaixo!

Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
0 Comentários

0 . :

Postar um comentário