quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

A Última Profecia

A Última Profecia (The Mothman Prophecies)
País: EUA
Ano: 2002
Diretor: Mark Pellington
Roteiro: Richard Hatem (Baseado no livro de John A. Keel)
Atores: Richard Gere (Uma Linda Mulher, Chicago), Laura Linney (O Exorcismo de Emily Rose), David Eigenberg

Durante treze meses na cidade de Point Pleasant, Virginia Ocidental, no final dos anos sessenta, ocorreu uma série de estranhos e bizarros fatos. Criaturas semelhantes a aves ou grandes mariposas eram vistas. Pessoas dotadas de vozes estranhas batiam à porta das casas e se apresentavam como Indrid Cold. A população da pequena cidade não sabia o que pensar. Logo após, o desabamento de uma ponte às vésperas do natal, resultando na morte de 36 pessoas. O que quer que tenha sido, após o ocorrido, jamais voltou a se manifestar naquela cidade.
A Última Profecia, baseado em acontecimentos reais e no livro The Mothman Prophecies (As Profecias do Homem Mariposa) de John A. Keel, nos apresenta o casal John e Mary que, felizes após a compra de uma nova casa, sofrem um acidente de carro. Ele sai praticamente ileso, enquanto Mary, consequentemente, descobre ser portadora de um raro tumor e, dias depois, ainda no hospital, falece. Ao lado de sua cama, inúmeros desenhos por ela feito. Em todos, o protagonista é um ser escuro e dotado de olhos vermelhos.
Dois anos após o ocorrido, numa noite, John pega o carro e parte rumo a mais uma viagem de trabalho. Durante o trajeto, seu carro para e ele vai pedir ajuda na casa mais próxima, onde é recebido pela mira de uma arma apontada por Gordon, que visivelmente preocupado, diz que aquela é a terceira vez que aquele desconhecido bate à sua porta. Mas devido à intervenção da policial da cidade, os ânimos se acalmam e, após retornar ao carro, descobre ter percorrido 640 km em apenas uma hora, o que acabou levando-o ao outro lado do país, deixando-o totalmente confuso. E, não sendo suficiente, depara-se com desenhos iguais aos feitos por sua esposa, dias antes de morrer.

Daí em diante inicia-se uma estranha conexão entre o ceticismo do jornalista e o sobrenatural. Apoiando-se em fatos incertos e longe de uma concretude, vê, naquele caminho desconhecido, uma falsa chance de recuperar o que perdeu. Principalmente quando sua conexão com aquele que se apresenta Indrid Cold se intensifica.
A Última Profecia chama a atenção pela seriedade com que o sobrenatural é apresentado. A maneira como John e Indrid se comunicam potencializa o clima de tensão. As conversas são desprovidas de urros, excessos e demais imbecilidades usadas à exaustão em inúmeros filmes do gênero. A sutileza com que tudo é apresentado, o tempo entre um acontecimento e outro e todos os detalhes que à frente preenchem ainda mais a história nos aproximam dessa realidade que ninguém gostaria de vivenciar.    As aparições de Indrid seguem igual caminho, acompanhados pelo tom certo do protagonista e demais personagens, que sustentam por manter-se dentro de suas possibilidades, não afundando em estereótipos e grandes mudanças de comportamento que não seguem lógica alguma.
Neste trabalho, efeitos especiais e a ajuda dos computadores foram deixados de lado. Tudo com qual nos deparamos foi criado através de efeitos conseguidos unicamente com a câmera. Nada de CGI (Common Gateway Interface, ou Imagens Geradas pelo Computador), dando maior veracidade. Não sou contra CGI e toda essa parfernália, mas acho que, muitas vezes, o trabalho perde bastante por preguiça. Um boneco, uma outra forma de construir o que se quer apresentar, certamente será mas trabalhoso, mas o resultado, ímpar (Vide ET e Gremlins. Ambos são limitados pela época e, particularmente, os acho perfeitos e intocáveis).
Outro grande cuidado nesta obra é que tudo acontece às vésperas do natal, mas em momento algum utilizam-se do excesso de sentimentalismo e outras coisas relacionadas à data.

Para os apaixonados por trilhas sonoras, vale muito a pena adquirir a trilha. Trata-se de um CD duplo. No primeiro, uma compilação de algumas bandas (Atenção para a música tema do filme: Half-Life) que não deixam nada a desejar para a soturna trilha instrumental composta por Tomandandy, encontrada no segundo cd.
Em A Última Profecia, nos deparamos com a ideia principal de que o sobrenatural encontra-se muito mais próximo que imaginamos, aproveitando-se dos nossos maiores temores e nos colocando num círculo vicioso de perguntas e respostas que, no fundo, sabemos que não existem e que o próximo passo é necessário, por mais doloroso que seja.
Um filme sério, bem construído e indispensável para os amantes do gênero. Talvez você não tenha medo do Indrid Cold. Eu tive.

Existem outros filmes que abordam a criatura, como o patético e totalmente dispensável Mothman (Sheldon Wilson-2010), e o documentário Eyes of a Mothman (Matthew J. Pellowski-2011).
Pela internet é possível encontrar muitas informações sobre. Vale a pena pesquisar.

Curiosidades:
-O rádio-relógio que aparece no quarto do motel onde John está mostra a hora 6:14. É uma referência bíblica a João, capítulo 6, versículo 14, que diz: Este é verdadeiramente o profeta que devia vir ao mundo.
-O diretor, Mark Pellington, é o atendente do bar, além de fazer a voz de Indrid Cold durante a ligação.
A Última Profecia ganhou três prêmios:
-Fangoria Chainsaw Awards 2003 – Melhor atriz (Laura Linney).
-Melhor Ator Coadjuvante (Will Patton).
-Motion Picture Sound Editors, USA, 2003 – Melhor edição de som – Mark Jan Wlodarkiewicz.

Você confere o trailer do filme aqui... 

... E ouve a música tema Half-Life, no vídeo abaixo:
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
0 Comentários

0 . :

Postar um comentário