quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Livros sobre Guerra que todo homem deveria ler

A guerra é sem dúvida o que há de pior na humanidade. No entanto, paradoxalmente, é em meio a um conflito que os homens costumam expor o melhor de si. Uma guerra é, na maioria das vezes, o resultado da ganância, estupidez ou depravação humana, mas é em uma batalha que muitos homens se revelam corajosos, leais e abnegados.

Eu não sou um soldado. E não tenho planos, vocação e nem idade, de me tornar um. Estudei 2 meses em um colégio militar e foi mais do que o suficiente para saber que receber ordens não cabia nos planos futuros da minha vida. Mas como gosto muito do assunto; acabei lendo e estudando sobre guerras e táticas militares durante um logo tempo, a ponto de influenciar o meu irmão caçula a escolher seguir carreira militar como oficial do exército.
Para quem não consegue encontrar conexão latente entre a guerra e a leitura, permita-me lembrar que alguns dos maiores clássicos da literatura são abertamente sobre combates, ou profundamente influenciados pelo tema. Os poemas épicos de Homero são sobre a guerra, os dez anos de batalha contra Tróia e os dez anos de batalha contra a natureza e os deuses. Roma foi construída pela guerra e pela literatura, e o mundo tem seguido por este caminho desde então. Aqui no Brasil não foi diferente, pois assim que cá chegaram, logo os portugueses escreveram para a 'terrinha' contando as maravilhas da Terra de Vera Cruz, antes de devastar com armas tudo aquilo que enalteceram com palavras nas cartas para Portugal. E nesse século, uma nova geração tem voltado pra casa e escrito livros contundentes sobre a contra-insurgência no Iraque e Afeganistão.

O estudo da guerra é o estudo da vida, porque a guerra é a vida em seu sentido mais cru. É a morte, o medo, o poder, o amor, a adrenalina, o sacrifício, a glória, e a vontade de sobreviver.
Como Virgílio colocou, "a espada decide tudo." Por isso devemos aprender a estratégia, a motivação, as defesas. E procurar entender e respeitar a escuridão e suas conseqüências.
Abaixo você encontrará uma lista com alguns bons livros sobre a guerra. Cada obra é sobre uma civilização, causa, motivações e conjunto de táticas diferentes. Mas são temas atemporais cujo as lições jamais envelhecem. 
Claro que não estou recomendando todos os livros já escritos, ou que eu já tenha lido, sobre o assunto, mas sim um apurado das obras que considero mais relevantes. E como uma coleção assim jamais estará completa, espero contar com a sua ajuda com sugestões em nossos comentários, para que possamos em breve formar outras listas explosivas sobre o tema.



#Para Ganhar a Guerra, de John France, Michael Whitby e Rob Johnson
Livros de guerra são muito mais do que um relato sobre um acontecimento marcante da história. Muitos tratam de verdadeiros exemplos de liderança e genialidade estratégica que podem ser empregados na vida pessoal e profissional de qualquer um. Os autores de Para Ganhar a Guerra sabem disso e analisaram 25 táticas essenciais para o sucesso. 
A obra reúne as táticas que revolucionaram o modo de se pensar a defesa e o ataque em campo de batalha. Cada capítulo é dedicado a uma tática de guerra que entrou para a história e os autores partem de Alexandre o Grande e chegam até os ataques terroristas palestinos. Analisar cada caso é notar como, mesmo com os avanços tecnológicos, certas táticas sobrevivem com o tempo. E é possível ter uma visão comparativa das manobras de guerra ao longo da história. 

#A Arte da Guerra, de Sun Tzu
O maior tratado de guerra de todos os tempos. Sem dúvida a Bíblia da estratégia, sendo hoje utilizada amplamente no mundo dos negócios, conquistando pessoas e mercados. Não nos surpreende vê-la citada em filmes e constantemente aplicada para solucionar os mais recentes conflitos do nosso dia-a-dia. 
Em alguns aspectos, acho este livro um tanto difícil de se aplicar em certos casos, por ser tão dogmático em seu conceito. Mas claro que é um dos textos mais importantes sobre guerra e estratégia já escritos. 
Se você não conhecer pelo menos duas boas linhas dessa obra desde cedo - como, 'Se você se conhece mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota'  - estará perdido quando chegar na vida adulta.

#Guerra, de Sebastian Junger
Durante quinze meses, o autor acompanhou um pelotão de infantaria do Exército dos Estados Unidos baseado numa remota área do leste do Afeganistão. A intenção era ao mesmo tempo simples e ambiciosa: transmitir a experiência dos que lutam em um campo de batalha, contar como se sente quem participa de uma guerra.
Sem julgamentos sobre o que testemunhou - a eficiência, a lógica ou o valor da guerra, o autor oferece um relato a partir de sua perspectiva e aborda o medo, a honra, a confiança que esses homens depositam uns nos outros. Descreve fatos e sentimentos que poucos civis têm oportunidade de ver ou vivenciar: a infindável expectativa da batalha, que entorpece o corpo, os riscos incondicionais que os soldados correm para proteger seus companheiros, a perplexidade e a confusão que tomam conta dos que caem numa emboscada. Com isso, o autor mostra o que significa lutar, servir e enfrentar perigos mortais constantemente.
Guerra descreve, com sagacidade e emoção, uma experiência de vida que há milênios tem sido um ritual destinado aos jovens e fortes: algo que poucos, no conforto de suas rotinas, realmente compreendem, e que continua sendo uma prova definitiva de caráter.

#Onde os Homens Conquistam a Glória - A Odisseia de um Soldado, de Jon Krakauer
Jon Krakauer reconstitui a trajetória de Pat Tillman - astro do futebol americano morto no Afeganistão e um dos principais ícones do patriotismo pós -11 de setembro - e expõe a farsa arquitetada para encobrir aquele que se tornaria um dos mais emblemáticos escândalos militares da era Bush.
Pat Tillman era um astro do futebol americano na época dos ataques terroristas ao World Trade Center. O evento despertou nele a obrigação moral de se juntar às forças armadas do então presidente George W. Bush em sua cruzada contra o terror. Às vésperas da temporada 2002 da Liga Nacional, Tillman renunciou a um contrato de quase 4 milhões de dólares para passar os três anos seguintes como soldado de infantaria.
Enviado ao Iraque e ao Afeganistão, Tillman foi morto acidentalmente por um colega após uma sequência de manobras equivocadas de sua unidade de combate. A reação oficial foi um cínico encobrimento da verdade aprovado pelos mais altos escalões do governo e uma série de investigações que resultariam ineptas não fosse a determinação de Dannie Tillman em descobrir o que acontecera com seu filho.
Em uma pesquisa de fôlego, Krakauer reconstrói a trajetória de Pat Tillman e revolve a campanha de desinformação do governo americano para que a verdadeira causa de sua morte jamais viesse à tona. 

#Guerras Estúpidas, de Ed Strosser e Michael Prince
*Livro já resenhado aqui no blog. Clique aqui para acessar a resenha.
Os ridículos e temerários conflitos narrados em Guerras Estúpidas, incluem a desorientada Quarta Cruzada, a invasão afobada da Rússia pelos EUA, a desconcertante guerra britânica das Ilhas Malvinas, o malfadado Golpe da Cervejaria de Hitler, diversos conflitos sulamericanos incrivelmente patéticos, o fiasco da Baía dos Porcos e muito mais. 
Se você é um futuro ditador, amante real ou apaixonado por história, vai adorar esses textos, que expõem as piores decisões já tomadas pelos mais famosos políticos e belicistas da história.
O nosso país também faz a sua parte e tem a sua desconcertante participação no livro ao ser citado na Guerra da Tríplice Aliança, quando uniu-se com a Argentina para esmagar o impertinente ditador paraguaio Solano López e sua amante prostituta parisiense. Um relato bem-humorado e informativo.

#O Brasil na Mira de Hitler, de Roberto Sander
A obra relata o trágico impacto da Segunda Guerra Mundial no Brasil, como os ataques dos alemães a navios brasileiros e a ação de espiões de Hitler no país.
Os passageiros do navio Baependi, do Lloyd Brasileiro, dançam no salão ao som de uma orquestra, quando uma explosão sacode brutalmente a embarcação. Estamos em 15 de agosto de 1942. Das 306 pessoas a bordo, apenas 36 sobreviveram. Os náufragos, assim como cadáveres e destroços, chegaram ao litoral nordestino transformando a paisagem bucólica num cenário de horror.
O afundamento do Baependi foi um dos episódios mais trágicos da campanha de torpedeamentos de navios brasileiros por submarinos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. Foi também o ponto culminante de uma série de eventos que levariam o governo Vargas a, finalmente, aderir às forças aliadas e declarar guerra à Alemanha de Hitler.
Esta é uma história surpreendente e dramática, que pouca gente conhece. Durante a Segunda Guerra, 34 embarcações brasileiras foram torpedeadas, causando a morte de 1.081 pessoas, a maioria civis inocentes. Nem nos campos de batalha morreram tantos brasileiros.
Com uma pesquisa rigorosa e uma ágil narrativa jornalística, O Brasil na Mira de Hitler resgata este capítulo da nossa história recente. Roberto Sander traz à tona as negociações diplomáticas entre o Brasil e os Estados Unidos; reproduz depoimentos dramáticos de náufragos; recria o desmantelamento da rede de espiões nazistas no Brasil; e expõe as intrigas, desavenças e hesitações do governo Vargas, num teatro de guerra que colocava o país em cena.

#Guerra Irregular, de Alessandro Visacro
As guerras já não são mais as mesmas. Em vez da confrontação militar formal, o mundo vem assistindo a uma série de guerras "irregulares", como terrorismo, guerrilha, insurreição, movimentos de resistência e conflitos assimétricos em geral. Alessandro Visacro, profundo estudioso do assunto, nos oferece um amplo panorama dos movimentos que alimentam essas guerras: embasamento político, estratégia, táticas e resultados obtidos. O livro mostra ainda quais os grupos que obtiveram sucesso e por que, assim como os métodos utilizados pelos Estados que derrotaram ou estão obtendo sucesso contra esses movimentos. 
O livro trata da Irlanda (ira) e da Espanha (eta), de Cuba e da China, da Argélia e do Afeganistão, de israelenses e palestinos, da Colômbia e do Brasil, onde, segundo o autor, já se trava uma verdadeira guerra irregular, em que o Estado está ameaçado. Obra imperdível para quem quer entender o modo como a guerra é feita atualmente. De resto, compreender melhor o combate irregular é um pré-requisito para que a sociedade se torne menos vulnerável a ele.
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
2 Comentários

2 comentários :

  1. Sugiro o Band of Brothers do Stephen Ambrose e o Nascido em 4 de julho de Ron Kovic

    ResponderExcluir