quarta-feira, 22 de outubro de 2014

3 Filmes de terror para morrer antes de ver

Desde quando comecei a apresentar minhas perspectivas sobre as mais variadas obras do gênero, nunca deixei de pontuar um grande mal que assola o mesmo e o transforma, aos olhos de muitos espectadores que não são grandes seguidores como nós, num sinônimo de bobagem, devido à quantidade de péssimos trabalhos lançados anualmente, tentando descaradamente pegar carona no sucesso de um bom representante do gênero. Não demorei muito para perceber isso que, ao longo das décadas, infelizmente permanece. 
Acho que para cada boa obra lançada, umas noventa de gosto extremamente duvidoso a acompanham. Se o número baseado no meu achismo é real ou não, a verdade é que o mercado anda infestado por obras que transformam o gênero num sinônimo de imbecilidade. E qual o problema disso? Para nós, nenhum, mas para o “espectador comum”, que não tem a obrigação de saber tanto sobre um gênero a fim de não perder duas horas de sua vida, acaba escolhendo qualquer filme e, muitas vezes, acaba assistindo alguma bobagem. Já perdi a conta da quantidade de vezes que escutei “Gosto de bons filmes de terror, não essas idiotices”.

Por isso, decidi apresentar hoje três filmes péssimos, absurdos, aquele tipo de trabalho que você jamais indicaria ou assistiria, exceto pela grande curiosidade. E caso você realmente goste de um dos filmes abaixo, não se envergonhe. Divirta-se com eles e todos os outros, mas saiba que existem trabalhos mais interessantes e, um dia quem sabe, você não se dê a chance de assisti-los?
Farei isso algumas poucas vezes a partir de hoje. Afinal, por quê não?


Maldição: Reze Para Não Vê-la (La Monja)
Diretor: Luis de la Madrid
Roteiro: Manu Díez
Atores: Anita Briem, Belén Blanco,  Manu Fullola
País: Espanha, Reino Unido
Ano:2005

Um grupo de amigas estuda num colégio interno administrado por freiras, uma delas tanto quanto severa. Ao descobrir que uma das garotas está grávida, decide “purifica-la”. Dezessete anos depois, o espírito da freira (La Monja) retorna para se vingar e matar as garotas daquele grupo.
O filme segue aquele padrão “grupo de amigas têm que desvendar um segredo mortal enquanto uma a uma são mortas”. Uma história simples pode ser inesquecível, mas não é o caso em La Monja.
A cena envolvendo o avião é patética. Existe uma lógica? Até que sim, mas por que tem que ser apresentado daquela maneira? E claro, o momento revelação no final do filme. Trata-se de algo tão absurdo e ridículo que nem o The Flash seria capaz de realizar (Ok, estou exagerando um pouco. Mas assista e entenderá).
Afinal, por pior que seja o filme, obra alguma merece spoilers... Mas dá pra rir um pouco, quer dizer, bastante.
O diretor foi indicado em 2006 como melhor diretor estreante no Barcelona Film Awards.
E qual o pensamento que tirei sobre?
Desgraça de filme. Mas conheço gente que mal dormiu por causa de La Monja...

Você confere essa bomba dublada na íntegra aqui (Ignore a legenda):

Osombie (Osombie)
Diretor: John Lyde
Roteiro: Kurt Hale
Atores: Eve Mauro, Corey Sevier, Jasen Wade
País: EUA
Ano: 2012

Osama Bin Laden versão zumbi.
Fim.
Tente falar Osombie e não rir.
Fim parte 02.
Indique esse filme a alguém e espere uma resposta séria ou coerente do tipo “Ok, assistirei”.
Fim parte 03.

Realmente não existem limites para o bom senso e o que era pra ser uma explosão de gargalhadas tenta ser sério (Não sei como) e transforma-se em algo nível Z e totalmente sem graça.
O Afeganistão é invadido. Osama, vendo que seria capturado, decide injetar uma fórmula que o transforma em zumbi e assim consegue fugir, pois tem em mente causar um pandemônio com seus milhares de companheiros zumbis.
Osama Bin Laden versão zumbi + um bando de atores que saíram de um pornô light + a trama da irmã que procura pelo irmão desaparecido e maluco que tem um ideal acima de qualquer coisa no universo compõe essa bomba cinematográfica que tenta ser tudo e termina sendo nada.

Se eles tivessem assumido a tosqueira e levado o filme às últimas consequências da falta de senso, seria algo deliciosamente imperdível. Mas não, ao tentar, num dado momento, mudar o clima dando um ar sério (Se é que isso é possível. Estamos falando de Osombie...) ele se torna chato.
Porem, atenção para a cena em que Osombie surge do mar. É imperdível e maravilhosa de tão absurda.
Uma pena este filme ter sido realizado por pessoas sem senso de humor perverso. Perderam uma chance de fazer um trash inesquecível!
Agora, um momento de reflexão. Como alguém consegue dinheiro pra fazer isso????????? Realmente eu não entendo como um estúdio acha tal projeto interessante e válido para um investimento. Exceto se todo o dinheiro vier de terceiros. Mesmo assim estarão vinculando seus nomes à obra. Não dá pra entender... Por que Osombie é um filme sem classificação. Não é trash, não é B nem Z (ironia mode on, ok?)

E qual o pensamento que tirei sobre?
Poderia ser inesquecivelmente bizarro e engraçado, mas após os quinze minutos iniciais  bate um sono... Gente sem senso de humor é a pior coisa que existe e Osombie é a prova disso.

Você confere (por sua conta e risco) essa bomba na íntegra (Sem legenda): 

Inseticida (Insecticidal)
Diretor: Jeffery Lando
Roteiro: Jeff O'Brien
Atores: Meghan Heffern, Rhonda Dent, Travis Watters
País: Canadá
Ano: 2005

Uma universitária nerd, moradora de uma república e que não tem apoio nenhum de seu professor age como cientista, realizando experimentos com insetos geneticamente modificados por ela. E da maneira mais idiota possível eles são libertados. Porém são capturados e mortos, mas o que ninguém esperava era que o inseticida causaria neles uma reação muito além da esperada morte.
O filme tenta ser uma tentativa de qualquer coisa, mas nem isso consegue. Entre as cenas de nudez absurdamente forçadas, sexo sem nenhum tesão, atrizes péssimas se passando  por garotas gostosas das república e todos os demais estereótipos, o filme segue em meio às mortes protagonizadas pelas criaturas que parecem ter saído de um Super Nintendo, pois os efeitos especiais são péssimos. Mas apesar de tudo, em meio a tanta imbecilidade, algo surpreendente acontece. Mas calma, nada que eleve a obra e que provavelmente somente os fanáticos pelo gênero sacarão.
Final imbecil, garota imbecil, efeitos imbecis, tudo imbecil.
Novamente pergunto, como conseguem aprovação e dinheiro pra filmar uma coisa dessas com tantas histórias boas por aí? Será que realmente acreditam que este seria um bom filme?

E qual o pensamento que tirei sobre?
Gente...

Na íntegra e legendado:
Pode não parecer, mas escrever sobre estes três filmes foi muito doloroso. #risadasdemoniacas
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
0 Comentários

0 . :

Postar um comentário