terça-feira, 27 de janeiro de 2015

5 livros para ler se você sente falta da série: 'Os Normais'

Todos temos nossas series televisivas favoritas, e se dependesse de nós, a maioria delas seriam produzidas ad infinitum para o nosso bel prazer; mas infelizmente o formato deste produto tende a passar por nossas vidas durante anos, marcar instantaneamente todo uma geração e deixar nada mais do que muita saudade ao fim da sua última temporada.
Foi pensando nisso que criamos este espaço banzo, com o intuito de indicar livros que possuam conceitos semelhantes ao de séries históricas, e assim resgatar um pouco do espírito que projetou o sucesso desses programas.
Os Normais
Os Normais é uma série de televisão brasileira, exibida pela Rede Globo entre 1 de junho de 2001 a 3 de outubro de 2003 nas noites de sexta-feira. Teve um total de 71 episódios, escritos por Alexandre Machado e Fernanda Young, com direção geral de José Alvarenga Júnior e núcleo de Guel Arraes.
A série segue os noivos Rui (Luiz Fernando Guimarães) e Vani (Fernanda Torres), que apesar de passarem a maior parte do tempo juntos no mesmo apartamento, vivem em lares separados no Rio de Janeiro onde passam por situações inusitadas em cada episódio. Em 2003 foi exibido nos cinemas o longa-metragem, e a continuação estreou no dia 28 de agosto de 2009.

Se você gostava de 'Os Normais', então vai adorar ler....

✔ O Pau, de Fernanda Young
Young fala do tema ao contar a história de Adriana, uma bela designer de joias que descobre sinais da traição do namorado, 14 anos mais novo. Ao longo das páginas, a escritora usa o humor ácido que a consagrou como redatora de sucessos como Os normais para derrubar a teoria freudiana da inveja do pênis.
Linda, bem nascida e com uma carreira de sucesso, Adriana tem 38 anos e sofre com as inseguranças que atingem boa parte das mulheres de sua idade. O corpo, embora cuidado com esmero, não tem mais a firmeza encontrada nas meninas de 20. No rosto, começam a despontar as primeiras marcas de expressão, e temores como o aumento do grau dos óculos para vista cansada são uma constante. Por dentro, as marcas de sucessivas decepções amorosas a tornaram extremamente desconfiada.
Nesse contexto, entra na vida da designer de joias um jovem ator de 24 anos. Bonito, com um corpo malhado e, para completar, se dizendo completamente apaixonado por ela. Mesmo sem querer acreditar muito que possa ser verdade, Adriana termina embarcando na história, dizendo a si mesma que não é amor o que sente, está só aproveitando a chance de desfilar por aí na companhia de um belo rapaz, ainda por cima mais novo, que está ao seu lado porque tem a chance de aprender sobre o mundo e levar uma vida melhor. Afinal, segundo ela, suprir mútuas necessidades é a base do sucesso da maioria dos casais.
Tudo parecia ir bem até uma noite em que, acordada sozinha na sala da casa do namorado, ouve o celular dele apitar com uma mensagem de um remetente sem nome. Em poucos minutos, a desconfiança de Adriana cresce e ela descobre a identidade de quem mandou o torpedo: uma modelo e atriz que diz ter 21 anos. Diante dos sinais de traição, a designer monta um elaborado plano de vingança, com o objetivo de destruir o que acredita ser a única coisa com a qual seu namorado se importa: o próprio pênis.

✔ Força Estranha, de Nelson Motta
Filha vira cafetina para chantagear o pai! Filho faz filme erótico sobre a vida da mãe! Candomblé: corno recebe santo sem querer! Largou o marido para consolar o viúvo da filha! Sexo, politica e futebol na ditadura argentina! Pai e filha no motel assaltado. Cada um com seu amante! Ladrões de conversas atacam em Paris!
Tudo o que você vai ler aqui foi vivido, ouvido, testemunhado ou imaginado por Nelson Motta. E nem ele sabe mais o que é verdade ou ficção. As forças que movem a vida são muito mais estranhas do que parecem...
Em cenários e épocas diversos, uma série de personagens carismáticos e movidos a forças estranhas e emoções fortes, vivem histórias que o narrador viu, ouviu falar ou até viveu. São relatos da orla da Zona Sul do Rio de Janeiro, nas décadas de 60 e de 80; dos terreiros de Salvador à paradisíaca Boipeba; dos quartinhos frequentados pelos poderosos em Brasília; da perigosa Buenos Aires na ditadura militar; da Nova York multicultural de Woody Allen. Da Espanha almodovariana. Da swinging London dos anos 60. Aos fatos e feitos, o autor une sua criatividade, seu humor e sua prosa vibrante e saborosa. Vale o escrito!

✔ O Enterro da Cafetina, de Marcos Rey
O mundo dos personagens de Marcos Rey começa quando o sol se põe e a noite cai sobre a cidade de São Paulo. Então, boêmios, garotas de programa, gigolôs, guerrilheiros urbanos (o livro foi escrito nos dias da ditadura militar), dançarinas de cabarés, taxi girls, alcoólatras começam a sair das tocas, como ratos famintos, em busca de aventuras, de divertimento, de um trouxa, de um trocado, de uma garrafa de álcool, ou do simples e exato exercício de suas profissões. 
Como diz o autor, "são homens e mulheres que param nos bares, restaurantes, inferninhos, cabarés, boates e em certas casas onde tudo se tolera", por vocação ou erro de educação, dor de cotovelo ou outra dor qualquer, vagabundagem. A noite paulistana, seus mistérios e misérias, faz a unidade de O Enterro da Cafetina, atando os sete contos entre si e formando um grande painel.
O que contam essas histórias? Coisas terríveis que acontecem na noite, como diz a Bíblia, mas também casos surpreendentes, quase patéticos, insuspeitas generosidades. Noitadas de amigos, regadas a muito álcool, que terminam de forma trágica; o gigolô bem-sucedido, homem de muitas mulheres, apaixonado por uma moça de família, a quem auxilia financeiramente; a morte e o enterro retumbante da velha cafetina; jogos de sedução em que cada um procura lograr o outro; a ação de guerrilheiros mais ou menos trapalhões; um caso de ciúmes neurótico; o redator alcoólatra lutando pela sobrevivência. 
Com um texto fluente, enxuto e domínio absoluto do conto, Marcos Rey acompanha com naturalidade e sarcasmo, por vezes zombeteiro, as pequenas odisseias de suas criaturas, trituradas pela cidade grande, incapazes de encontrar um sentido para a vida e se lixando para isso, interessadas apenas em viver o imediato. Como autênticas criaturas da noite.

✔ Quebrada em grande estilo, de Jen Lancaster 
Jen Lancaster era uma alta executiva do ramo da tecnologia de Chicago que tinha a vida com que todas sonham: o homem ideal, o emprego perfeito, glamour, estilo, grifes, viagens e dinheiro para gastar. Mas, sem que ela percebesse o que inevitavelmente ia acontecer – já que estava ocupada demais fazendo as unhas, comprando sapatos e sendo paparicada –, seu mundo vira de cabeça para baixo quando ela perde seu emprego, o que faz seu padrão de vida despencar.
Neste delicioso livro inspirado na vida real da autora, ela narra tudo o que precisou fazer para se reinventar a partir do instante em que teve de trocar seu polpudo contracheque pelo seguro-desemprego e amargar várias portas se fechando diante dela.
Rindo das próprias desgraças e mantendo seu humor despachado e sarcástico, ela conta percalços que poderiam acontecer com qualquer um, mas de um modo infinitamente mais interessante e divertido do que em geral faríamos.

✔ As Verdades Que Ela Não Diz, de Marcelo Rubens Paiva
Nesta obra, Marcelo Rubens Paiva faz uma divertida e afetuosa abordagem do singular universo feminino que, como o próprio futebol, é também uma caixinha cheia de surpresas. E já que os homens mentem, imagine as verdades que as mulheres não dizem? 
Trinta anos depois de se lançar como uma das mais influentes vozes da literatura contemporânea no Brasil, o autor de Feliz Ano Velho escreve agora acerca das paixões, das traições, dos conflitos conjugais, das loucuras que cometemos e dos obstáculos que enfrentamos em nome ou em busca do amor. 
As ruas, os bares, as festas, os motéis, o escritório e a academia são alguns dos cenários por onde circulam os personagens desse novo livro, que nos seduz com diálogos certeiros, bem humorados, temperados por toques de erotismo e sensualidade, sem jamais perder a ternura por nossas experiências cotidianas.

Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
0 Comentários

0 . :

Postar um comentário