terça-feira, 24 de março de 2015

Editora Global presenteia o mercado com lançamentos inspiradores

A nossa parceira Editora Global, que sempre povoa o mercado literário com brilhantes autores que marcaram a nossa literatura nacional, acaba de injetar mais duas obras inspiradoras nas livrarias da sua cidade. Confira abaixo:

✔  Teadorar, de Manuel Bandeira
20 poemas sobre o amor ilustrados por Orlando Pedroso
Pernas trêmulas, calafrios na barriga... Quem é que nunca sentiu o coração arder e perdeu uma noite de sono sonhando acordado, sorrindo ou chorando comovido? Em Teadorar (Global Editora, 56 páginas), o poeta de Pasárgada nos presenteia com 20 poemas sobre o amor. Acompanhados pelos traços certeiros de Orlando Pedroso, os textos apresentam os impulsos da paixão que surgem para dizer que estamos vivos.
Em um de seus poemas, Bandeira celebrou ter inventado um novo verbo: teadorar. Nesta obra apaixonada, graças à sua ousadia e simplicidade, vemos Bandeira preenchendo tudo aquilo que parece comum em nosso dia a dia com tons de fantasia, elemento essencial para que todos desenvolvam sua capacidade criativa e o gosto pela leitura.
Sobre o autor: Manuel Bandeira nasceu em 1886, em Recife. É amplamente considerado, seja pelo público, seja pelos numerosos estudiosos de sua obra, como um dos maiores poetas da língua portuguesa, tendo se destacado também como cronista, professor, tradutor, ensaísta, crítico de literatura e de artes plásticas. Estreou em 1917 com A cinza das horas, seguido de dezenas de outros livros essenciais de nosso panorama poético, tais como Carnaval, Libertinagem, Estrela da manhã, Belo belo, Opus 10, Mafuá do malungo e Estrela da tarde. Bandeira residiu a maior parte de sua vida no Rio de Janeiro, onde lecionou literatura no Colégio Pedro II e, posteriormente, na Faculdade Nacional de Filosofia. Amigo de vários participantes da Semana de Arte Moderna de 1922, principalmente de Mário de Andrade e Ribeiro Couto, manteve com alguns deles uma vasta correspondência que, como seu livro de memórias Itinerário de Pasárgada, é fonte indispensável para o aprendizado da poesia e da história de nossa literatura. Em 1940, foi eleito membro da Academia Brasileira de Letras.

✔ Fico, o gato do rabo emplumado, de Darcy Ribeiro
A história de um gato que acha que tem um rabo emplumado
Fico, o Gato do Rabo Emplumado (Global Editora, 88 páginas), escrito por Darcy Ribeiro e ilustrado por Luciano Tasso, conta a história de um gato danado de exibido. Na verdade, um tanto complexado. A doidice é tanta que ele olha o rabinho à toa dele e vê, e mostra, e quer que todo mundo veja e admire naquele toquinho de rabo a tal cauda colorida. Convivendo com outros felinos no Largo da Gataria, sente no pelo os apuros de ser um bichano que se diz diferente dos demais.
Gatos gostam de brincar e fazer estripulias. São animais sempre lembrados por sua graça e beleza. Uma história divertida, sobre as peripécias desse gato vaidoso e maluco, convicto de que tem um rabo de galo índio, causador de muitas intrigas e confusão.
Sobre o autor: Darcy Ribeiro nasceu em Montes Claros, Minas Gerais, em 26 de outubro de 1922. Formado em Ciências Sociais na Escola de Sociologia e Política de São Paulo, em 1946, Darcy construiu uma brilhante carreira intelectual de projeção internacional, notadamente nos campos da antropologia e da etnologia. Destacou-se como escritor, educador e político, além de ter sido figura presente nos momentos centrais da história brasileira da segunda metade do século XX. Foi senador da República entre 1991 e 1997 e membro da Academia Brasileira de Letras. Faleceu em Brasília em 17 de fevereiro de 1997.
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
0 Comentários

0 . :

Postar um comentário