domingo, 17 de maio de 2015

Aqueles momentos em que preferimos o livro de papel

Quando os eReaders chegaram no Brasil, confesso que eu fui um dos descrentes que não conseguia entender como alguém seria capaz de preferir ler um livro em um dispositivo eletrônico. Não que eu seja adverso a qualquer tecnologia, muito pelo contrário, mas porque sempre acreditei que existia uma certa mítica em torno de um livro, que vai bem além da sua simples leitura. Mas como um profissional do ramo, aos poucos eu fui me envolvendo com a leitura digital começando pelo IPad, até chegar ao meu primeiro eReader, um Lev da Saraiva que ganhei em um evento literário e uso menos do que gostaria.
Hoje, apesar de não ser o item mais importante da minha mala de viagem, tenho que admitir que a leitura eletrônica tem exercido os seus momentos e benefícios na minha vida. Mas, assim como a TV não substituiu o rádio, e a internet não substituiu a televisão, eu continuo comprando livros de papel, e posso listar aqui inúmeros motivos pelos quais ainda vale a pena fazê-lo em certos momentos...

Quando é do seu autor favorito
Existe uma certa lealdade zelada com aqueles que consideramos nossos autores favoritos, e quando seus novos lançamentos são postos no mercado, é como se tivéssemos a missão de obtê-los o mais breve possível. E nada menor que um exemplar físico seria aceitável nesta situação. Na melhor das hipóteses, um leitor sortudo ainda pode conseguir marcadores, pôsteres, pins e outros brindes ligados a obra. Tudo isso porque, no fundo, sabemos que é isso que o autor esperaria da gente.

Quando é uma edição comemorativa fascinante
Sempre ocorre quando você entra em uma livraria e dá de cara com um box ultra luxuoso daquela sua saga favorita que você comprou em edições individuais. E quando isso acontece, esteja preparado para gastar todas as suas economias financeiras, e também gastar todo o seu arsenal de palavrões xingando as editoras que estão fazendo um trabalho cada vez melhor no quesito 'edições de luxo', transformando simples livros em objetos de desejo.

Quando a editora investe no projeto gráfico
Assim que o mercado precisou de 'algo a mais' para combater as crescentes vendas da versão digital, algumas editoras logo investiram brilhantemente na qualidade gráfica de seus exemplares, lançando obras cujo a qualidade do papel, o trabalho gráfico da capa e outros elementos do conteúdo, por si só, já valem o preço do livro físico.

Quando é um livro que você adora
Será que isso só acontece comigo? Embora eu saiba que é uma atitude totalmente passional, quando encontro um livro que entra para o meu 'hall of the fame' particular, eu simplesmente me sinto na eminente obrigação de ter um exemplar físico daquela obra, por mais que eu já o tenha lida várias vezes em sua versão digital.

Quando é para presentear alguém
Não existe presente melhor do que um livro para quem gosta de ler, e por mais que tentem transformar os eBooks em algo tangível, o fato é que nunca substituirão o prazeroso ritual de ver alguém emocionado ao rasgar o papel de presente e encontrar aquela linda dedicatória que você escreveu para ela na primeira página do exemplar.

Quando você quer todas as outras coisas que estão associados a um livro
E também sempre tem aquele cheiro próprio de cada livro (sim, os livros possuem um cheiro característico), o desejo de ter o exemplar pra ostentar na prateleira, e diversos outros fatores que certamente podem abrir um empolgante debate sobre o assunto em nosso espaço de comentários. Conte-nos quais são os motivos que ainda te fazem preferir os livros de papel em sua biblioteca pessoal...

Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
0 Comentários

0 . :

Postar um comentário