sexta-feira, 19 de junho de 2015

5 Livros de ficção científica que assustam com a Inteligência Artificial

As pessoas são criaturas bem curiosas. Sempre que a Apple lança um novo aparelho que promete pensar por você, nós comemoramos e acampamos fora da loja. Mas quando enfrentamos uma história de ficção científica envolvendo Inteligencia Artificial, a previsão é quase sempre de um apocalipse com o agravante de um geconídeo. O filme Vingadores: A Era de Ultron é uma das maiores bilheterias deste ano, e fala justamente de uma A.I. que quer erradicar a humanidade.

Na verdade, mesmo que a nossa própria criação tenha se virado contra a gente em inúmeras obras de ficção científica, parece que vamos continuar tentado construí-la. Abaixo selecionamos cinco mentes sintéticas que personificam algumas possibilidades assustadoras da evolução desenfreada dessa tecnologia.

✔ O Exterminador do Futuro, de Cameron, Bill Wisher e Randall Frakes.
É possível que você já tenha perdido a conta de quantas vezes assistiu ao filme. Chegou a hora de se aprofundar na história. Você vai se surpreender.
O ano é 1984... mas ele vem do Ano da Escuridão, 2029. Ele foi criado para transformar o futuro destruindo o presente. Não sente piedade, dor, medo. Não sente nada. Ele é uma máquina mortífera programada para matar e impossível de ser parada. Ele é... O Exterminador do Futuro! 
Um ciborgue de aparência humana, indestrutível, é enviado de 2029 para 1984 para assassinar uma garçonete, cujo filho ainda não nascido vai liderar a humanidade em uma guerra contra as máquinas, enquanto um soldado dessa mesma guerra é enviado para protegê-la a todo custo.
O Exterminado do Futuro, lançado em 1984, é hoje um clássico da ficção científica, coescrito e dirigido por James Cameron (Aliens, O Segredo do Abismo, Titanic, Avatar), estrelando Arnold Schwarzenegger, Linda Hamilton e Michael Biehn. Primeira obra da franquia, o filme alcançou sucesso imediato ao apresentar um mundo distópico, dominado no futuro pela Skynet, um sistema de inteligência artificial onde as máquinas assumiram o controle. Com a única missão de exterminar a humanidade, ela desenvolve ciborgues assassinos chamados de Exterminadores cuja semelhança com os humanos é tanta, que se torna impossível distinguir uns dos outros. 
Aclamado pela crítica quando estreou em 1984, O Exterminador do Futuro tornou-se um clássico instantâneo, frequentou as listas dos melhores filmes do ano, lançou as carreiras do astro Arnold Schwarzenegger e do diretor James Cameron e logo entrou nas listas dos filmes mais importantes de todos os tempos. Em 2008, foi considerado pela Biblioteca do Congresso norte-americano uma obra cultural de significância "cultural, história e estética" e selecionado para ser preservado no National Film Registry dos EUA. (DarkSide Books)

✔ 2001: Uma Odisseia No Espaço, de Arthur C. Clarke
No alvorecer da humanidade, a fome e os predadores já ameaçavam de extinção a incipiente espécie humana. Até que a chegada de um objeto impossível, além da compreensão das mentes limitadas do homem pré-histórico, prenunciasse o caminho da evolução. Milhões de anos depois, a descoberta de um enigmático monolito soterrado na Lua deixa os cientistas perplexos. Para investigar esse mistério, a Terra envia para o espaço uma nave tripulada por uma equipe altamente treinada, assistida por um computador autoconsciente. Do passado distante ao ano de 2001, da África a Júpiter, dos homens-macacos à inteligência artificial HAL 9000, penetre a visão de um futuro que poderia ter sido uma sofisticada alegoria sobre a história do mundo idealizada pela mente brilhante de Arthur C. Clarke e imortalizada nas telas do cinema por Stanley Kubrick. (Editora Aleph)

✔ O Círculo, de David Eggers
Nesta fábula distópica sobre um futuro muito próximo, Dave Eggers imagina uma poderosa empresa de tecnologia e as consequências de um mundo em que as informações são cada vez mais vigiadas.
Encenado num futuro próximo indefinido, o engenhoso romance de Dave Eggers conta a história de Mae Holland, uma jovem profissional contratada para trabalhar na empresa de internet mais poderosa do mundo: O Círculo. Sediada num campus idílico na Califórnia, a companhia incorporou todas as empresas de tecnologia que conhecemos, conectando e-mail, mídias sociais, operações bancárias e sistemas de compras de cada usuário em um sistema operacional universal, que cria uma identidade on-line única e, por consequência, uma nova era de civilidade e transparência.
Mae mal pode acreditar na sorte de fazer parte de um lugar assim. A modernidade do Círculo aparece tanto na sua arquitetura arrojada quanto nos escritórios aprazíveis e convidativos. Os entusiasmados membros da empresa convivem no campus também nas horas vagas, seja em festas e shows que duram a noite toda ou em campeonatos esportivos e brunches glamorosos.
A vida fora do trabalho, porém, vai ficando cada vez mais esquecida, à medida que o papel de Mae no Círculo torna-se mais e mais importante. O que começa como a trajetória entusiasmada da ambição e do idealismo de uma mulher logo se transforma em uma eletrizante trama de suspense que levanta questões fundamentais sobre memória, história, privacidade, democracia e os limites do conhecimento humano. (Companhia das Letras)

✔ Eu, Robô, de Isaac Asimov
Sensíveis, divertidos e instigantes, os contos de Eu, robô são um marco na história da ficção científica, seja pela introdução das célebres Leis da Robótica, pelos personagens inesquecíveis ou por seu olhar completamente novo a respeito das máquinas. Vivam eles na Terra ou no espaço sideral; sejam domésticos ou especializados, submissos ou rebeldes, meramente mecânicos ou humanizados, os robôs de Asimov conquistaram a cabeça e a alma de gerações de escritores, cineastas e cientistas, sendo até hoje fonte de inspiração de tudo o que lemos e assistimos sobre essas criaturas mecânicas.
Verdadeiro marco na história da ficção científica, Eu, robô reúne os primeiros textos de Isaac Asimov sobre robôs, publicados entre 1940 e 1950. São nove contos que relatam a evolução dos autômatos através do tempo, e que contêm em suas páginas, pela primeira vez, as célebres Três Leis da Robótica: os princípios que regem o comportamento dos robôs e que mudaram definitivamente a percepção que se tem sobre eles na literatura e na própria ciência.(Editora Aleph)

✔ Androides Sonham com Ovelhas Elétricas?, de Philip K. Dick
Rick Deckard é um caçador de recompensas. Ao contrário da maioria da população que sobreviveu à guerra atômica, não emigrou para as colônias interplanetárias após a devastação da Terra, permanecendo numa San Francisco decadente, coberta pela poeira radioativa que dizimou inúmeras espécies de animais e plantas. 
Na tentativa de trazer algum alento e sentido à sua existência, Deckard busca melhorar seu padrão de vida até que finalmente consiga substituir sua ovelha de estimação elétrica por um animal verdadeiro; um sonho de consumo que vai além de sua condição financeira.
Um novo trabalho parece ser o ponto de virada para Rick: perseguir seis androides fugitivos e aposentá-los. Mas suas convicções podem mudar quando percebe que a linha que separa o real do fabricado não é mais tão nítida como ele acreditava.
Em Androides Sonham com Ovelhas Elétricas?, Philip K. Dick cria uma atmosfera sombria e perturbadora para contar uma história impressionante, e, claro, abordar questões filosóficas profundas sobre a natureza da vida, da religião, da tecnologia e da própria condição humana.(Editora Aleph)

Veja Também:
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
0 Comentários

0 . :

Postar um comentário