quarta-feira, 17 de junho de 2015

Os 7 Pecados Capitais da divulgação de um livro independente

Com milhares de livros e e-books sendo publicados a cada semana, e os livros independentes ou auto-publicados ganhando notória popularidade a cada ano, temos visto um mercado literário cada vez mais competitivo. Os autores que buscam mostrar os seus trabalhos e querem construir o seu público, precisam ser bem estratégicos se pretendem conquistar a atenção da mídia e dos leitores. E nesse difícil trajeto, sabemos que um simples erro na campanha publicitária da obra pode sabotar seu sucesso, e acabar inviabilizando um projeto promissor.
Em nossa experiência com marketing literário aprendemos a lidar com todo tipo de falhas publicitárias que afetam consideravelmente a promoção de um livro. Abaixo indicamos os sete pecados mortais cometidos nesse tipo de divulgação, que podem destruir as chances de um autor obter uma cobertura da mídia, e como evitar esse tipo de armadilha.
Preguiça
Se você acha que o seu destino é sentar e esperar os cheques de royalties chegar pelos correios, é melhor repensar na sua vocação. Um escritor também é um artista, e como todo artista, ele deve ir onde o público está. Sessões de autógrafos e eventos literários exigem uma disposição fora do comum. As entrevistas podem ser uma mina de ouro ou um desastre para quem não se expressa muito bem em frente as câmeras. Publicidade não acontece, você tem que fazê-la acontecer. 
Quando um autor está disposto a investir parte do seu tempo na sua campanha, nós, como publicitários, temos mais material disponível para construir a sua exposição e ganhar uma cobertura da imprensa. Autores preguiçosos definham as suas próprias obras lentamente.

Orgulho
Se você está promovendo o seu livro, preparar-se para ter o seu orgulho ferido algumas vezes. Um dos erros mais comuns que vemos acontecer, são autores deixando comentários furiosos em uma resenha negativa ou matéria ruim, desgastando a sua imagem.
O autor sempre acredita que o seu bebê, o trabalho que fez com tanto amor, certamente é um best-seller. Ele passa a ter tanto orgulho da sua criação, que acaba criando uma adulação cega pelo seu livro,... Afinal de contas, sua família e namorada adoraram quando leram. Mas quando os tempos difíceis chegarem, o orgulho vai virar raiva, o que gera frustração, e o que leva à desilusão.
Os autores precisam começar a divulgação sabendo que nem todo mundo vai ficar deslumbrado com a sua obra, assim como eles próprios não devem ter gostado de todos os livros que leram na vida.
Mantenha o foco e deixe o seu ego fora disso.

Inveja
Oito em cada dez autores que procuram os nossos serviços publicitários, apresentam um discurso de quem planeja saltar das páginas dos sites literários para o mundo, com escalas no sofá do Jô e do Danilo Gentili. E com muita paciência precisamos acalmar os ânimos e explicar que provavelmente isso não vai acontecer para eles (principalmente para os estreantes), e que é claro que vamos tentar, mas as chances são as mesmas de ganhar na loteria. Mas aí o autor vê um outro escritor em destaque em alguma mídia, e a inveja o corrói.
A inveja não serve a nenhum propósito na promoção de um livro. A única maneira de outros autores conseguirem grande exposição na mídia ou publicidade, é simplesmente porque eles tentam, correm atrás ou pagam por ela. Se tem alguma coisa que você pode sentir em relação a isso, é o desejo de aprender com eles, analisar cuidadosamente os caminhos que eles percorreram, e, em seguida, aplicar o que aprendeu em seu próprio projeto. Todos nós podemos aprender alguma coisa uns com os outros. Sem perceber, ainda fazemos isso todos os dias.

Luxúria
Uma boa publicidade pode ser intoxicante. Receber uma boa resenha, ser citado em um jornal local, aparecer em destaque em um site conceituado... Tudo isso vai fazer muito bem pra sua auto-estima, e isso deve mesmo acontecer. Sempre alerto os autores para aproveitarem o passeio enquanto podem, porque não dura para sempre. No entanto, deixar o seu bom momento mudá-lo, (ou se envolver em ações que nada têm a ver com o trabalho árduo de promover o seu livro) pode ser desastroso. Perder o foco é uma maneira fácil de começar a ter problemas.
Eu costumo definir esses autores como "viciados". Eles ficam tão encantados com o próprio sucesso, que a divulgação do livro acaba ficando em segundo plano. Então eles saem em busca de mais e mais exposição, mas não exatamente para vender os livros, mas para alimentar sua própria cobiça pela fama e a popularidade.

Gula
A 'Gula' em uma promoção de livro aborda um pouco de cada um dos outros pecados. Em sua forma mais pura, é o desejo insaciável de "consumir" a maior publicidade possível, e nunca ficar satisfeito com as outras oportunidades que possam surgir em seu caminho. Assim, uma resenha do livro em um blog, por exemplo, é julgada insignificante, porque ele quer uma nota em um jornal de grande circulação. Uma entrevista em rádio torna-se insatisfatórias, e o autor começa a evitá-las porque quer uma exposição maior. Uma oportunidade na TV é recusada porque o autor julga que o programa não tem público suficiente que valha a sua presença.
A promoção de um livro é como um prato que se degusta aos poucos. Você começa lentamente pelos acompanhamentos, em seguida, passa para o prato principal. Pequenas oportunidades abrem portas para as maiores. Você prosseguir de forma constante, passo a passo, desfrutando de todos os recursos de divulgação, vai te ajudar a construir confiança, dinamismo e vendas.

Avareza
Como a gula, a avareza é a prole de vários outros pecados, e talvez a pecado mais comum na divulgação de um livro. 
Aqui está um exemplo clássico:
Um autor desconhecido investindo em seu primeiro livro, veio até nós em busca de uma campanha publicitária para a sua obra. Ele estava nervoso, inseguro e desconfiado de como ocorreria a sua campanha, uma preocupação perfeitamente compreensíveis e esperada. A divulgação começa lentamente, e em alguns dias o livro que foi primeiramente divulgado por aqui, começa a ter a sua capa e sinopse replicada em outros sites e mídias especializadas.
A campanha começa a ganhar impulso. O livro aparece citado em listas e dicas de leitura, o autor passa a receber convites para entrevistas e as vendas começam a surgir. Em três ou quatro semanas o livro começa a ganhar resenhas por toda a mídia. Pronto,... Agora o autor começa a gostar do processo e passa a ter a confiança necessária no trabalho desenvolvido.
Mas aí as coisas começam a mudar. O nível de interesse dos leitores tem uma queda, e chegamos até uma 'calmaria' normal que ocorre na maioria das campanhas publicitárias. E em vez de 7 ou 8 citações por mês, a exposição cai pela metade.
O autor, depois de ter se acostumado a tanta publicidade espontânea, passa a exigir cada vez mais. Ele não está satisfeito com a exposição que garantiu, e não estará satisfeito até conseguir superar os números que já conquistou.
Conclusão, ele acaba ficando desiludido e decide procurar outras formas de saciar a sua avareza de cada vez querer mais e mais.
Quando os autores realmente entenderem a natureza da publicidade, eles serão capazes de lidar com os altos e baixos desse mercado, descobrindo que é o esforço cumulativo de toda a campanha que conta no final. Quem trabalha com publicidade precisa  saber avaliar quando a "festa acabou" para um determinado seguimento, em seguida, trabalhar com o autor para desenvolver novos projetos de imprensa com o objetivo de manter e melhorar as oportunidades de mídia. Ganância pode ser muito bom em Wall Street, mas leva à falência uma campanha de divulgação de livro.

Ira
A ira surge de muitas formas durante a publicidade de um livro. Já ouvi histórias sobre um autor que recebeu uma crítica pouco favorável de seu livro na imprensa, e ficou com tanta raiva que dirigiu mais de 200 quilômetros para entrar feito uma tempestade na redação do jornal para gritar com o edior da matéria. E esta foi, no mínimo, uma péssima jogada.
O jornalista reagiu entrando em contato com colaboradores em outras mídias, e incentivou seus colegas a avaliar o livro. Resultado... Cinco outras resenhas negativas apareceram nas semanas seguintes.
Ao promover o seu livro, é importante ter em mente que você está abrindo o seu trabalho para uma avaliação às escuras. Na verdade, é mais como um convite. E supor que todo mundo vai reagir positivamente a sua obra é muito ingênuo.

Todos somos pecadores
A divulgação de um livro é um processo distintamente humano. É uma experiência emocional, assustadora, excitante e estimulante. Durante a promoção de uma obra , os autores passam por momentos que oscilam entre emoção e decepção.
Como na vida, reconhecer as falhas e erros na publicidade é a melhor forma de interrompe-las antes que causem problemas maiores. A campanha publicitária de um livro é mais como uma maratona do que um 'tiro ao alvo', e, por isso, sempre se tem mais oportunidades de mudar o rumo das coisas no caso de um resultado negativo.
Você sempre pode arrepender-se de seus pecados e voltar para o caminho certo, e se redescobrir em uma experiência maravilhosa.

Veja Também:
-Como introduzir o seu livro auto-publicado no mercado literário

Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
0 Comentários

0 . :

Postar um comentário