quinta-feira, 29 de outubro de 2015

7 Livros assustadores para ler no Halloween

O Halloween é considerado mais um feriado de muitas tradições em seu país de origem, que no Brasil foi transformado em apenas mais um bom motivo para frequentar festas e ter motivo para beber. Enquanto por lá, nesse dia as crianças se fantasiam de monstros e se entopem de doces e açúcar, por aqui, muitos adultos acabam tomando uma boa dosagem de glicose direto nas veias e acordam com um monstro ao lado na cama. Talvez a gente tenha levado muito ao pé da letra a expressão 'Dia das Bruxas'.
Independente da forma que você escolha passar por essa data, ela jamais estará realmente completa se você não fizer o básico, ou seja, encarar os seus medos mais terríveis. E para que isso ocorra, não há nada melhor do que uma boa história assustadora para testar os seus próprios limites.
Aqui estão alguns livros de terror para ler durante essa semana até o Halloween, que, com certeza, poderão te ajudar a trilhar esses caminhos obscuros...

 O Covil do Verme Branco, de Bram Stoker
Uma série de eventos misteriosos e inexplicáveis despertam o interesse do jovem Adam Salton enquanto estava hospedado na casa de seu tio-avô, Richard. Com o intuito de resolver estes mistérios que acabam vitimando crianças e animais da região, Adam acaba se envolvendo numa rede que o leva cada vez mais perto de algo sobrenatural.
Nessa história, Bram Stoker é quase capaz de criar uma versão feminina do seu próprio Drácula, ao apresentar uma criatura sedutora e letal, e associá-la a figura fascinante de uma serpente.
O Covil do Verme Branco foi publicado originalmente em 1911, na Inglaterra, e depois republicado com partes editadas em 1925. Trata-se de um clássico cult do terror e mais uma grande obra de Abraham “Bram” Stoker que virou filme, chegando às telas do cinema em 1988 (Editora Labareda).

 Onde Cantam os Pássaros, de Evie Wyld
No premiado romance de Evie Wyld, a fazendeira Jake White leva uma vida simples numa ilha inglesa. Suas únicas companhias são rochedos, a chuva incessante, suas ovelhas e um cachorro, que atende pelo nome de Cão. Tendo escolhido a solidão por vontade própria, Jake precisa lidar com acontecimentos recentes que põem em dúvida o quanto ela realmente está sozinha - e o quanto estará segura. De tempos em tempos, uma de suas ovelhas aparece morta, o que pode ser muito bem obra das raposas que habitam a floresta próxima à sua fazenda. Ou de algo pior. Um menino perdido, um homem estranho, rumores sobre uma fera e fantasmas do seu próprio passado atormentam a vida de uma mulher que sonha com a redenção. 
Aos poucos, vamos descobrindo mais sobre as suas habilidades em tosquiar e cuidar de ovelhas, aprendidas ainda quando jovem, em sua terra natal, na Austrália. E vamos aprendendo também o que aconteceu lá, que acabou por conduzir White à uma vida de reclusão e isolamento. E sobre as contradições e diferenças entre um passado (sempre narrado no tempo verbal presente) cheio de vida e calor, e o presente (narrado por sua vez no passado) repleto de lama, frio e um ritmo mais desacelerado, paira uma atmosfera absolutamente brutal. 
Com uma prosa verdadeiramente excepcional, o estilo da autora reúne tanto clareza como substância e apresenta uma personagem inesquecível, enigmática, trágica, assombrada por um passado inescapável. Uma mulher forte, ainda que tão passível de falhas, erros e equívocos como todos nós. É uma história de solidão e sobrevivência, culpa, perda e o poder do perdão. Uma escrita visceral onde sentimos a presença de tudo, os odores, o vento, o tempo. Nada passa desapercebido (Darkside Books).

 O Vale dos Mortos, de Rodrigo de Oliveira
Estamos em 2017 … Cientistas descobrem um planeta vermelho em rota de colisão com a Terra. Depois de muito pânico nos quatro cantos do mundo, eles asseguram que o astro passaria a uma distância segura. E todos ficam tranquilos acreditando que nada iria acontecer…
Uma profecia esquecida do Apocalipse, reiterada por outros profetas modernos, ressurge…
“Então 2/3 de todas as pessoas no Planeta são acometidas por uma estranha doença… E abriu-se o poço do abismo, de onde saíram seres como gafanhotos com poderes de escorpiões. E os homens buscarão a morte e a morte fugirá deles.” Apocalipse 9:2-6.
Então um grupo luta por sobreviver num mundo dominado pelo mal.
Com passagens por Brasília, Estados Unidos, China e França, O Vale dos Mortos baseia-se na profecia de que um planeta intruso ao sistema solar, ao raspar por nossa orbita, fatalmente desencadearia a transformação de grande parte da humanidade, não havendo lugar seguro, ambientes sem infecção, pois ela ocorreria simplesmente pela aproximação do astro. Pegos de surpresa, e tentando entender o que acontecia enquanto buscavam se salvar, um casal e seus filhos iniciam uma jornada para reestabelecer alguma condição de vida no que restou de seu próprio mundo. Uma história com muita ação, suspense, que vai deixar você eletrizado (Faro Editorial).

 Sete Ossos e uma Maldição, de Rosa Amanda Strausz
Respire fundo antes de começar a leitura deste livro. São 10 contos que levam a viagens aterrorizantes. Sem manchar o papel com sangue, apenas incentivando a imaginação de quem lê, Rosa Amanda Strausz constrói em Sete Ossos e uma Maldição, que a Global Editora acaba de lançar, um clima e cenários de tirar o folego. Enquanto o leitor passeia por historias aparentemente comuns, o suspense cresce na narrativa. O que parece ser apenas a história de um casal recém-casado comprando uma mansão antiga ganha contornos arrepiantes. À noite em que uma adolescente se apaixona por um desconhecido, transformando-se em pesadelo. Com a respiração presa, é preciso chegar rápido ao final do conto, em busca do ápice tão desejado. Mas a autora surpreende. A dúvida é uma constante. E, às vezes, é o leitor quem completa, com seus próprios medos, o desfecho da historia. Aliás, uma história de arrepiar. Vai dar medo até de olhar embaixo da cama (Global Editora).

 Pines, de Blake Crouch
O agente secreto americano Ethan Burke chega à aparentemente pacata cidade de Wayward Pines, em Idaho, Estados Unidos, com a missão de descobrir o que ocorreu com dois de seus colegas, que sumiram sem deixar rastro. Mas, ao chegar, Burke se envolve em um violento acidente de carro e acorda, dias depois, em um hospital da cidade sem sua carteira, seu celular e a pasta que continha os papéis secretos que o levaram até a região.
Sem nenhum documento, o agente não convence os moradores da cidade de que é quem diz ser. Para piorar a situação, ele não consegue contatar sua mulher e filho. Rapidamente, Burke percebe que nem tudo é o que parece ser em Wayward Pines e que o cenário bucólico do lugar esconde algo sinistro.
A fértil imaginação do autor best-seller Blake Crouch é a responsável por essa instigante história que virou série de TV do canal por assinatura Fox, produzida e dirigida pelo cultuado cineasta M. Night Shyamalan (diretor de Sexto Sentido, entre outros sucessos de Hollywood) e estrelada por Matt Dillon, Melissa Leo, Terrence Howard e Juliette Lewis (Editora Planeta).

 Joyland, de Stephen King
Carolina do Norte (EUA), 1973. O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer.
Linda Grey foi morta no parque há anos, e diz a lenda que seu espírito ainda assombra o trem fantasma. Não demora para que Devin embarque em sua própria investigação, tentando juntar as pontas soltas do caso. O assassino ainda está à solta, mas o espírito de Linda precisa ser libertado - e para isso Dev conta com a ajuda de Mike, um menino com um dom especial e uma doença séria. 
O destino de uma criança e a realidade sombria da vida vêm à tona neste eletrizante mistério sobre amar e perder, sobre crescer e envelhecer e sobre aqueles que sequer tiveram a chance de passar por essas experiências porque a morte lhes chegou cedo demais (Editora Suma de Letras)

 Sob a Pele, de Michel Faber
Michel Faber já foi descrito como uma combinação de Roald Dahl e Franz Kafka. Mas seu primeiro romance, Sob a pele — indicado para o Prêmio Whitbread —, desafia qualquer categorização. À medida que se avança em sua leitura e o enredo se torna claro, o leitor é atraído inexoravelmente para um mundo totalmente inesperado e aterrador.
Verdadeiramente terrível e inteiramente inusitado, Sob a pele acompanha a trajetória de Isserley, uma caçadora incomum nas rodovias escocesas. Sua arma é seu Toyota vermelho, deslizando pelo asfalto, em busca de corpos masculinos perfeitos. Caroneiros incautos, musculosos e repletos de hormônios. Uma espécie de reflexo distorcido de si mesma: ela é uma mulher de compleição singular.
Com um metro e meio de altura, Isserley é dona de seios perfeitos, exibidos em generosos decotes. Mas os braços ossudos, mãos ásperas, estreitas e repletas de nós, lhe emprestam um ar desequilibrado. Há algo de assimétrico em seu físico. O resultado é bizarramente erótico e ameaçador. E irresistível aos homens sentados a seu lado.
Sem perceber, estes revelam mais do que deveriam nesse divã em que se transforma o banco de carona de Isserley. Ela os estimula a contar suas vidas, habilmente registrando as pistas de quem sentiria a falta deles, caso sumissem. Sob a pele é ao mesmo tempo grotesco e cômico, uma representação surreal dos desejos humanos numa sociedade decadente (Editora Record).

Veja Também:
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
0 Comentários

0 . :

Postar um comentário

O Dito pelo Maldito é um blog voltado para a literatura de contracultura . Seus textos são provocativos, críticos, cínicos e debochados, muitas vezes não tomando partido em uma questão apenas para poder agir como uma espécie de Advogado do Diabo do caso.
Na verdade um anti-blog criado para falar bem,...de tudo que você odeia.