quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

A Maldição da Serpente

A Maldição da Serpente (The Lair of the White Worm)
Diretor: Ken Russell
Roteiro: Ken Russell (Baseado no livro 'O Covil do Verme Branco' de Bram Stoker)
Atores: Amanda Donohoe, Hugh Grant, Catherine Oxenberg
País: Reino Unido
Ano: 1988
           
Ao saber que tal história foi escrita por Bram Stoker, o criador de Drácula, imediatamente brota uma expectativa quanto à obra. Mas é importante lembrar que não podemos comparar filme e livro, pois tal vai muito além do “eu gostei”. Cada plataforma artística tem suas possibilidades e limitações, portanto, comparar qualquer transposição que seja não é justo.
A Maldição da Serpente mais parece uma peça de teatro inglês que, em determinados momentos, se alia à “modernidade” da época em que foi concebida, aliada a efeitos visuais (e estéticos) que se assemelham aos usados nos primeiros anos da MTV, acompanhada por uma trilha sonora que seria uma mistura de composições para o gênero (com leves e rápidas pinceladas da trilha de Phenomena) misturadas com as de filmes eróticos softcore, o que é uma pena, pois por causa disso alguns momentos acabam sendo estremecidos.
Angus é um arqueólogo que, durante suas escavações no quintal da pensão rural onde mora, descobre parte do esqueleto que possivelmente seria de um dinossauro, apesar de várias outras provas que contestam seu primeiro pensamento. A partir daí tem conhecimento da lenda que habita a região: Uma gigantesca serpente havia sido morta por um cavaleiro. Nesse meio tempo, Lady Sylvia, que raramente era vista na região durante aquela época do ano retorna à sua casa e coincidentemente coisas estranhas começam a acontecer.

A partir daí, morte e erotismo seguem juntas até o final da história. Porém, da forma como foi colocada soou um tanto quanto forçada, especialmente devido à atuação de Amanda Donohoe, que mais parece uma cópia mal sucedida de Isabela Rossellini (Especialmente no divertido A Morte Lhe Cai Bem, lançado quatro anos depois. Ou seja, uma cópia premonitória), a sequência envolvendo o jovem escoteiro na banheira quase beira à comédia.
A Maldição da Serpente cumpre o papel de entreter os de coração mais aberto e nada mais. As ideias são excelentes, porém o resultado final fica a desejar. Sua construção é um pouco confusa e em alguns momentos se tem a impressão de que a história teria pontos importantes a apresentar, o que não acontece devido à ruim costura entre os acontecimentos e ao invés de surpreender o espectador, o confunde.

E qual o pensamento que tirei sobre?
Leia o livro e depois assista o filme. Ou vice-versa, por sua conta e risco.

Prêmios:
Fantafestival -1989 –Melhor efeitos especiais.
Indicações:
Melhor Filme – Fantasporto – 1989
Melhor Atriz (Amanda Donohoe) - Academy of Science Fiction, Fantasy & Horror Films, USA -1990.

Você o confere na íntegra aqui (Sem legendas):

O livro 'O Covil do Verme Branco' que inspirou o filme é considerado a segunda maior obra de Bram Stoker, e foi recentemente lançado por aqui pela Editora Labareda. Clique agora no banner abaixo da Livraria Cultura e compre o seu exemplar.
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
0 Comentários

0 . :

Postar um comentário

O Dito pelo Maldito é um blog voltado para a literatura de contracultura . Seus textos são provocativos, críticos, cínicos e debochados, muitas vezes não tomando partido em uma questão apenas para poder agir como uma espécie de Advogado do Diabo do caso.
Na verdade um anti-blog criado para falar bem,...de tudo que você odeia.