terça-feira, 11 de outubro de 2016

Porque o terror na literatura infantil pode ser bom para as crianças

Desde que aprendi a ler e destravei a porta secreta que dá acesso ao mundo da leitura, minha atenção era voltada principalmente para temas considerados assustadores pela maioria. Quanto mais sombrio o cenário, maior era a minha imersão naquele universo narrativo. O que basicamente envolvia histórias de vampiros, monstros em paisagens obscuras ornamentadas com crânios e outros badulaques sinistros.
Algumas pessoas podem até discordar, mas acho que expor as crianças a literatura de terror apropriada, pode ser algo positivo para o seu desenvolvimento. Abaixo eu explico alguns pontos dessa estranha teoria...

O gênero mantém as crianças interessadas na literatura
Lembro que na infância eu era atraído por qualquer livro que lidasse de alguma forma com o 'desconhecido'. Era literalmente emocionante abrir as páginas e mergulhar nessas histórias. Com isso eu me sentia ultrapassando limites, explorando novos territórios e enfrentando o desconhecido. Embora um pouco assustador, também era muito divertido!
Se o seu filho também caminha em direção a leituras do tipo, eu garanto que ele levará a literatura como um legado para a vida adulta.

A criança aprenderá mais sobre si mesmo
Ao enfrentar o lado escuro da natureza do medo humano, o pequeno aprenderá a lidar com os seus pontos fortes e fracos, tornando-a mais apto para encarar o que lhe espera pela frente. A maioria dos contos do gênero são protagonizadas por heróis improváveis que através da própria ingenuidade superam desafios desconhecidos, o que não é muito diferente do que ele enfrentará a cada novo ano escolar.
E aprenderá mais sobre algumas regras básicas da vida
Não aceite doces de estranho. Nunca convide um vampiro para entrar em sua casa. Não percorra atalhos perto de cemitérios. Se embrenhar por uma área de mata densa com animais selvagens pode ser uma péssima ideia. E ficar fora até tarde sem dizer aos seus pais onde está, é algo bem perigoso.
Ler histórias que me deixavam com medo também me renderam uma dose saudável de paranoia, o que não é necessariamente algo ruim.

Criará um interesse que vai além da história contada
Você percebe que uma leitura foi bem aproveitada quando ela termina instigando a sua mente à procurar novos livros que possam ampliar o conteúdo recém absorvido. Quando li os primeiros contos de vampiros, eu não só aprendi que eles são criaturas fictícias, como também fui procurar saber tudo que era possível sobre eles. O que me levou a conhecer Drácula de Bram Stoker, entender melhor a origem desse folclore, e me envolver com outros clássicos literários de horror.

No fim, sentir medo também é reconfortante
Apesar de todo esse pavor, tudo não passa de ficção e não faz parte da nossa vida cotidiana. Após fechar o livro, todo aquele universo sombrio fica para trás e voltamos para o conforto do nosso lar. Após ler sobre um garoto que é teletransportado para uma outra dimensão sinistra, e que precisa lutar com monstros rastejantes devoradores de carne para voltar pra casa, é sempre bom olhar ao redor e saber que se está seguro no quarto, ao lado das pessoas que realmente importam para você.

E você? Costuma ler histórias de terror para os seus filhos? Conte sua experiência em nossos comentários.

Veja Também:
6 Dicas para manter a leitura em dia nos tempos de crise
7 Livros sexys demais para serem lidos em público
10 Dicas para transformar o seu amigo em um leitor
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
0 Comentários

0 . :

Postar um comentário

O Dito pelo Maldito é um blog voltado para a literatura de contracultura . Seus textos são provocativos, críticos, cínicos e debochados, muitas vezes não tomando partido em uma questão apenas para poder agir como uma espécie de Advogado do Diabo do caso.
Na verdade um anti-blog criado para falar bem,...de tudo que você odeia.