quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

7 Livros de Mesa de Centro para decorar a sua casa

Dentre todas as variações literárias existentes, acho que concordamos em dizer que o Livros de Mesa é um dos mais estranho deles. Apesar de existir em temas diversificados, ele parece constituir o seu próprio gênero. São caros, enormes, pesados, quase que inteiramente composto por imagens, e ninguém parece ler um desses do começo ao fim, mas todo mundo o considera um adorno legítimo para qualquer decoração de sala.
Pessoalmente, eu nunca comprei um 'Livro de Mesa de Centro' para a minha casa, mas confesso que adorei todos os exemplares que ganhei. E foi assim que acabei descobrindo mais uma função para esse modelo de livro,... Eles são ideais para se presentear alguém de bom gosto. E aqui estão alumas sugestões que podem te ajudar nessa escolha.

 Lachapelle Heaven to Hell
As imagens de LaChapelle - dos rostos mais famosos do planeta à figuras marginalizadas como a transexual Amanda Lepore - questionam nossa relação com gênero, glamour e status. Usando seu excesso barroco que é sua marca registrada, LaChapelle inverte o mundo de consumo que parece celebrar, apontando para conseqüências apocalípticas da própria humanidade. Ao referenciar e reconhecer fontes diversas tais como o renascimento , a história de arte, o cinema , a Bíblia, a pornografia, e a nova cultura pop globalizada, LaChapelle criou uma linguagem visual profundamente pessoal que define a época em que vivemos. Esta popular edição de capa dura de LaChapelle Heaven to Hell é uma obra indispensável para qualquer pessoa interessada em fotografia contemporânea. (Editora Taschen)
 MAFIA (Marco Gasparini)
Um livro ilustrado completo com fotos que descrevem cidades, acontecimentos e fatos, muitos inéditos, sobre a variada geografia do crime organizado e as personagens que tornaram célebres e poderosas as maiores organizações criminosas pelo mundo, desde a tradicional máfia italiana até o comando vermelho nos morros cariocas. 
Por trás dos mitos românticos visto nos filmes, somos confrontados com um mundo muito real de violência. Marco Gasparini traça a evolução da máfia das cidades da Sicília do século XIX para as ruas de hoje, com os cartéis que governam os negócios de drogas e armas ilegais da atualidade. (Editora Scala)
✔ Humor Paulistano (Toninho Mendes)
Suas publicações consagraram personagens marcantes dos quadrinhos: o militante de esquerda, o machista inveterado, o roqueiro lisérgico, o punk contestador, o casal estressado, a secretária ninfomaníaca, os homens solitários, todos que entraram, e ainda permanecem, em nosso imaginário e na história do humor paulistano. 
Este livro conta a trajetória dos 30 anos da Circo Editorial, editora de história em quadrinhos criada por Toninho Mendes nos anos 1980, que apresentou nomes como Angeli, Laerte, Glauco, Chico e Paulo Caruso, Luis Gê, e outros que influenciaram tudo o que viria depois no universo desta arte que mistura crônica e desenho numa combinação única, aqui reproduzida em significativas amostragens de cartuns, charges e caricaturas sempre contestadoras e imersas numa ácida sátira social. (Editora SESI-SP)
 75 Years of Marvel Comics
Em homenagem ao 75º aniversário da Marvel, a TASCHEN apresentou essa peça de arte sobre a influente editora de quadrinhos , com um olhar voltado não apenas para o seu panteão de personagens, mas também para os seus criadores cujo nomes são quase tão famosos quanto os protagonistas que trouxeram à vida - Stan Lee , Jack Kirby , e incontáveis outros.
Com ensaios do historiador de quadrinhos, e ex-editor-chefe da Marvel, Roy Thomas , este livro investiga o coração de milhares de personagens fantasiados que continuam a povoar os quadrinhos, filmes e lojas de brinquedos do mundo. (Editora 
Taschen)
✔ Film Noir: 100 All-time Favorites
Entre em um mundo povoado por detetives, gângsters, psicopatas e fêmeas fatais, onde o engano, a luxúria e a traição correm de forma desenfreada. A obra essencial começa com os primeiros influenciadores de gênero do cinema mudo alemão e francês, viaja através de trabalhos seminal como Double Indemnity , The Postman Always Rings Twice e Vertigo , e chega no dia atual via Chinatown , Pulp Fiction , Heat , e o recente Drive.As fotografias incluem cartazes, toneladas de alambiques raros, detalhes da equipe, citações dos roteiros e dos críticos, e análises dos filmes. O diretor de cinema, estudioso do gênero e roteirista de Taxi Driver Paul Schrader , fornece a introdução a esta festa do culto noir. (Editora Taschen)
✔ Psychedelic Sex
No seu auge, o sexo psicodélico abrangeu cartazes, tabloides, quadrinhos, revistas e jornais, mas os exemplos mais distantes de todos foram as revistas brilhantes da Califórnia, centro da cultura hippie e da indústria pornográfica americana. São com essa lembrança de paz e amor que celebramos no sexo psicodélico. Então, coloque seus colares, sintonize o seu sitar, e deixe o amor entrar!
Em um breve intervalo de ouro entre 1967 e 1972, a revolução sexual colidiu com a exploração recreativa de drogas para criar o "sexo psicodélico". Enquanto os jovens sopravam suas mentes e dançavam nus nas ruas, os editores de revistas masculinas tentaram recriar visualmente as maravilhas do LSD, projetá-las em uma tela de carne hippie nubile e prepará-la para homens que morrem por um gosto de amor livre. (Editora Taschen)
✔ Araki, Tokyo Lucky Hole
Nobuyoshi Araki nasceu em Tóquio em 1940 e recebeu uma câmera de seu pai quando completou os seus doze anos. Estudou fotografia na Universidade de Chiba e entrou na fotografia comercial pouco depois de se formar. Em 1970, ele criou seus famosos Xeroxed Photo Albums, que ele produziu em edições limitadas e enviou para amigos, críticos de arte e pessoas selecionadas aleatoriamente da lista telefônica. Ao longo dos anos, suas fotografias audaciosas e descaradas de sua vida privada foram objeto de muita controvérsia e censura, fato que não perturbou o artista nem diminuiu sua influência. Até à data, Araki publicou mais de 400 livros de fotografia.
A arte de Araki atravessa uma multidão de temas, incluindo cenas de rua de Tóquio , flores e rostos femininos, mas é a sua fotografia erótica bondage que o tornou notório, com parte da crítica o considerando um pornógrafo, e até mesmo um misógino. (Editora Taschen)
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
0 Comentários

0 . :

Postar um comentário