quinta-feira, 11 de maio de 2017

10 bandas que fizeram parte da formação musical de John Constantine

Na época em que o escritor Jamie Delano era o responsável pelas histórias do mago inglês John Constantine,  ele criou vários momentos do passado do personagem, como a época em que ele montou uma banda punk. John Constantine ainda jovem foi em um show dos Sex Pistols e pirou. Juntou uns amigos malucos, e montou a banda 'Membrana Mucosa', onde ele era o vocalista.
Certamente, além dos Pistols, Constantine devia ouvir outros sons da época, e este TOP 10 abaixo foi justamente pensando nisso. Conheça as bandas que fizeram parte da formação musical de Constantine!!

10- Black Sabbath
A banda que mostrou a Constantine que misturar rock e ocultismo dá o maior pé! É o mesmo que queijo e goiabada: não tem erro! Certamente as letras tocavam fundo em nosso mago e as bases fizeram ele sonhar com demônios mais legais!

9- The Germs
Ok, os Pistols podem ter feito Constantine decidir montar o Membrana Mucosa, mas certamente a atitude e estilo de vida do vocal do The Germs faziam Constantine sentir aquele “furor” e “revolta” típico da juventude. Já visualizo John com um cigarro, atônito, sacando a banda.

8- The Sonics
A primeira banda de garage que mostrou a Constantine que um som cru e com letras que falam de bruxas, drogas e libertação (da mídia) seria a base de um som que ele tocaria mais para frente. Quem não conhece o The Sonics hoje em dia nem merece ter acesso a internet, digo mesmo.

7- The Adicts
John curtiu muito o Adicts quando os viu pela primera vez. A maquiagem, o visual, o deboche e o som sincero: “La la la la la la la lala Life goes on” poderia ser um lema do nosso amigo. No auge do “pipoco” punk, o Adicts era “feliz”, sarcástico e falava de bebidas. Óbvio que Constatine ouvia alguma fita k7 deles em casa.

6- Siouxsie & the Banshees
~Me disseram~ que Constantine sacou um show da Siouxsie e gamou nela, de cara. Acho que era o visual ou a voz esquisita… ou talvez ela tenha se rendido ao ar deprê gótico dela… e todos sabem como as góticas transam, né? O romance deles até que rendeu mais uma letra do Membrana Mucosa, mas nunca foi gravada.

5- The Damned
Constatine ficou passado quando sacou o Damned pela primeira vez, ficou com invejinha do som punk-gótico e do visual do vocalista Vanian, só porque ele cantava meio Frank Sinatra. NA VERDADE, o som do Membrana Mucosa seria igual ao THE DAMNED, mas com letras meio Velvet Underground + Black Sabbath. Ou algo assim.
´

4- The Cramps
Nosso mago quis comer a Poison Ivy e, no fim das contas, terminou amigão de Lux Interior. Foi Lux quem mostrou a Constatine que a base do som garage com letras “horror” e “felizes”, couro, latéx, globos óculares em martinis e Elvis fudendo Cristo, manteriam a sanidade do nosso amigo (John) quando o bicho (ou capeta, enfim) pegasse.

3- 45 Grave
Eis quem um dia Constatine foi num bar e deu de cara com um show do 45 Grave. A empatia entre ele e a Dinah Cancer foi imediata! Saíram, beberam e ela contou que algumas das letras deles (infelizmente) eram baseadas em fatos reais, chachinas e conflitos com demônios.
Eles ficaram amigos e a Dinah apresentou Constantine pra uma galera que fazia invocações complicadas e também festas bacantes.
Tudo com muita caveira, gato preto, morcegos e afins. Classe A!

2- Misfits
Constatine quebrou duas costelas num show do Misfits! O primeiro contato com o horror punk foi estranho, ele achava os “woooowwww” meio coisa de viadinho, mas depois sacou qual era a dos caras. E quando sacou as letras (sobre seus filmes preferidos de terror) e o visual com devilock, até cogitou em comprar uma calça de vinil e se vestir daquele jeito (combinaria com seu sobretudo) mas depois mudou de ideia: pois teria que pegar peso e malhar, e isso nunca foi a dele.

1- The Fuzztones
Essa banda não é o “estilo” exato do Membrana Mucosa, mas foi a que mais influênciou o pessoal a ousar nas misturas de bases e ritmos.
Por causa do Fuzztones, Constatine se ligou que fuzz, garage, gravações sujas, bruxas, drogas, gatas proto-punk e (eu já falei drogas?) era tudo o que ele queria naquele momento da vida. Em muitas das festas que organizou, quando queria ver a mulherada alucinando e querendo dançar e dar, sem parar, era por causa das “lysergic emanations” da banda.
(Detalhe: parece que a “macumba” da música do Fuzztones ainda funciona, mesmo anos depois. Isso é que é magia (ou música) da boa.)
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
1 Comentários

Um comentário :

  1. Boa seleção, meu amigo. Só faltou The Pogues, que era referência constante nas histórias do mago alcoólico da DC.

    Grande abraço. 8)

    ResponderExcluir