segunda-feira, 17 de julho de 2017

7 Livros para ler se você gosta da série 'American Gods'

Como assistimos em 'American Gods', não há mais dúvidas de que os deuses estão entre nós. Muitos tentam nos enganar, alguns nos usam como peões em seus jogos, e a maioria simplesmente não se importa conosco. Seja qual for a agenda desses seres aqui na Terra, os deuses sempre renderam personagens interessantes na literatura, principalmente quando surgem dispostos a descer do alto de seus panteões para sujar suas mãos divinas na lama em que nos deixaram.
Para aqueles que já foram arrebatados pela adaptação da brilhante obra de Neil Gaiman para a TV, aqui estão outros livros que vão te manter no clima, até a próxima temporada da série.

✔ Jardins da Lua (Steven Erikson)
Desde pequeno, Ganoes Paran decidiu trocar os privilégios da nobreza malazana por uma vida a serviço do exército imperial. O que o jovem capitão não sabia, porém, era que seu destino acabaria entrelaçado aos desígnios dos deuses, e que ele seria praticamente arremessado ao centro de um dos maiores conflitos que o Império Malazano já tinha visto. Paran é enviado a Darujhistan, a última entre as Cidades Livres de Genabackis, onde deve assumir o comando dos Queimadores de Pontes, um lendário esquadrão de elite. O local ainda resiste à ocupação malazana e é a joia cobiçada pela imperatriz Laseen, que não está disposta a estancar o derramamento de sangue enquanto não conquistá-lo. Porém, em pouco tempo fica claro que essa não será uma campanha militar comum: na Cidade do Fogo Azul não está em jogo apenas o futuro do Império Malazano, mas estão envolvidos também deuses ancestrais, criaturas das sombras e uma magia de poder inimaginável. 
Em Jardins da lua, Steven Erikson nos apresenta um universo complexo de cenários estonteantes e ações vertiginosas que mostram por que esta é considerada uma das maiores sagas épicas. (Editora Arqueiro)
✔ O Imperador Das Lâminas (Brian Staveley)
O Império Annuriano está em crise. O Imperador foi misteriosamente assassinado, e o trono, assim como seus herdeiros, se encontra ameaçado por uma conspiração. Kaden, herdeiro do trono, prossegue com sua vida de estudos num austero e rígido mosteiro. Ele testa os limites de seu corpo e de sua mente a cada castigo, a cada teste. O alcance do Vazio só é possível quando o abandono da dor se vai. 
Adare, ministra das Finanças, está num covil, silenciosa como uma estátua; tem entre seus pares um assassino, um traidor sorrateiro que sangrou o bem mais precioso de sua vida: seu pai, o Imperador. 
Valyn é um kettral, mercenário de um exército que habita uma ilha remota e possui um código de honra implacável. Treinado para matar sem hesitar, rápido e brutal como a lâmina que carrega em sua cintura, deve sobreviver ao mortal Julgamento de Hull. 
Esses três irmãos, ainda que distantes uns dos outros, precisam unir forças para resgatar o Império e livrá-lo daqueles que o traíram. Num lugar em que o tempo nem pensava em existir, há segredos mitológicos ocultos, que podem mudar o destino de todos. Asas e espadas te levarão ao campo de batalha! (Editora Novo Século)
✔ O Urso e o Rouxinol (Katherine Arden)
Guerra dos tronos encontra Mitologia nórdica, bestseller de Neil Gaiman, neste conto de fadas ambientado na Rússia medieval. Romance de estreia da norte-americana Katherine Arden, que morou dois anos em Moscou, 'O urso e o rouxinol' mistura aventura, fantasia e mitologia ao acompanhar a jornada da jovem Vasya, criada, junto aos irmãos, num vilarejo próximo de uma floresta, e que cresceu ouvindo de sua ama contos e lendas sobre criaturas que vivem nas matas e que precisam receber oferendas para manter o mal adormecido em seu interior. Mas a chegada de Anna, madrasta de Vasya vinda da capital, de hábitos católicos, e de um padre ortodoxo que resolve instituir as práticas cristãs no vilarejo, provoca uma mudança na rotina da menina e abre as portas para uma terrível catástrofe. 
Sensível e determinada, Vasya é a única que consegue enxergar e conversar com esses seres fantásticos e torna-se a última esperança para salvar o povoado onde nasceu da destruição. (Editora Rocco)
 Quando Ela Acordou (Hillary Jordan)
Logo após sua estreia, devido à história de suspense intrigante e à forte análise das emoções humanas, Quando ela acordou, de Hillary Jordan, foi comparado a grandes clássicos da literatura, como A letra escarlate e Robinson Crusoé. Com o passar do tempo, tornou-se sucesso entre os críticos de todos os veículos de comunicação, figurando nas principais listas de mais vendidos dos Estados Unidos. 
Quando ela acordou é também uma fábula oportuna sobre uma mulher estigmatizada que luta para navegar na América de um futuro não tão distante, em que a fronteira entre igreja e Estado foi extirpada e os criminosos condenados não são mais presos e reabilitados, mas cromados e novamente soltos no meio da população, para sobreviverem como puderem. O livro apresenta uma metáfora, por exemplo, dos judeus europeus durante o domínio nazista ou dos negros americanos na década de 60. 
A transformação de um ser humano - ou transfiguração, como utilizado no livro - é um tema importante tratado por Hillary Jordan na história. As dificuldades que surgem ao longo desse processo fazem com que, segundo a autora, as pessoas enfrentem o desconhecido, a vida, com mais coragem. Uma mistura de temas polêmicos, como a separação entre religião e Estado, aborto e justiça com uma história cativante e uma heroína fantástica. (Editora Bertrand Brasil)
 Estação Onze (Emily St. John Mandel)
Certa noite, o famoso ator Arthur Leander tem um ataque cardíaco no palco, durante a apresentação de Rei Lear. Jeevan Chaudhary, um paparazzo com treinamento em primeiros socorros, está na plateia e vai em seu auxílio. A atriz mirim Kirsten Raymonde observa horrorizada a tentativa de ressuscitação cardiopulmonar enquanto as cortinas se fecham, mas o ator já está morto. Nessa mesma noite, enquanto Jeevan volta para casa, uma terrível gripe começa a se espalhar. Os hospitais estão lotados, e pela janela do apartamento em que se refugiou com o irmão, Jeevan vê os carros bloquearem a estrada, tiros serem disparados e a vida se desintegrar. Quase vinte anos depois, Kirsten é uma atriz na Sinfonia Itinerante. Com a pequena trupe de artistas, ela viaja pelos assentamentos do mundo pós calamidade, apresentando peças de Shakespeare e números musicais para as comunidades de sobreviventes.
Abarcando décadas, a narrativa vai e volta no tempo para descrever a vida antes e depois da pandemia. Enquanto Arthur se apaixona e desapaixona, enquanto Jeevan ouve os locutores dizerem boa noite pela última vez e enquanto Kirsten é enredada por um suposto profeta, as reviravoltas do destino conectarão todos eles. Impressionante, único e comovente, Estação Onze reflete sobre arte, fama e efemeridade, e sobre como os relacionamentos nos ajudam a superar tudo, até mesmo o fim do mundo. (Editora Intrínseca)
✔ Alif (G. Willow Wilson)
Em um estado de exceção no Oriente Médio, um jovem hacker que atende pelo nome de Alif - a primeira letra do alfabeto árabe- oferece seus serviços a grupos de dissidentes sob observação do governo e faz o possível para se manter longe de problemas. Mas quando seu computador é invadido pela força de segurança eletrônica do Estado e ele se torna um foragido político.
Autora de graphic novels aclamadas e criadora da primeira heroína muçulmana dos quadrinhos, pela Marvel Comics, além do livro de memórias A leitora do Alcorão, a norte-americana convertida ao islamismo G. Willow Wilson dá vida a um jovem hacker vivendo num estado de exceção no Oriente Médio em seu premiado romance de estreia, Alif, o invisível. 
Primeiro lançamento de 2015 do selo Fantástica Rocco, o livro conquistou o World Fantasy Award e rendeu à autora comparações com escritores como Philip Pullman, Neil Gaiman e J.K. Rowling. Na trama, teologia islâmica, vigilância eletrônica e os acontecimentos da Primavera Árabe se mesclam para tecer uma rica narrativa, na qual o cotidiano colide com o fantástico e o mundo físico com o digital. (Editora Rocco)
 Filhos do Éden: Herdeiros de Atlântida (Eduardo Spohr)
Filhos do Éden é o segundo romance do jornalista Eduardo Spohr. A narrativa, ambientada no mesmo cenário de A Batalha do Apocalipse, sua obra anterior, transcorre nos dias atuais e explora uma nova perspectiva da guerra no céu - a visão dos capitães e soldados, e não dos grandes generais, tão amplamente retratados no livro de estreia. Este romance não é uma continuação de A Batalha, e sim o início de uma nova saga, em que algumas questões, antes obscuras, são enfim respondidas, enquanto outras são lançadas ao público. Tampouco se trata de um épico. É, acima de tudo, uma aventura, um autêntico thriller de fantasia, menos heroico e mais dinâmico, mais humano, com pitadas de conteúdo histórico, romance e mitologia. A ação divide-se entre Kaira, uma celestial que luta para recuperar a memória após anos vivendo na terra, e Denyel, um querubim exilado, uma figura vulgar e sombria, que trabalhou como assassino das legiões inimigas, mas que hoje, solitário e desonrado, procura ser incorporado às fileiras rebeldes. 
Em paralelo, acompanhamos o drama de um terceiro personagem, conhecido apenas como Primeiro Anjo, o líder dos sentinelas - poderosos agentes designados por Deus para, num passado remoto, instruir e proteger as primeiras tribos humanas. Punidos por se recusarem a tomar parte nas catástrofes antigas, os sentinelas agora buscam vingança, numa caçada que se estenderá aos outros volumes da série. Para os novos leitores, o livro é um romance informativo, uma maneira simples de conhecer a mitologia, os combates e a estruturação de forças desse universo fantástico. Para os fãs, é uma expansão divertida, que explora o conflito entre as castas, os planos de existência, os deuses etéreos e o dia a dia da guerra civil, o confronto que, em um futuro próximo, conduzirá à tão aguardada Batalha do Apocalipse. (Verus Editora)
Conhece outros títulos que considera indispensável para essa lista?! Deixe a sua sugestão em nossos comentários e colabore com essa postagem!
Gostou? Curta nossa fanpage no Facebook...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários
0 Comentários

0 . :

Postar um comentário